Domingo da Igreja Perseguida é tema do Culto de Missões da AD Bebedouro

No segundo domingo de junho, o Departamento de Missões da Assembleia de Deus em Bebedouro, coordenado pelo diácono Mariano Siqueira, organizou mais um culto missionário abençoado abordando relatos...

Pr. José Orisvaldo Nunes: “Se você está atravessando o Vale, saiba que Deus cuidará de ti!”

O pastor-presidente José Orisvaldo Nunes de Lima foi usado por Deus na ministração da Palavra durante o Culto de Doutrina desta terça-feira (20) no templo-sede da Assembleia de Deus em Alagoas. Após a mensagem, foi feito o convite àqueles que estavam...

500 Anos da Reforma Protestante| Centenas de evangélicos participaram dos Seminários no interior

Cumprindo mais uma rodada de seminários sobre os 500 Anos da Reforma Protestante, as cidades de Arapiraca, Dois Riachos, Porto Calvo e Rio largo sediaram o evento no último sábado (17). Os assembleianos lotaram as igrejas para...

Americano preso morre na Coreia do Norte

A família de Otto Warmbier, cristão de 22 anos, confirmou seu falecimento no dia 19 de junho, apenas uma semana depois de ser libertado – em coma – após 15 meses de prisão na Coreia do Norte. Leia a matéria sobre a...

O único lugar onde podíamos adorar

O vento afiado e o frio sopravam na cela da prisão, mas Hea-Woo dificilmente podia senti-lo. Ela dificilmente podia sentir qualquer coisa. “Eu estava dentro das horas da morte; doente, desnutrida e congelada por causa das condições deploráveis da cela da prisão. Eu não pensei que estaria viva para...

Camboja deve construir 500 novas igrejas, após se libertar da repressão comunista

Dezenas de pastores se aglomeraram em torno de Hun Sen, com os smartphones estendidos, engajados para comemorar o primeiro encontro do primeiro-ministro cambojano com os cristãos...

terça-feira, 31 de março de 2009

DIP-Domingo da Igreja Perseguida




portas abertas: igreja perseguida opressão oração fé e liberdade.

Conteúdo publicado em http://www.portasabertas.org.br/
Acesso em 31 de março de 2009

O Contrabandista de Deus

Quando era garoto, Irmão André gostava de brincar, imaginando-se um espião em território inimigo. O que ele não podia sequer imaginar é que bem mais tarde se tornaria um "agente secreto de Deus" com uma difícil missão: levar Bíblias para os cristãos das igrejas perseguidas pelo regime comunista, na Rússia e nos países da Europa, na década de 50. Embora fosse impossível para um missionário cristão passar pela "Cortina de Ferro", André sabia que para Deus não havia impossibilidades. Ao ter de atravessar a fronteira de algum país, com sua mala e seu "fusca" cheios de Bíblias, folhetos e material impresso, ele orava assim: "Senhor, na minha bagagem há Escrituras que desejo levar para os teus filhos, que estão do outro lado desta fronteira. Quando estiveste na Terra, fizeste os olhos dos cegos ver. Agora eu peço: faze com que os olhos desses que vêem fiquem cegos. Não deixes os guardas verem as coisas que tu não queres que eles vejam". E Deus atendia sua oração. Você vai se emocionar com o testemunho do "contrabandista de Deus", marcado pelo amor à Igreja Sofredora e aos irmãos que viviam sob a repressão do comunismo. Uma história repleta de fé, coragem e ousadia, que nos inspira e desafia a sermos testemunhas fiéis do amor de Deus mesmo sob circunstâncias adversas.



Conteúdo publicado em http://www.portasabertas.org.br/



Acesso em 31 de março de 2009

Richard Wurmbrand - Voz dos martires


O Pastor Richard Wurmbrand foi o pastor evangélico que passou quatorze anos como prisioneiro dos comunistas, torturado em sua própria terra natal, a Romênia. Poucos nomes são tão conhecidos naquele país, onde ele é um dos mais reconhecidos cristãos, como líder, autor e educador.Em 1945, quando os comunistas tomaram o poder na Romênia e tentaram submeter as Igrejas aos seus propósitos, Richard Wurmbrand imediatamente deu início a um ministério “subterrâneo” – eficiente e vigoroso – destinado à pregação do Evangelho tanto a seus compatriotas escravizados quanto aos soldados russos que invadiram o país. Foi preso em 1948, com sua esposa, Sabina, que cumpriu pena de trabalhos forçados por três anos, no Canal do Danúbio. O Pastor Richard passou três anos na solitária, sem ver ninguém a não ser seus torturadores comunistas. Depois foi transferido para uma cela comum, onde as torturas continuaram por mais cinco anos.Devido a sua posição internacional como líder cristão, diplomatas de embaixadas estrangeiras questionaram o governo comunista acerca da segurança de Wurmbrand, dizendo que ele fugira da Romênia. Agentes da polícia secreta, fingindo-se de ex-companheiros de prisão, disseram a Sabina terem assistido ao funeral de seu marido no cemitério da prisão. Recomendaram à família na Romênia e aos amigos de outros países que o esquecessem, porque já estava morto.Após oito anos e meio de prisão, ele foi libertado e imediatamente retomou seu trabalho com a Igreja Subterrânea. Dois anos depois, em 1959, ele foi preso mais uma vez, e sentenciado a vinte e cinco anos de prisão.Wurmbrand foi libertado quando de uma anistia geral ocorrida em 1964, e novamente continuou seu ministério clandestino. Levando em consideração o grande perigo de ser preso pela terceira vez, cristãos noruegueses negociaram com as autoridades comunistas sua permissão para deixar a Romênia.

Conteúdo publicado em http://martirescristaos.blogspot.com/
Acesso em 31 de março de 2009

PRESO HÁ 14 MESES YIMITI NÃO CONSEGUE LIBERDADE


Preso por pregar o Evangelho desde 12 de janeiro de 2008 Alimujiang Yimiti, um cristão uigur, foi levado para o comitê do partido comunista, nível mais alto do governo da região autônoma de Xinjiang. Esse comitê, que é o árbitro final em todos os casos entre os escritórios judiciais da região, dará a decisão para o caso de Alimujiang. O julgamento de Alimujiang foi em 27 de maio de 2008 e o veredicto foi que o caso deveria retornar ao escritório público de segurança porque não havia evidências suficientes contra ele. Desde o julgamento, as autoridades não permitem que a família o veja e têm passado o caso de uma agência para a outra, sem resolvê-lo.A China Aid recebeu uma carta de Guli Nuer, esposa de Alimujiang Yimiti. Ela escreveu: “Alimujiang é um seguidor de Cristo há 14 anos. Crer em Cristo operou grandes mudanças em sua vida e fez dele um bom cidadão que ama seu país e seu povo.”“Já faz quase um ano e dois meses desde que Alimujiang foi preso. É difícil de descrever em palavras o que nós, familiares, sentimos. Nesses 14 meses não houve nenhuma notícia ou nenhuma comunicação com ele. Embora apenas uma parede nos separe, ainda nos sentimos tão distantes. Todos os esforços que fizemos não trouxeram nenhum resultado. Eles podiam pelo menos permitir que o víssemos para termos certeza de que ele está bem. Não posso imaginar como ele se sentirá quando souber que fomos de um lado a outro para sempre acabar com nossas esperanças frustradas. Ele não tem nenhuma notícia sobre nós ou sobre o mundo exterior”, desabafa Guli Nuer.Logo os advogados viajarão de Pequim com um pedido para encontrar Alimujiang. Fontes afirmam que ele é muito respeitado na prisão e é elogiado pelas pessoas lá. Ele insiste que é inocente e reafirma seus valores cristãos. Desde a prisão, a esposa de Alimujiang está cuidando de seus dois filhos e negociando com as agências do governo na esperança de que o caso seja julgado com imparcialidade, de maneira eficaz e de acordo com a lei.

