Templo-sede| Pastor-presidente ministra sobre a Porta do Peixe e os meios para a evangelização

“Alegrei-me quando me disseram: Vamos à Casa do Senhor!”. Foi nesse clima de alegria espiritual que aconteceu o culto de doutrina desta terça-feira (21) na igreja sede da Assembleia de Deus em...

Pastor que estava no Titanic morreu pregando durante naufrágio

Homens de Deus estão em todos os lugares. Um desses homens foi o pastor John Harper, que morreu entre as vítimas do naufrágio do Titanic, em abril de 1912, que afundou depois de atingir um iceberg no...

Jovem cristã surda é expulsa de casa

Dana* é mais uma jovem com deficiência auditiva que aceitou Jesus como seu Salvador, no ano passado. Recentemente, seus pais descobriram sua nova fé e, por isso, a expulsaram de casa. Eles não foram violentos, não...

Todos têm o direito à verdade

Em 2010, a ONU proclamou pela Assembleia Geral, um dia para lembrar daqueles que têm seus direitos humanos violados. Normalmente, pessoas que fazem parte de grupos minoritários enfrentam mais dificuldades...

Entenda a situação dos cristãos na África

De acordo com um dos líderes humanitários da ONU, Stephen O'Brien, mais de 20 milhões de pessoas que vivem no Sudão do Sul (5º país na atual Lista Mundial da Perseguição), Iêmen (9º), Somália (2º) e Nigéria...

Mãe e filho enfrentam perseguição

Tutu* necessita das nossas orações. Ela é cristã, viúva, tem 50 anos e mora na Etiópia. Ela e seu filho Biruk* estão enfrentando uma severa perseguição vinda de uma comunidade muçulmana da Etiópia. O problema...

terça-feira, 28 de março de 2017

Vamos Orar

 


TUNÍSIA (29º)
 Agradeça ao Senhor por um jovem tunisiano que batizou três de seus amigos. Que Deus permita que esses novos irmãos cresçam em graça e em conhecimento. Assim como o amigo foi exemplo, que eles possam atrair outras vidas


Postado: 28 de março de 2017

Tivemos bastante sofrimento aqui

 
 Tivemos bastante sofrimento aqui


 SÍRIA (6º)
A situação geral na Síria é caracterizada pela perseguição pesada de todos os tipos de cristãos em áreas detidas por IS e outros militantes islâmicos.
 Muitos cristãos já fugiram de áreas que são mantidas por militantes islâmicos (inclusive IS) ou que foram destruídas durante o conflito.
 A oposição síria está se tornando cada vez mais "islamizada" ea guerra civil está se transformando em uma forma de jihad contra o governo sírio.
 A concentração geográfica dos cristãos remanescentes em áreas estratégicas é um fator importante em sua vulnerabilidade ao ataque, assim como seu suposto apoio ao governo.
 A maioria das igrejas está em ruínas, mas alguns cristãos fazem uma escolha deliberada para permanecer e chegar a seus compatriotas com o evangelho.

 Através do apoio de parceiros locais da Open Doors, os cristãos sírios estão recebendo ajuda de socorro, Bíblias, materiais de discipulado, treinamento de liderança da igreja, aconselhamento de trauma e muito mais.

Líder: Presidente Bashar al-Assad
Governo: República
População: 18.907.000 (794.000 cristãos)
Religião principal: islamismo
Perseguição Nível: Extremo
Fonte da perseguição: Opressão islâmica, antagonismo étnico



Postado: 28 de março de 2017

segunda-feira, 27 de março de 2017

Ore pela família do pastor Han

 
 “Nosso ministério na Coreia do Norte também está sendo ameaçado pelos últimos acontecimentos, mas acreditamos nas promessas de Jesus de que o poder do inimigo não vencerá o corpo de Cristo”


 Coreia do Norte
No dia 30 de março, completará um ano que o pastor Han Choong Yeol foi assassinado por agentes secretos norte-coreanos. Han prestava serviços de ajuda humanitária para refugiados. Leia mais na matéria  Pastor sino-coreano é morto por agentes da Coreia do Norte. Na época, pedimos orações pela sua família e pelos membros da igreja na China que ele pastoreava. A morte dele serve de alerta para os demais cristãos na China que são ativos na evangelização e nos trabalhos desenvolvidos em prol do cristianismo por lá.

 O ministério de Han deixou muitos frutos, mas lhe custou um alto preço. Funcionários do governo chinês enfatizaram aos demais pastores chineses e coreanos para que não se envolvam no caso. “Ore por todos eles, pois precisam muito de segurança e proteção”, pede um dos colaboradores da Portas Abertas que trabalha nas imediações. “Nosso ministério na Coreia do Norte também está sendo ameaçado pelos últimos acontecimentos, mas acreditamos nas promessas de Jesus de que o poder do inimigo não vencerá o corpo de Cristo”, disse ele.

