terça-feira, 8 de novembro de 2016

Oração e conscientização no III Encontro do MDC

 
 “Esforcem-se para viver em paz com todos e para serem santos; sem santidade ninguém verá o Senhor.” (Hebreus 12.14)


 Brasil
Mais um grande encontro das “Mulheres do Caminho” aconteceu no Vale da Bênção, em Araçariguama (SP), reunindo irmãs do Brasil inteiro para orar pelos cristãos perseguidos que estão espalhados pelo mundo. Sexta-feira (04), Mariana da América Latina, contou sua história com detalhes a todos os participantes e aproveitou a oportunidade para louvar a Deus alegremente em seu idioma. Ela também falou sobre o que mais a impactou na igreja livre de perseguição. “Os abraços calorosos! Vocês abraçam com tanto carinho, com tanta ternura, e isso faz com que eu me sinta muito amada entre vocês”, disse emocionada.

 No sábado (05), cerca de 160 pessoas se reuniram em oração de intercessão, lembrando dos nossos irmãos que enfrentam grandes dificuldades em países da África Subsaariana, Oriente Médio, Ásia, entre tantos outros. As participantes estiveram no estande de cartas e escreveram para as crianças colombianas que vivem num abrigo, em regiões onde as Forças Armadas Revolucionárias costumam recrutá-las à força para lutar ao lado deles.

 As mulheres presentes que representam diversos grupos de oração tiveram momentos especiais de reflexão e adoração e se disseram muito abençoadas com as pregações de Mariana. “Eu não sou teóloga, nunca fiz nenhum curso para ser pastora ou missióloga, acho que não sou capacitada para estar aqui, mas o Espírito de Deus me diz ‘não temas, pois estou contigo’. Por isso estou aqui no Brasil, para dizer o que Deus quer que seja dito à Igreja”, disse Mariana. “Ela veio nos trazer lição de vida e nos fazer entender que aqui não conhecemos a perseguição. Podemos falar de Jesus à vontade em qualquer lugar. E a gente ainda reclama, murmura. Posso dizer que esse evento veio trazer tudo o que a gente precisava”, disse Elena Ferreira de Araujo, do Rio de Janeiro.

 Experiências e encontros com Deus
 William de 21 anos foi convidado para trabalhar como técnico de som no evento. “Eu não sabia que teria uma experiência com Deus tão profunda nesse lugar. Eu vim aqui somente para trabalhar, mas Deus sabe o quanto eu tenho pedido por um tempo especial com ele. E hoje eu tive. Quando ouvi o testemunho da irmã Mariana percebi que as pessoas sofrem pelo evangelho, e nós muitas vezes não valorizamos o que temos. Temos a Bíblia disponível e não lemos, somos livres para orar pelas pessoas e muitas vezes a gente não faz isso. Eu saio daqui renovado, consciente de que eu posso e vou fazer mais pelo Reino. Eu sou livre ‘por enquanto’ para ser cristão, e vou aproveitar o máximo possível”, disse ele.

 “Essa é a minha primeira vez no Encontro e estou amando. Aqui estou aprendendo e crescendo muito, e percebendo que as nossas dificuldades não são nada perto das dificuldades do cristão perseguido. Vivemos num país livre, que tem alimento em abundância, tudo o que plantamos colhemos, nossa terra é boa, e as pessoas não valorizam nada disso, arrumam problemas por nada. Mais pessoas deveriam participar desse evento para perceber essas coisas. É maravilhoso servir a Cristo. Quando a irmã Mariana falou sobre a vida dela fiquei impressionada, o testemunho dela como esposa também serviu muito para mim e vou levar essa lição para o resto da minha vida”, disse Maria Vilma de Mogi das Cruzes.

 Luiza de Porto Alegre disse que valoriza muito os eventos da Portas Abertas pela oportunidade de poder ver e ouvir o cristão perseguido de perto. “É diferente de ler na revista e no site a história de cristãos perseguidos, aqui no evento é algo mais pessoal e nos faz sentir que é realmente alguém da nossa família na fé, que podemos tocar a abraçar. A nossa oração toma forma e o valor de vida muda muito. Sinto que orar pelo cristão perseguido faz com que o nosso cotidiano fique mais suave e enxergamos que nem sempre temos problemas e dificuldades reais. Ver o resultado da oração e do trabalho que é feito aqui pela Igreja Perseguida nos dá alegria e esperança. Estamos divulgando esse trabalho em Porto Alegre e estamos descobrindo que há muitas mulheres dispostas a trabalhar também. No ano passado eu vim aqui sozinha e hoje estou com um grupo de 30 intercessoras”, disse ela animada. O Encontro Mulheres do Caminho faz parte da agenda anual do Ministério de Mulheres da Portas Abertas. Se você sente em seu coração o desejo de interceder pela Igreja Perseguida, entre em contato. Envolva-se!



Postado: 08 de novembro de 2016

0 comentários:

Postar um comentário

DINAMI: Dia Nacional de Missões

DINAMI: Dia Nacional de Missões

Janela 10/40 O Maior Desafio Missionário da Atualidade.

Janela 10/40 O Maior Desafio Missionário da Atualidade.

Seguidores

Share

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More