Conteúdo publicado em http://martirescristaos.blogspot.com/
Acesso em 31 de março de 2009

terça-feira, 24 de março de 2009

O CRENTE E A ÁGUIA




Acesso em 24 de março de 2009.

segunda-feira, 23 de março de 2009

PALAVRA MISSIONÁRIA


De acordo com a primeira carta de João, os crentes que verdadeiramente “conhecem o Senhor” são aqueles que obedecem à sua palavra (I João 2.3-5; 3.24). Com certeza, a tarefa de pescar almas (Mt. 4.19), faz parte das ações que evidenciam a fidelidade dos seguidores de Cristo. Como justificaremos nossa fidelidade, se negligenciamos a ordem missionária do Senhor? Como nos identificaremos com a Igreja que foi fiel ao Senhor, se desprezamos a nobre tarefa transcultural ordenada pelo Senhor? Como cumpriremos o nobre propósito de Deus, se não trabalharmos em função desse tão grande alvo? O último versículo de (I João “filhinhos, guardem-se dos ídolos” 5.21) é uma espécie de sumário de advertência desta carta. Sabendo que a idolatria é inimiga da vontade de Deus, o apóstolo conclui este livro fazendo uma advertência contra os ídolos. Lamentavelmente, o motivo pelo qual muitos crentes (inclusive líderes) não estão trabalhando de acordo com o objetivo da grande comissão, é exatamente porque os prazeres e bens materiais os dominam.Como conseguiremos atingir as etnias que nunca ouviram o evangelho de Cristo, se prestarmos fé e lealdade ao nosso egoísmo? O amigo está disposto a guardar-se dos ídolos, para se tornar um “pescador de almas”?
Dc. Mariano Siqueira

REFLEXÃO

O alpinista

Essa é a história de um alpinista que buscava sempre superar mais e mais desafios. Ele resolveu depois de muitos anos de preparação escalar o Aconcágua. Como queria a glória somente para si, resolveu escalá-lo sozinho, sem nenhum companheiro, cuja ajuda seria natural no caso de escalada de tal nível de dificuldade.
Ele começou a subir, porém, como não havia se preparado para acampar decidiu seguir a escalada até atingir o topo. Escureceu e já não era mais possível enxergar um palmo a frente do nariz, não se via absolutamente nada, tudo era escuridão, não havia lua e as estrelas estavam cobertas pelas nuvens, subindo por uma parede, apenas cem metros do topo, o alpinista escorregou e caiu. Caindo a essa velocidade vertiginosa somente conseguia perceber a terrível sensação de ser sugado pela força da gravidade.
Ele continuava caindo, e nesses momentos angustiantes, passavam por sua mente todos os momentos felizes e tristes que havia vivido, de repente ele sentiu um puxão forte que quase o partiu pela metade, como todo alpinista, havia cavado estacas de segurança com ganchos a uma corda cumprida que ficou em sua cintura, suspenso n o ar, em completa escuridão, não havia mais nada a fazer a não ser gritar, e ele rogou a Deus:
-OH! Meu Deus ajude-me! Uma voz grave profunda do céu indagou:
-O que você quer de mim, meu filho?
-Salve-me, meu Deus. Por favor! E Deus lhe fez uma nova pergunta:
-Você realmente acredita que eu possa salvá-lo? E o alpinista respondeu:
-Tenho certeza! Deus então ordenou:
-Corte a corda que o mantém pendurado. Houve um momento de silêncio e reflexão. O homem se agarrou ainda mais a corda e pensou que se soltasse, morreria.
O pessoal do resgate conta que no dia seguinte encontrou o alpinista congelado, morto, agarrado com força, com as duas mãos a uma corda, a tão somente dois metros do chão.
Essa é uma história real e a dedução a respeito do diálogo com Deus foi feita porque o alpinista foi encontrado apenas dois metros do chão.

Pense nisso!
Autor desconhecido

domingo, 22 de março de 2009

GALERIA DOS PRESIDENTES DA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ALAGOAS

OTTO NELSON (1915-1930)

OTTO NELSON (1915-1930)

Otto Nelson nasceu em 11 de agosto de 1881, no Estado de Smáland, na Suécia. Quando tinha 29 anos, o seu país foi abalado por uma grande crise econômica que envolveu toda a Europa, obrigando-o a emigrar para os Estados Unidos em busca de trabalho.

Otto Nelson aceitou a Jesus como salvador nos EUA e, alguns meses depois, foi batizado nas águas. Em 1911, ele foi batizado com o Espírito Santo. Neste dia, o Senhor lhe fez uma clara chamada para a obra missionária. Nesta ocasião, os pioneiros Gunnar Vingren e Daniel Berg estavam evangelizando no Norte do Brasil, e foi para esta região que Otto Nelson sentiu a direção de Deus para atender ao chamado do Senhor.

Recém-casado com a jovem Adina Petterson Nelson, o missionário chegou em Belém do Pará em 1914. Sendo eloquente pregador, teve a sua primeira oportunidade para pregar a palavra de Deus em solo brasileiro no dia 21 de julho de 1915.

Otto Nelson e sua esposa Adina foram agraciados por Deus, quando trabalhavam em Alagoas, com três filhas e um filho, este logo faleceu. Após quinze anos de serviço prestado à Assembleia de Deus em Alagoas, Otto Nelson seguiu adiante no cumprimento de sua missão, deixando atrás de si uma herança, tanto espiritual, como patrimonial. Logo após a sua saída de Alagoas, Otto Nelson transferiu-se para Salvador, na Bahia, cooperando também no Estado de Sergipe, organizando e supervisionando a Assembleia de Deus nesse Estado.

Em 1938, Otto Nelson sentiu a direção divina de ir trabalhar na Argentina, para onde seguiu com a sua esposa e filhas. Na Argentina, ele trabalhou durante sete anos na cidade de Mar del Plata, província de Buenos Aires. Em 1945, Otto Nelson transferiu-se para o Rio de Janeiro, onde trabalhou até 1948. Após isto, sentiu a direção de Deus para trabalhar no Uruguai, onde permaneceu até 1960.

Em 1970, quando Otto Nelson estava com 89 anos, ele visitou pela última vez o Estado de Alagoas, ocasião em que foi homenageado com uma linda bandeja de prata, na qual estava escrito o Salmo 126. Hoje, Otto Nelson é lembrado como um homem de Deus, que marcou grandemente a história da Assembléia de Deus em Alagoas. Não somente como o seu pioneiro, mas como tendo deixado um vasto legado espiritual e uma sólida base doutrinária na qual gerações de crentes pentecostais neste Estado têm firmado a sua fé.

ANTÔNIO RÊGO BARROS (1931-1963)

ANTÔNIO RÊGO BARROS (1931-1963)

O pastor Antônio Rêgo Barros nasceu em 15 de junho de 1887, no Estado do Ceará. Aceitou Jesus como Salvador na cidade de Belém do Pará, ainda muito moço. Nos anos de 1928 e 1929, auxiliou o missionário Lars Eric Samuel Nystron, então pastor da Assembléia de Deus em Belém. Foi enviado pela igreja para pastorear no Ceará em dois períodos: de 1922 a 1923 e de 1929 a 1931. Em 1931, foi transferido para Maceió, onde presidiu a Assembléia de Deus em Alagoas por 32 anos. O pastor Antônio Rêgo Barros era considerado um homem de profundo conhecimento bíblico e um obreiro muito experiente.