 A igreja que o pastor Han dirigia, em Changbai, uma cidade fronteiriça entre a China e a Coreia do Norte, ainda está muito triste com a perda de seu líder. Mesmo assim, os fiéis ainda se reúnem para orar e jejuar. “Devemos ser sábios e corajosos enquanto trabalhamos na obra de Deus aqui, pois as circunstâncias são difíceis”, conclui o colaborador. Ore pelos nossos irmãos perseguidos nesses dois países, China e Coreia do Norte. E lembre-se de interceder pelos familiares do pastor Han que ainda estão com seus corações partidos.

 Se você quer estender a mão para eles, ore, participe e colabore
 Conheça o projeto  Crescer em Conhecimento que treina líderes cristãos para trabalhar ativamente na China e Ajude a manter a igreja viva na Coreia do Norte. Envolva-se. Nossos irmãos contam com a nossa ajuda.

 Leia também
Liberdade religiosa na Coreia do Norte
Como é ser cristão na Coreia do Norte



 Postado: 27 de março de 2017

Líder cristão no Irã pede orações

 
 “Eu lhes asseguro que se vocês tiverem fé do tamanho de um grão de mostarda, poderão dizer a este monte: ‘Vá daqui para lá’, e ele irá. Nada lhes será impossível”. (Mateus 17.20b)


 Irã
Recentemente, publicamos a matéria “Cremos que Deus responderá”, com o pedido de um líder cristão iraniano, que sentiu em seu coração que o ano de 2017 deve ser um ano intenso de jejum e oração. Ele pediu a participação de todos os fiéis que estão espalhados pelo mundo, a fim de que esse propósito seja alcançado e sugeriu ainda que os participantes se mantenham focados em 12 pontos específicos:

 1) Que a liderança política governe com justiça e sabedoria. Que somente os bons líderes permaneçam e que os culpados pela repressão se arrependam ou sejam removidos por Deus e substituídos por bons líderes.

 2) Que os perseguidores tenham um encontro especial com Deus, que a sua misericórdia lhes conduza ao arrependimento e acabe com as perseguições. Que o Senhor lute por nós e mostre sua justiça.

 3) Pedimos pelo fim da opressão e da injustiça, especialmente contra as igrejas que enfrentam perseguição. Os templos foram fechados e todos os bens confiscados.

 4) Desejamos a liberdade dos prisioneiros cristãos e pedimos a Deus para que eles e suas famílias tenham graça, força, conforto, paz, sabedoria e saúde.

 5) Necessitamos do estabelecimento e da implementação da lei sobre a liberdade de religião no Irã, em especial, no artigo 23 da Constituição que nunca aconteceu em nosso país. Esse artigo afirma que o questionamento da crença é proibido e que ninguém pode ser condenado ou repreendido por sua fé.

 6) Precisamos de orientação, proteção, coragem e encorajamento para todos os líderes, professores e evangelistas que atuam nas igrejas domésticas de todo o país.

 7) Que o Senhor proteja seu povo dos planos malignos, frustrando seus intentos contra os filhos de Deus e contra a propagação do evangelho.

 8) Pedimos por proteção a todos os nossos irmãos que vivem como “cristãos secretos” no Irã e que exercem algum trabalho de apoio aos nossos líderes.

 9) Que o Senhor abençoe todos aqueles que estão servindo a igreja no Irã, dentro e fora dessa nação. Que o trabalho desses fiéis possa render muitos frutos e que eles sejam protegidos do mal e dos perigos.

 10) Pedimos por aqueles que enfrentam problemas específicos no Irã, como a perda de seus entes queridos. Também solicitamos por aqueles que não têm uma casa para morar, pelos órfãos, pelas famílias de prisioneiros e por todos os que sofrem por variados motivos. Que eles saibam que Deus não os abandonou.

 11) Pela salvação das famílias iranianas, parentes e amigos, dentro ou fora do Irã. Ore para que a verdade de Cristo seja revelada para cada um deles.

 12) Pela unidade das igrejas iranianas, que o Senhor nos proteja da divisão, isolamento, julgamentos, desobediência e orgulho. Que haja humildade em nosso meio.

 “Por favor, juntem-se a nós. Todas as semanas, nas sextas-feiras, durante todo o ano de 2017, estaremos reunidos em jejum e oração por esses propósitos”, pede um dos líderes da igreja iraniana.

 Leia também
 Transição de liderança pode fortalecer grupos extremistas
Cristãos são maltratados em prisões do Irã



 Postado: 27 de março de 2017

Investindo no futuro dos cristãos perseguidos

 
 “Eu sempre quis estudar, mas com tantos compromissos familiares nunca sobrou dinheiro para investir em mim; participando do Programa de Alfabetização eu pude realizar esse desejo”


 Butão
No Butão, tudo o que os cristãos fazem é rigorosamente monitorado pelas autoridades. A perseguição aumentou consideravelmente desde o ano passado, quando o país ainda ocupava a 38ª posição na Lista Mundial da Perseguição; atualmente ocupa a 30ª. O número de casos violentos contra a igreja no país também cresceu, juntamente com a pressão em todas as áreas da vida. Para conduzir um curso de alfabetização que também evangeliza os butaneses, os líderes atuantes precisam “disfarçar” suas salas de aula.