O pastor Barros, como era chamado pelos irmãos, destacou-se como um obreiro de extremo zelo pela obra de Deus e que muito contribuiu para o embasamento doutrinário de centenas de crentes e obreiros que passaram debaixo do seu cajado, imprimindo desta forma, no rebanho que estava ao seu cuidado, um profundo respeito pela sua pessoa.

Em sua gestão, no ano de 1937, a cidade de Mata Grande, no alto sertão alagoano, hospedou a convenção da Assembléia de Deus em Alagoas. Esta foi a primeira cidade alagoana a hospedar uma convenção. Segundo relatos confiáveis da época, compareceram, entre outros, os missionários Orlando Boyer, Dalas Johnson e Horácio S. Ward, que ministraram estudos bíblicos durante o dia e a pregação da Palavra de Deus à noite.

O pastor Antônio Rêgo Barros praticamente foi quem estruturou a igreja em Alagoas, principalmente na capital, criando diversos órgãos de louvor, escola secular e outros departamentos de grande relevância.

GUSTAV ARNE JOHANSSON (1963-1965)

GUSTAV ARNE JOHANSSON (1963-1965)

O missionário Gustav Arne Johansson nasceu em 04 de outubro de 1932, na província de Halland, Falkeberg, Suécia. Seu pai chamava-se Gustav Adolf Johansson e sua mãe chamava-se Eira Ingregard Johansson. Converteu-se ao evangelho em 5 de agosto de 1939, aos seis anos. Em 1942, quando tinha dez anos, no dia 02 de abril, desceu as águas batismais. Cinco anos após o seu batismo nas águas, isto é, em 17 de setembro de 1947, foi batizado com o Espírito Santo.

Gustav Arne Johansson sentindo a chamada de Deus para a obra missionária, em 17 de outubro de 1954 foi ordenado missionário, em sua terra natal, a Suécia. Em 1955, casou-se com a irmã Ruth May Johansson. Desta união, nasceram-lhes sete filhos: Per-Arne, Lars Gustav, Ruth Birguita, John Levi, Sven Ake, Bo-Davi e Nils Erik.

O missionário Gustav Arne Johansson chegou ao Brasil em 21 de novembro de 1954, indo trabalhar, inicialmente, no interior de São Paulo, na cidade de Caçapava, tendo assumido este trabalho em 19 de março de 1956. Após um curto período de trabalho nesta cidade, transferiu-se para a cidade de Barreiras, no Estado da Bahia, onde fundou a Assembleia de Deus.

Chegou em Maceió no dia 20 de fevereiro de 1961. Assumiu a presidência da igreja em 10 de novembro de 1963, numa fase de delicada transição. Após dois anos de atuação como presidente da igreja em Alagoas, o missionário Gustav Arne Johansson passou a presidência para o pastor Jovenal Pedro da Silva, no dia 01 de janeiro de 1965.

Após haver entregado a presidência da igreja, o missionário Gustav Arne Johansson seguiu para Arapiraca, onde pastoreou a Assembleia de Deus nesta cidade, no período de 15 de janeiro a 04 de abril de 1965, havendo sido substituído pelo pastor Levino Barbosa.

Havendo terminado a sua missão em Alagoas, o missionário Gustav Arne Johansson e sua família, em 1976, seguiu para Teresina, no Estado do Piauí, onde permanecem até esta data.

JOVENAL PEDRO DA SILVA (1965-1971)

JOVENAL PEDRO DA SILVA (1965-1971)

O pastor Jovenal Pedro da Silva nasceu no município de Coruripe, interior de Alagoas, no dia 16 de agosto de 1916. Era filho de João Pedro da Silva e Maria Francisca da Silva. Aos 20 anos de idade, isto é, em 1936, converteu-se ao evangelho. No ano seguinte foi batizado nas águas, e, um ano após o seu batismo, ou seja, em 1938, recebeu o batismo com o Espírito Santo. Neste mesmo ano foi separado para servir no diaconato da igreja, e, em 1941, foi ordenado a evangelista. Dois anos após esta ordenação, ascendeu ao ministério pastoral, havendo sido ordenado em 27 de outubro de 1943 na gestão do pastor Antônio Rêgo Barros.

Casou-se com Josefa Pedro da Silva, com a qual viveu 64 anos, nascendo desta união Carmy, Clemente, Cleonice, Claudinete, Carmem Lúcia, Claudicéia, Cleide, Cássia, Damares e Jônatas. Como pastor trabalhou nas cidades de Porto de Pedras, Maragogi, Paulo Afonso (Bahia), Garanhuns (Pernambuco) e Porto Calvo. Por necessidade do trabalho na capital, foi convidado pelo pastor Antônio Rêgo Barros para auxiliá-lo por duas vezes.

O pastor Jovenal Pedro era conhecido como um homem que tinha uma vida de intensa oração, pois passava horas de joelhos dobrados diante de Deus. Por isso, foi um homem de grande envergadura espiritual, vista e atestada por centenas de pessoas que o conheceram. Seu primeiro campo de trabalho foi a cidade de Porto de Pedras, no litoral de Alagoas. Como um homem de larga visão evangelística, e que sabia o valor de uma alma perante os olhos do Salvador, o pastor Jovenal Pedro foi pioneiro no envio de missionários para o exterior.

Em sua gestão foram comemorados os cinquenta anos de fundação da Assembléia de Deus no Estado de Alagoas. Sob a sua liderança foi realizada também a primeira confraternização de jovens da Assembleia de Deus em Alagoas, cujo dirigente era o diácono Sidrônio Castanha de Oliveira. Segundo relatos de pessoas dessa época, esta confraternização foi grandemente abençoada pelo Senhor.

Após seis anos de atuação como pastor-presidente, entregou a liderança da igreja ao seu sucessor, pastor Manoel Pereira Lima (in memorian), e voltou a trabalhar no interior do Estado, precisamente na cidade de Porto Calvo, a qual englobava como congregações as cidades de Campestre, Jundiá, Jacuípe e Usina Santa Terezinha.

Como bom soldado de Cristo, o pastor Jovenal Pedro trabalhou em Porto Calvo até as suas forças físicas se exaurirem, e, por causa de algumas enfermidades, solicitou a sua jubilação ministerial. Este ilustre servo de Deus morreu no dia 9 de março de 2005, em Maceió, deixando após si um grande número de filhos na fé e obreiros que tiveram a oportunidade de serem formados ministerialmente por este gigante espiritual.

MANOEL PEREIRA LIMA (1971-1986)

MANOEL PEREIRA LIMA (1971-1986)

O pastor Manoel Pereira Lima nasceu no dia 26 de agosto de 1920, no município de Santana do Ipanema, no alto sertão de Alagoas. Seu pai chamava-se João Pereira de Souza e sua mãe Maria Francisca da Luz. Aos 25 anos de idade aceitou a Jesus como Salvador. Casou-se com Juvita Rodrigues de Lima, de cuja união nasceram os filhos José, Luiz, Maria, Ana, Ester, Elian e Isac.

Em abril de 1946, recebeu o batismo com o Espírito Santo, e, no dia 29 de setembro de 1947, foi batizado nas águas. Quando o pastor Manoel Pereira Lima tinha apenas três meses de crente, uma irmã profetizou que ele seria pastor da Assembleia de Deus, profecia esta que teve o seu fiel cumprimento. Serviu como auxiliar e diácono da igreja em Santana do Ipanema, de 4 de abril de 1946 a 26 de abril de 1959.

Por motivo superior, o pastor José Tavares, que pastoreava a Assembléia de Deus em Santana do Ipanema, entregou a liderança ao pastor Antônio Rêgo Barros e viajou para o sudeste do Brasil, ficando a igreja sem pastor. Devido ao pouco número de, o irmão Pereira, como carinhosamente era chamado pelos irmãos, foi designado, então, pelo pastor-presidente para assumir o pastorado da igreja nesta cidade, na época ainda servindo como diácono. Havendo desempenhado fielmente a liderança da igreja em Santana do Ipanema, o pastor Antônio Rêgo Barros o ordenou para o ministério de evangelista, em 26 de abril de 1959, e em 01 de abril de 1969 foi ordenado ao ministério pastoral, na gestão do pastor Jovenal Pedro da Silva.

Após encerrar o pastorado da igreja em Santana do Ipanema, foi transferido para a cidade de Porto Calvo, na região norte de Alagoas. Daí seguiu para a cidade de Arapiraca, assumindo em seguida a presidência da igreja no Estado em maio de 1971.

A gestão do pastor Manoel Pereira Lima, como presidente da igreja, foi marcada por muitas realizações, tanto na área espiritual, como ministerial e patrimonial, pois expandiu o evangelho pelos bairros de Maceió. Construiu uma escola de ensino de primeiro grau; edificou um lar para idosos e trouxe para Alagoas a Escola de Teologia da Assembleia de Deus no Brasil (Esteadeb), não se descuidando também da igreja no interior do Estado, pois abriu novos campos de evangelização, recrutando muitos obreiros para atendê-los.

Presidente atual

JOSÉ ANTONIO DOS SANTOS (1986)

JOSÉ ANTONIO DOS SANTOS (1986)

Em 5 de dezembro de 1931, na cidade de Santana do Ipanema-AL, nasce o garoto José Antonio, filho de Alcides Antonio dos Santos e Otília Cavalcante dos Santos. Com uma infância simples e com muitas dificuldades, trabalhava na roça para ajudar os pais no orçamento doméstico, até que, aos 14 anos, decidiu aprender uma profissão.

“Espelhei-me num sapateiro chamado Nô Marcolino, que hoje não está entre nós. Eu andava 12 quilômetros para aprender a profissão, e com menos de dois anos já estava vivendo por conta própria”, relata o pastor José Antonio dos Santos, que há 22 anos preside a Assembleia de Deus em Alagoas, é o responsável pela União dos Ministros das Igrejas Assembleias de Deus no Nordeste (Umadene) e vice-presidente da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB).

Ele conta que ainda jovem tomou a decisão de viajar e tentar a vida em outro lugar. Passou por Sergipe, Paraíba e São Paulo, onde trabalhou num cafezal. Lá foi convidado para liderar 40 homens, quando ainda tinha 22 anos, demonstrando, com isso, sua vocação para a liderança.

Em São Paulo conheceu a jovem Francisca, com quem se casou. Voltou para Alagoas quando tinha 24 anos, por motivo de doença, mas já tinha ouvido falar em Jesus Cristo numa fazenda paulista.

No mês de junho de 1955 (com 24 anos) aceitou a Jesus Cristo como seu salvador, e, depois, com alguns dias, sua esposa também aceitou. Ele foi batizado em Maceió no mês de agosto de 1956, no ano anterior tinha sido batizado no Espírito Santo. Foi separado para o diaconato em agosto de 1958. Dois anos depois passou a presbitério e em 1962 foi ordenado ao ministério de pastor-evangelista.

Formado em Teologia pelas Escolas Teológicas das Assembleias de Deus no Brasil, bacharel em Teologia pela Faculdade de Filosofia e Teologia de Alagoas e doutor em Divindade pela Faculdade de Filosofia e Teologia Filadélfia, é conhecido carinhosamente, em todo o Brasil, como “Pastor Neco”, e sua simplicidade é admirada em todos os países que tem visitado, confirmando a Palavra do Senhor: “Os passos de um homem são confirmados pelo Senhor”. É um conferencista respeitado em toda a América Latina. Pai de seis filhos – Jota, Jemima, Geilza, Jedida, Jesana e Jeilma – vem conciliando o tempo entre a igreja e a família.

A presidência

Na função de vice-presidente da igreja, o pastor José Antônio dos Santos assumiu a presidência interinamente em novembro de 1985, pois o pastor Manoel Pereira Lima adoeceu gravemente, ficando impossibilitado de exercer as suas atividades. Durante seis meses consecutivos, o pastor José Antônio dos Santos esteve à frente da igreja e do ministério em todo o Estado de Alagoas, desempenhando de forma íntegra e fiel as suas atividades, sem demonstrar nenhuma pretensão ou qualquer ambição pela posição que ocupava.

O pastor Manoel Pereira Lima veio a falecer, acontecimento que repercutiu em todo o Estado de Alagoas e no Brasil. Mas, mesmo diante de tão lamentável acontecimento, o pastor José Antônio dos Santos, visivelmente consternado com a morte do seu líder, na qualidade de pastor-presidente interino, manteve-se firme e sereno, conduzindo de forma equilibrada e sensata a igreja do Senhor até que um novo líder assumisse a direção.

Havendo a necessidade de ser eleito um novo pastor-presidente para liderar a Assembléia de Deus em Alagoas, o pastor José Antônio dos Santos, que até então estava interinamente presidindo a igreja, convocou o ministério alagoano para realizar a eleição do novo líder estadual no dia 03 de junho de 1986. Muito prudentemente convidou para presidir a referida eleição o pastor José Rodrigues Sobrinho, presidente da Assembleia de Deus de Sergipe. Para que houvesse lisura no processo eletivo do novo presidente, o pastor Rodrigues assumiu a presidência da igreja em Alagoas, oito dias antes da eleição, garantindo transparência e honestidade na escolha.

No dia 03 de junho, data para a eleição do novo líder, no auditório do templo-sede, o pastor José Antônio dos Santos agradeceu a confiança a ele depositada durante nove anos como vice-presidente e seis meses na qualidade de presidente interino. Logo em seguida, o pastor José Rodrigues Sobrinho solicitou ao ministério que os candidatos à presidência da igreja se apresentassem para que fosse eleito, dentre eles, o novo pastor-presidente. Diante do silêncio do seleto auditório de pastores e evangelistas da Assembleia de Deus em Alagoas, o presidente da reunião, pela segunda vez, solicitou que os candidatos ao cargo de pastor-presidente se apresentassem. Diante desta segunda solicitação, um grupo de líderes apresentou o pastor José Antônio dos Santos, que neste momento estava sentado junto aos demais obreiros, no auditório, como sendo o único candidato ao referido cargo. Diante da indicação do pastor José Antônio dos Santos, sem nenhum outro obreiro ter se apresentado como candidato, ele foi eleito por unanimidade.

Havendo sido eleito pastor-presidente, o pastor José Antônio dos Santos convocou imediatamente o presbitério da capital para comunicar-lhe a sua eleição efetuada pelos obreiros do interior do Estado e, ao mesmo tempo, pedir-lhes também a aprovação. Da mesma forma, os presbíteros da capital aprovaram a sua eleição, e, no dia 6 de junho de 1986, assumiu efetivamente a presidência da igreja e do ministério em todo o Estado de Alagoas.

Na noite da sua posse, ladeado por pastores de diversos estados, por sua família, pelo ministério local e pela igreja, o pastor José Antônio dos Santos afirmou que desejava desenvolver o ministério presidencial marcado por três coisas, que eram a unção, a união e a alegria. Realidade esta que aqueles que o acompanham ao longo de todos esses anos de abençoada presidência têm atestado em sua gestão.

Grandes eventos

Na gestão do pastor José Antônio dos Santos, eventos de grande porte têm sido realizados em Alagoas.