 “Para evitar complicações com o governo, anexamos materiais em dzongkha (língua sino-tibetana falada por mais de meio milhão de butaneses e a única língua oficial e nacional do Reino do Butão), juntamente com o nepalês que é a língua materna”, explica Lazarus*, um dos professores e líderes do Programa de Alfabetização no país, organizado pela Portas Abertas. As aulas são realizadas duas vezes por semana, durante duas horas por dia e já existe um grupo de alunos que se formará em abril desse ano. “Durante 10 minutos, cada aluno pode compartilhar algo que aprendeu lendo a Bíblia ao longo dos sermões na igreja. Eu não trabalho apenas com adultos, mas também com a juventude e espero que, entre eles, outros professores possam surgir para seguir em frente com esse projeto”, compartilha Lazarus, já de olho no futuro.

 Rai* conta que agora que pode ler a Bíblia, tem a oportunidade de compartilhar as boas novas com seus filhos. O motorista de táxi, de 37 anos, aceitou Jesus como seu salvador em 2011. “Eu sempre quis estudar, mas com tantos compromissos familiares nunca sobrou dinheiro para investir em mim. Participando desse programa eu pude realizar esse desejo. Eu era limitado e impedido de falar do evangelho para outras pessoas, mas agora estou envolvido no ministério de evangelização, o que fez de mim um cristão mais feliz”, disse. Atualmente, Rai prega a palavra regularmente na igreja onde frequenta.

 Ajude jovens perseguidos
 Se assim como nós, você sente alegria em ajudar os cristãos perseguidos, conheça os projetos realizados pela Portas Abertas e colabore. Um deles é o “Treine Jovens Cristãos” que já alcançou jovens butaneses. “Em Deus, eu tenho uma nova inspiração e uma nova esperança. Deus nunca olha para o meu passado, mas para o meu futuro. Então, eu farei o meu melhor para servir ao Senhor e obedecê-lo”, disse Karen* que é a única cristã de sua família e participou de um acampamento para jovens no Butão.

 *Nomes alterados por motivos de segurança.

 Leia também
A alegria de poder ler a Bíblia
Fé, perseverança e determinação



 Postado: 27 de março de 2017

“Eu não me importo de morrer por esta causa”'

 
 Uma cristã secreta conta sobre sua missão e solidão na China: “Viver solitária é a parte mais difícil do meu trabalho, saio sozinha e volto sozinha. Sei que não há ninguém esperando por mim”


 China
“Eu não tenho mais medo da morte. Sou uma mulher solteira e, se for necessário, eu não me importo de morrer por esta causa”, disse Hwa-Young*, uma cristã que trabalha na China com mulheres que fugiram da Coreia do Norte. Ela lidera um refúgio cristão com cerca de 250 norte-coreanas que precisam muito de auxílio para a restauração de suas vidas. “No início desse trabalho, eu me sentia muito sozinha, sem ter com quem conversar”, conta ela.

 Hwa explica que não podia dizer a ninguém o que fazia na China. “Eu sabia que era um trabalho perigoso. Nunca pude compartilhar minhas experiências com ninguém por telefone, isto seria arriscado tanto para mim quanto para as pessoas. Eu também nunca pude me tornar membro de alguma igreja ou confiar em algum líder. Até hoje, tenho apenas dois amigos com quem posso falar mais abertamente, e mesmo assim eu divido apenas 50% das minhas preocupações”, diz.

 “Viver solitária é a parte mais difícil do meu trabalho, saio sozinha e volto sozinha. Sei que não há ninguém esperando por mim”, conta. Ela tem alguns momentos de distração quando realiza celebrações em grupo. Assim como Hwa, muitos cristãos perseguidos trabalham dessa forma e necessitam das nossas orações pelo conforto do Espírito Santo. Interceda por todos eles, e continue orando pela igreja na China.

 Revista Portas Abertas
 Leia esse e outros testemunhos que certamente te edificarão na edição deste mês. Se você ainda não recebe a Revista Portas Abertas, cadastre-se e receba mais informações sobre a causa da Igreja Perseguida. Confira o que tem acontecido com os cristãos perseguidos pelo mundo, a agenda dos próximos eventos, visitas de correspondentes internacionais, comentários de nossos parceiros, um devocional especial, pedidos de oração e muito mais.

 Leia também
Norte-coreanas são resgatadas por abrigo cristão
A realidade da vida das norte-coreanas



 Postado: 27 de março de 2017

DINAMI: Dia Nacional de Missões

DINAMI: Dia Nacional de Missões

Janela 10/40 O Maior Desafio Missionário da Atualidade.

Janela 10/40 O Maior Desafio Missionário da Atualidade.

Seguidores

Share

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More