  • Curso de Aperfeiçoamento de Professores da Escola Dominical (Caped), realizado no período de 24 a 28 de julho de 1996, com pessoas de diversas partes do Brasil;
  • Cruzadas evangelísticas de médio e grande portes, como as que foram promovidas pelo Ministério Bernard Johnson e Cristo é a Resposta, que resultaram na conversão de centenas de vidas para o Reino de Deus;
  • Segunda Confraternização da Mocidade da Assembleia de Deus em Alagoas, que teve início em 21 de janeiro de 1990, sob a coordenação do evangelista Jamiel de Oliveira Lopes;
  • Jubileu de Diamante, o qual mobilizou toda a igreja no Estado de Alagoas. Este evento aconteceu no período de 22 a 27 de agosto de 1990, e marcou os setenta e cinco anos de fundação da igreja. Foi uma das maiores comemorações já vistas no calendário, não somente da igreja, mas também da sociedade alagoana. Durante o dia eram ministrados estudos bíblicos, por renomados pastores da Assembleia de Deus do Brasil e à noite aconteciam os cultos evangelísticos no Estádio Rei Pelé, aonde centenas de pessoas aceitaram a Jesus como Salvador;
  • Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil, que ocorreu no período de 27 a 31 de janeiro de 2003. Nesta Convenção foi realizada a 36ª Assembléia Geral Ordinária, e, segundo os órgãos oficiais da denominação no Brasil, “bateu recorde em número de inscritos” que foram mais de três mil. As plenárias convencionais ocorreram no Ginásio de Esportes Presidente Fernando Collor de Melo e os cultos no Estádio Rei Pelé;
  • 90 Anos de Fundação da Assembleia de Deus em Alagoas, que ocorreu de 25 a 27 de agosto de 2005. Foi amplamente divulgado e muito prestigiado por centenas de pessoas que à cada noite se dirigiam para o Estádio Rei Pelé, onde foram realizados os cultos.

Fonte de pesquisa
História da Assembleia de Deus em Alagoas, do pastor José Laelson da Silva
Periódicos do Jornal Novas de Esperança

Conteúdo disponível em http://www.jneweb.com.br/institucional/galeria_do_presidente/

Acesso em 22 de março de 2009.

Assembleia de Deus, pioneira do movimento pentecostal em Alagoas

Família Nelson

Quando os missionários suecos Otto e Adina Nelson pisaram em solo alagoano, em 1915, tinham na bagagem a promessa de que Deus iria fazer uma grande obra em Alagoas. E não foi diferente. A Missão Fé Apostólica (primeiro nome da denominação) se transformou na maior igreja evangélica do Estado: Assembleia de Deus de Missão.

Mas, antes disso, um dos pioneiros da Assembleia de Deus no Brasil, que iniciava a obra pentecostal em solo brasileiro em Belém, do Pará (marco inicial da igreja no País), veio a Alagoas para semear o evangelho. Na manhã do dia 1º de maio de 1915, no modesto cais do porto do bairro de Jaraguá, desembarcou o jovem missionário de origem sueca Gunnar Vingren. Ao desembarcar em Maceió, Gunnar dirigiu-se para a casa do irmão Simplício, quando participou de um culto com nove crentes, membros de igrejas tradicionais, os quais não haviam ouvido falar sobre a doutrina pentecostal, e, principalmente, sobre o batismo com o Espírito Santo.

Os dias se passavam depressa, e Gunnar Vingren não desperdiçava o tempo que tinha para evangelizar a cidade - na época Maceió tinha pouquíssimos bairros. Quase todos os dias ele realizava cultos poderosos, marcados pela presença do Espírito Santo. Os cultos eram realizados no Trapiche da Barra, na casa do irmão Simplício, e eram notadamente marcados pelo derramamento do Espírito. Gunnar Vingren conta em seu diário que em um desses cultos, enquanto ele estava orando para o Senhor fazer maravilhas no meio do povo que estava presente, “um homem foi alcançado pelo poder de Deus de maneira tão forte, que, por duas vezes, foi levantado bem alto do chão. Louvei muito ao Senhor, e senti grande gozo no meu Deus”.

Depois de alguns dias, Gunnar Vingren passou a se hospedar e realizar os cultos na casa de um irmão chamado “Candinho”, que alegremente recebeu o missionário em seu lar. No dia 28 de maio de 1915, foi batizado com o Espírito Santo, sendo o primeiro crente alagoano a receber a promessa pentecostal. Mesmo diante da firmeza, tanto bíblica, quanto doutrinária e teológica do missionário com respeito à doutrina, ele enfrentou muita resistência e dureza de coração, da parte daqueles que combatiam veementemente o ensino bíblico sobre o batismo e os dons que são concedidos pelo Espírito Santo.

Após o término do seu curto ministério em terras alagoanas, Gunnar Vingren retornou para Belém do Pará, onde morava. Ele veio a Alagoas, oito anos depois, em outubro de 1923, para participar da primeira convenção da igreja no Estado.

Otto Nelson - 1915-1930

A chegada de Otto Nelson em Maceió

Em 21 de agosto de 1915, depois de uma viagem de nove dias, Otto Nelson chegou em Maceió. Otto ficou na humilde casa do pescador Balbino Gomes, localizada na Rua dos Pescadores, atual Rua José Marques Ribeiro, no bairro do Trapiche da Barra.

O pescador Balbino Gomes era uma das seis pessoas que haviam se convertido no período que o missionário Gunnar Vingren havia visitado Alagoas, e, agora, tornar-se-ia o hospedeiro de Otto Nelson. Quatro dias após a chegada de Otto, precisamente em 25 de agosto de 1915, ele realizou oficialmente o primeiro culto da Assembleia de Deus de Missão em Alagoas.

Otto Nelson enfrentou provas e perseguições até construir o primeiro templo da Assembleia de Deus em Alagoas. Após cinco anos de intenso trabalho, Otto Nelson viajou com a sua esposa para a Suécia com o propósito de arrecadar dinheiro. Após visitar diversas cidades, Nelson viajou para os Estados Unidos, onde também apresentou a necessidade do templo em Alagoas. E lá conseguiu dinheiro suficiente para iniciar a construção. Com capacidade para acomodar cerca de trezentas pessoas, em 22 de outubro de 1922 foi inaugurado o templo-sede, no Trapiche da barra, sendo o terceiro da Assembleia de Deus no Brasil.

A obra de evangelização também se expandiu para o interior de Alagoas. Otto deixou com a esposa a liderança do trabalho do Senhor na capital e viajou sozinho para ganhar almas em algumas cidades e vilas interioranas de Alagoas.

Assembleia de Deus

No ano seguinte à inauguração do templo, ou seja, em outubro de 1923, dos dias 21 a 28, foi realizada a primeira convenção estadual e escola bíblica de obreiros, que marcou profundamente os crentes alagoanos. Estiveram presentes personalidades ilustres da Assembleia de Deus no Brasil.

Em 1927, Otto Nelson viajou para a Suécia com a sua família, com o propósito de descansar um pouco, pois achava-se debilitado pelos anos de trabalho em Alagoas. Ele passou dois anos em sua terra natal, só retornando em 1929. Enquanto estava na Suécia, sentiu que o seu tempo em Alagoas havia terminado e que deveria seguir adiante. Ao retornar para Maceió, ele comunicou à igreja sua decisão. Porém, zeloso como era pela obra que havia iniciado a custo de muitas aflições e lágrimas, Otto Nelson não saiu imediatamente de Alagoas, mas aguardou que o missionário Gunnar Vingren enviasse o seu substituto. Em janeiro de 1930, chegou a Maceió o casal de missionários Algot e Rosa Svensson, vindos de Belém do Pará.


Conteúdo disponível em http://www.jneweb.com.br/institucional/historia/

Acesso em 22 de março de 2009.

quarta-feira, 18 de março de 2009

Livro Torturado por amor a Cristo



Pequena apresentação de trechos deste maravilhoso livro


Conteúdo publicado em http://martirescristaos.blogspot.com
Acesso em 18 de março de 2009.

domingo, 15 de março de 2009

GOVERNO DO AZERBAIJÃO CONFISCA LITERATURA CRISTÃ

A censura compulsória do Azerbaidjão em relação à literatura religiosa começou a afetar a exportação. A alfândega, por meio de ordens do governo, confiscou os livros de cidadãos que deixavam o país. “Sabemos que as autoridades ficam com os livros religiosos que entram no país, mas com os que saem?” questionou Ilya Zenchenko, presidente da União Batista. Zenchenko afirmou que dois batistas visitariam alguns colegas em vilarejos nativos no leste da Geórgia, mas quando atravessaram a fronteira, os oficiais confiscaram as Bíblias na língua local e os arquivos de computador com material cristão. A lei do Azerbaidjão não menciona a censura para a literatura religiosa exportada pelo país. Do mesmo modo, as regras da alfândega não tratam sobre o assunto. Apesar de os religiosos dizerem que o confisco de pequenas quantidades de livros diminuiu nos últimos anos, há diversos registros de cópias do Alcorão e da Bíblia que foram tomadas pelas autoridades. A censura azerbaijana requer que toda literatura religiosa impressa e importada no país receba uma permissão específica do comitê do Estado. Especifica-se também o número de cópias produzidas de cada trabalho, controla o que é vendido nas livrarias e tem uma lista de toda literatura banida, e que, portanto, não pode ser publicada. Seguindo sua prática comum, nenhum oficial do comitê estava preparado para discutir a censura à literatura religiosa, e não sabiam dizer por que é necessária uma permissão especial para os livros religiosos produzidos ou importados pelo país. Os livros são detidos e permanecem no estoque. Se recebem a permissão, entram no país. Se não, são confiscados, e é o importador que decide se retira o material ou se deixa para os oficiais destruírem. Se não forem declarados como literatura religiosa, o importador será ressarcido. Os oficiais do comitê falam para a mídia local sobre a literatura perigosa e extremista que tem sido confiscada pela alfândega. Em 2008, 59 títulos que “propagavam a intolerância religiosa e a discriminação” foram bloqueados, de 1.507 livros examinados.
Acesso em 15 de março de 2009

MOTIVO DE ORAÇÃO


A “cidade Sorriso”


A vila de Maceió fora desmembrada em 5 de dezembro de 1815, da Vila Madalena de Alagoas do Sul, (atual Marechal Deodoro). Em 9 de Dezembro de 1839 deu-se a elevação à condição de cidade, principalmente por causa do desenvolvimento advindo da operação do porto de Jaraguá e em 16 de dezembro de 1839, a inauguração do município, tendo seu primeiro intendente Augustinho da Silva Neves. Com o contínuo processo de desenvolvimento do município, veio a se tornar a capital da Província de Alagoas em 9 de dezembro de 1839.

No meio turístico Maceió é conhecida como o paraíso das águas, mas no meio sócio-econômico a realidade é bem diferente, os dados nos revelam uma contrastante situação que a cada dia se agrava, hoje ela é a 3ª capital mais violenta do Brasil, onde acontece a maioria dos homicídios do estado, conseguindo inclusive superar as cidades do Rio de Janeiro e São Paulo, quando é feita a relação de mortes por cada 100 mil habitantes. Em Maceió 104 pessoas são assassinadas a cada 100 mil. O número impressiona, quando, por exemplo, se registra apenas 23 por 100 mil em São Paulo.

Três carros são roubados todos os dias em Maceió. O delegado da especializada, Valdir Silva de Carvalho, constata que a média é de 60 veículos roubados por mês na capital. Destes, pelo menos 60% são recuperados pela polícia. A “cidade Sorriso” (Maceió) abriga um grande contingente de favelas, que servem de esconderijo para um alto número de traficantes de entorpecentes, a população destes locais acaba por ser envolvida, crianças são pagas para servir de “mensageiros” aos traficantes, nos tiroteios que acontecem entre a polícia e os bandidos, inocentes acabam sendo feridos e muitos mortos, Segundo dados 78% dos assassinatos registrados em Maceió as vitimas são jovens entre 19 – 29 anos , a grande maioria por envolvimento com drogas.

Lc. 6.12 nos diz “E aconteceu que, naqueles dias, subiu ao monte a orar, e passou a noite em oração a Deus.” Jesus é o nosso referencial de oração, Ele nos mostra a importância que a mesma tem para a vida diária de cada cristão, portanto oremos em favor de nossa cidade, para que o quadro venha ser revertido e a mesma venha ser verdadeiramente uma cidade sorriso, em que o maior índice não seja de desastres, mas sim de evangélicos, crentes seguidores de Jesus Cristo.


Autores: Carla Lima e João Kaycke

Resultados do Carnaval em Maceió

Durante período de 21 a 24 de fevereiro foi comemorado a festa chamada de Carnaval, pesquisas realizadas revelam que este ano foi menos violento do que o ano passado, principalmente pelo grande contingente de chuvas que assolaram nossa cidade durante a festa.

No total, de acordo com um balanço, foram registrados 27 acidentes em rodovias estaduais. Destes, 13 acidentes só com danos materiais, 14 acidentes com vítimas que tiveram ferimentos leves, escoriações e cerca de 5 vítimas fatais. Em comparação ao carnaval de 2008 onde foram registrados 37 acidentes, houve um decréscimo significativo.

Houve redução 38% nos homicídios, a polícia civil informou que foram registrados 26 assassinatos em todo o estado, destes 14 ocorreram em Maceió, um na região metropolitana e 11 no interior do Estado.

Os dados da Polícia Civil registraram ainda 53 lesões corporais, 56 casos de roubo e 95 furtos. Além disso, 21 pessoas foram detidas por dirigirem embriagadas e nove foram autuadas na Lei Maria da Penha (violência doméstica). As delegacias plantonistas registraram ainda 180 pequenas outras ocorrências, isto em todo o estado.

Com base em tudo isso se calcula que houve redução de mais de 30% na criminalidade, número que embora animador, mobiliza todos a uma conscientização maior, e a igreja principalmente a interceder a Deus por cada uma destas vidas, cumprindo assim a ordenança de Cristo.

REFLEXÃO


O carpinteiro


Um velho carpinteiro estava pronto para se aposentar, ele informou ao chefe o seu desejo de sair da indústria de construção e passar mais tempo com sua família. Ele ainda disse que sentiria falta do salário, mas realmente queria se aposentar.
A empresa não seria muito afetada com a sua saída, mas o chefe estava triste em ver um bom funcionário partindo. Ele pediu ao carpinteiro para trabalhar em mais um projeto como um favor, o carpinteiro concordou, mas era fácil ver que ele não estava entusiasmado com essa idéia.
Ele prosseguiu fazendo um trabalho de segunda qualidade e usando materiais inadequados, foi uma maneira negativa de ele terminar a sua carreira. Quando o carpinteiro acabou, o chefe veio fazer a inspeção da casa, depois deu a chave da casa para o carpinteiro e disse:
-Esta é sua casa, é o meu presente para você.
O carpinteiro ficou muito surpreso, que pena se ele soubesse que estava construindo sua própria casa teria feito tudo diferente. O mesmo acontece muitas vezes conosco, nós construímos nossa vida, um dia de cada vez e muitas vezes fazendo menos que o possível, depois surpresos descobrimos que precisamos viver nesta construção.
Se nós pudéssemos fazer tudo de novo, faríamos diferente, mas não podemos voltar atrás, você é o carpinteiro, todo dia você martela pregos, ajusta tábuas e constrói paredes, alguém disse que a vida é um projeto que você mesmo constrói, suas atitudes e escolhas hoje estão construindo a casa que você vai morar amanhã. Construa com sabedoria, trabalhe como se você não precisasse do dinheiro, ame como se você nunca tivesse sido magoado antes, dance como se ninguém estivesse olhando. Sempre que você for fazer alguma coisa faça bem feito.
As nossas ações devem ser responsáveis por tudo o que fazemos na vida, os frutos do que pensamos e fazemos, se queremos o bem para nós mesmos é preciso que façamos o bem para os outros. Não existe empresa 100% com funcionário 50%, construa a casa do outro pensando que você é quem irá morar nela, atenda as pessoas como se fossem da sua família. A vida é assim, as empresas de sucesso são assim, as pessoas de sucesso são assim.


Pense nisso!


Autor desconhecido

Entendendo como fazer missões segundo o exemplo de Filipe

João Kaycke
Amado leitor, para se compreender a obra missionária em toda a sua profundidade é preciso uma análise minuciosa dos versículos que tratam sobre a mesma, agora será feita uma análise de uma extraordinária experiência evangelística que teve o missionário Filipe, da qual se poderá extrair alguns princípios orientadores da prática de missões.
Antes de prosseguir com a leitura, leia a passagem bíblica registrada em Atos 8.26-40 que relata esse acontecimento, nessa ocasião Filipe tinha recebido uma ordem de Deus para ir à banda do sul, mas especificamente em Gaza, lá o mesmo recebeu uma orientação do Espírito Santo para se dirigir ao encontro de um eunuco que era o mordomo-mor de Candace, rainha da Etiópia, país localizado na África, que neste acontecido estava passando pela rua em seu carro lendo uma passagem do livro de Isaías, e nesse encontro o eunuco através da mensagem pregada por Filipe se converte a Cristo Jesus.
Queridos com esta experiência tiramos várias lições, primeiro, entendemos que Filipe era um homem guiado pelo Espírito Santo, pois não havia a menor possibilidade humana de uma comunicação entre Filipe que além de ser um homem comum, era judeu, de uma tradição que o impedia de juntar-se a um estrangeiro, e o eunuco que era um alto funcionário do governo etíope, não lhe sendo permitido conversar com um homem “qualquer”, no entanto Filipe guiado pelo Espírito Santo pregou a mensagem, segundo, Filipe não se deixou levar por preconceitos ou tradições humanas, pois ele entendia que todas as pessoas carecem da glória de Deus, não importando nacionalidade ou diferenças.
Terceiro, ele conhecia a bíblia porque interpretou corretamente a passagem lida pelo eunuco, todo aquele que quiser ser bem sucedido na obra de missões deve ter um conhecimento preciso da bíblia, quarto, Filipe não deixava de anunciar a Cristo, com isso temos que entender que Cristo deve ser o centro; tanto do testemunho pessoal de cada crente como da sua mensagem e também de sua missão evangelística.
Com este testemunho temos a visão da urgência de se pregar o evangelho, não olhando para dificuldades, limitações nem tão pouco as diferenças, mas tendo a sensibilidade de ouvir a voz de Deus quando nos chamar, a coragem de levar o evangelho independente de região ou cultura e a certeza de que Jesus confirmará os passos de um verdadeiro missionário.

Eventos lembram as mulheres e a necessidade missionária em Maceió

Atividades foram organizadas pela AD em Bebedouro
Divulgação
Culto de Missão com comemoração do Dia das Mulheres em Bebedouro

Dois eventos importantes deixaram o domingo (8 de março) mais dinâmico na Assembleia de Deus em Bebedouro, liderada pelo pastor Daniel Silva. O Dia Internacional das Mulheres e o Culto de Missões, cujo foco foi apresentar a necessidade missionária da cidade de Maceió, conscientizaram os cristãos sobre dois temas super atuais.

Para as mulheres, a programação foi marcada para o período da tarde com um estudo específico para elas.

A preletora do estudo, Vilma Marques, falou sobre a origem do Dia da Mulher e contou a história da personagem Eva, mulher de Adão. Segundo a pregadora, a missão da mulher é ser mãe, profetiza no lar e guerreira. “Seja a mulher que Deus quer que você seja... ame-se!”, aconselha.

Já no final da palestra, o auxiliar Eliel fez uma homenagem à sua esposa, irmã Arlete, com a entrega de um buquê de flores, uma cesta de chocolates e uma declaração de amor.

Àquelas que comparecem ao estudo foi preparado também sorteio de vários brindes.

CULTO MISSIONÁRIO – O trabalho de conscientização da Igreja em Bebedouro acerca do grande campo missionário instalado na capital alagoana foi iniciado no início da manhã. Por volta das 7h, um grupo se reuniu no templo para uma consagração. O jovem Sandiego Barbosa foi o pregador.

Durante a tarde, enquanto acontecia o estudo para as mulheres, uma equipe de jovens e adolescentes saiu pelas ruas do bairro com o objetivo de visitar os recém-convertidos.

A situação degradante a que está submetida à cidade de Maceió foi relatada de forma emocionante por dois jovens no culto à noite, cujo tema foi “Maceió, terra de contrastes”. Sandiego Barbosa e Thiago Ferreira – o último é o vice-coordenador do departamento de Missões – contaram testemunhos do que Deus tem feito na capital e o que ainda precisa acontecer.

O presbítero Cícero Lourenço falou, na mensagem da noite, sobre a glória da segunda casa e sobre salvação.

“Podemos ter tudo, casarão, mansão, mas, se tivermos tudo isso, e não tivermos Deus, isso é lixo”, disse o obreiro.

“Essa frase foi marcante pra mim e até agora estou pensando nela. Já ouvi muito essa frase, mas a expressão que ele usou hoje foi muito forte! Foi lindo”, comentou, no final do culto, a jovem Verônica Nunes.

Duas vidas se renderam aos pés de Jesus no momento do apelo.

Estiveram cantando a UMADEB, Coral Boas Novas, Conj. Infantil Novas de Sião, Conj. de Senhoras Novas de Alegria, a cantora Malquíria Lucas e o cantor Linaldo Barros (Branquinha).

SUBCONGREGAÇÃO - E na subcongregação da Rua Tobias Barreto, o jovem Jonas Porto foi o pregador da noite. Ele ministrou no tema "Desfazendo barreiras através de uma visão sobrenatural". Em um momento da mensagem, uma mulher ouviu uma profecia de Deus e não resistiu ao apelo. Ela aceitou Jesus e ainda foi curada após vomitar o que lhe prejudicava.

THIAGO GOMES
Com informações de Thiago Ferreira

Conteúdo publicado em http://www.jneweb.com.br/conteudo/?vCod=800&vEditoria=Congrega%E7%F5es

Acesso em 15 de março de 2009.


Fotos de Milael Ronadson

sábado, 7 de março de 2009

Bebedouro homenageia superintendente da EBD

Pr. Nerildo, cantor Valdério e o deputado Jota estavam presentes
Divulgação
Homenagens na Escola Bíblica de Bebedouro

Na manhã deste domingo, 1º de março, a escola dominical foi um pouco diferente do normal em Bebedouro. O clima ainda era de festa, mesmo tendo passado alguns dias do Congresso de Jovens e a Cruzada Cristo é a Resposta, onde mais de 100 pessoas aceitaram a Cristo.

O motivo: a homenagem ao superintendente da escola dominical Pb. Cícero Lourenço. O cantor Valdério, que estava participando do ensino, cantou o hino intitulado Você é especial. O aniversariante não conseguiu conter as lágrimas. Logo após, o Pb. Adilson leu um versículo para o aniversariante, representando todo o ministério local.

O pastor Daniel ressaltou o trabalho do obreiro à frente da escola dominical e o deputado Jota Cavalcante, também presente ao trabalho, fez uma oração agradecendo a Deus pelo aniversariante. Naquele dia, o ensino terminou um pouco mais cedo.

O pastor Nerildo Accioly, visitando a congregação, leu em Nm. 6.24, onde se encontra a bênção sacerdotal, e ministrou sobre as quatro coisas presentes na bênção de Deus: a proteção, o perdão, a paz e a prosperidade.

Antes, o deputado Jota Cavalcante expressou o desejo de levar a mocidade a uma igreja num povoado que ele tem dado assistência por nome de Pai Mané. Após fazer uma leitura bíblica no livro de Ap. 3.8, ele enalteceu o trabalho realizado pela congregação de Bebedouro.

CULTO DE MOCIDADE

Para completar a bênção do domingo, à noite foi realizado o Culto de Mocidade. Com o tema Jovem guarda o que tens, o culto teve a participação dos órgãos locais. Passaram pelo microfone os jovens Sâmia, Anderson, Johnatan Tenório, Anderson Felipe e Fátima Feitosa. Para a mensagem final, o Dc. Cleverton Vasconcelos, coordenador do Departamento Jovem Maranata, indicou a jovem Candace Menezes.

Pautada na leitura de I Jo 2.1, a jovem ministrou com ousadia e seriedade a palavra sobre a questão do perdão. A jovem lamentou que nos últimos dias pouco se fala sobre o perdão. E, para ilustrar tal temática, ela usou como exemplo a vida do rei Davi e do seu pecado. Disse que mesmo tendo cometido um grande pecado, o rei tomou uma posição de humildade e foi perdoado por Deus. Falou também da necessidade de a igreja tomar uma postura de entender o perdão de Deus sobre a vida dos que pecam.

LÍLIAN TOURINHO
Com informações de Thiago Ferreira

Conteúdo disponível em http://www.jneweb.com.br/conteudo/?vCod=769&vEditoria=Congrega%E7%F5es

Acesso em 07 de março de 2009.

Gabrielle batendo palmas para o aniversariante.

Fotos de Milael Ronadson

JERUSALÉM ATRAVÉS DOS SÉCULOS

“Se eu de ti me esquecer, ó Jerusalém, que se resseque a minha mão direita. Apegue-se-me a língua ao paladar, se me não lembrar de ti, se não preferir eu Jerusalém à minha maior alegria” (Sl 137.5-6).

Alexandre Magno conquistou Jerusalém em 332 a.C.

O rei Davi fez de Jerusalém a capital de seu reino e o centro religioso do povo judeu em 1003 a.C. (2 Sm 5.7-12). Cerca de 40 anos mais tarde, seu filho Salomão construiu o templo (centro religioso e nacional do povo de Israel ) e transformou a cidade em próspera capital de um império que se estendia do Eufrates até o Egito (1 Rs 6 a 10).

Nabucodonosor, rei de Babilônia, conquistou Jerusalém em 586 a.C., destruiu o templo e exilou seu povo (Dn 1.1-2). Cinqüenta anos depois, com a conquista de Babilônia pelos persas, o rei Ciro permitiu que os judeus retornassem à sua pátria e lhes concedeu autonomia. Eles construíram o segundo templo no local do primeiro e reconstruíram a cidade e suas muralhas (Ed 6; Ne 3 a 6).

Alexandre Magno conquistou Jerusalém em 332 a.C. Após sua morte, a cidade foi governada pelos ptolomeus do Egito e mais tarde pelos selêucidas da Síria. A helenização da cidade atingiu o auge sob o rei selêucida Antíoco IV (Epifânio); a profanação do templo e a tentativa de anular a identidade religiosa dos judeus deram origem a uma revolta.

Liderados por Judas Macabeu, os judeus derrotaram os selêucidas, reconsagraram o templo ( 164 a.C.) e restabeleceram a independência judaica sob a dinastia dos hasmoneus, que se conservou no poder durante mais de 100 anos, até que Pompeu impôs a lei romana a Jerusalém. O rei Herodes (Lc 1.5), o edomita que foi posto no poder pelos romanos para governar a Judéia (37- 4 a.C.), estabeleceu instituições culturais em Jerusalém, construiu majestosos edifícios públicos e remodelou o templo, transformando-o num edifício de glorioso esplendor.

A revolta dos judeus contra Roma irrompeu em 66 d.C., pois o governo romano tornara-se cada vez mais opressivo após a morte de Herodes. Durante alguns anos Jerusalém esteve livre da opressão estrangeira, até que em 70 d.C. as legiões romanas comandadas por Tito conquistaram a cidade e destruíram o templo. A independência judaica foi restaurada por breve período durante a revolta de Bar-Kochba (132-135 d.C.), mas os romanos novamente triunfaram. Os judeus foram proibidos de entrar em Jerusalém; o nome da cidade foi mudado para Aelia Capitolina e os romanos a reconstruíram, dando-lhe as feições de uma cidade romana.

A revolta dos judeus contra Roma irrompeu em 66 d.C.

Os exércitos muçulmanos invadiram o país em 634 d.C.

Por um século e meio, Jerusalém foi uma pequena cidade de província. Esse quadro modificou-se radicalmente quando o imperador bizantino Constantino transformou Jerusalém em um centro cristão. A Basílica do Santo Sepulcro d.C.) foi a primeira de um grande número de majestosas construções que se ergueram na cidade.

Os exércitos muçulmanos invadiram o país em 634 d.C. e quatro anos mais tarde o califa Omar conquistou Jerusalém. Somente durante o reinado de Abd el-Malik, que construiu o Domo da Rocha (Mesquita de Omar) em 691 d.C., Jerusalém foi por um rápido período a residência do califa. Após um século de domínio da dinastia omíada de Damasco, Jerusalém passou, em 750 d.C., a ser governada pela dinastia dos abássidas de Bagdá, em cuja época começou o declínio da cidade.

Os cruzados conquistaram Jerusalém em 1099 d.C., massacraram seus habitantes judeus e muçulmanos e fizeram da cidade a capital do Reino Cruzado. Sob o domínio dos cruzados, sinagogas foram destruídas, velhas igrejas foram reconstruídas e muitas mesquitas transformadas em templos cristãos. Os cruzados dominaram Jerusalém até 1187 d.C., quando a cidade foi conquistada por Saladino, o curdo.

Os turcos otomanos, cujo domínio se prolongou por quatro séculos, conquistaram a cidade em 1517 d.C.

Os mamelucos, que eram a aristocracia feudal militar do Egito, governaram Jerusalém a partir de 1250 d.C. Eles construíram numerosos e elegantes edifícios, mas viam a cidade apenas como um centro teológico muçulmano e a arruinaram economicamente, por seu desleixo e impostos exorbitantes.

Os turcos otomanos, cujo domínio se prolongou por quatro séculos, conquistaram a cidade em 1517 d.C. Suleiman, o Magnífico, reconstruiu as muralhas de Jerusalém (1537), construiu o Reservatório do Sultão e instalou fontes públicas por toda a cidade. Após sua morte, as autoridades centrais de Constantinopla demonstraram pouco interesse por Jerusalém. Durante os séculos XVII e XVIII, Jerusalém viveu um de seus piores períodos de decadência.

Jerusalém tornou a prosperar a partir da segunda metade do século XIX. Um crescente número de judeus que retornavam à sua pátria ancestral, o declínio do Império Otomano e o renovado interesse da Europa pela Terra Santa foram os fatores do reflorescimento da cidade.

O exército britânico, comandado pelo general Allenby, conquistou Jerusalém em 1917. Entre 1922 e 1948, Jerusalém foi a sede administrativa das autoridades britânicas na Terra de Israel (Palestina), que fora entregue à Grã-Bretanha pela Liga das Nações após o desmantelamento do Império Otomano no final da Primeira Guerra Mundial. A cidade desenvolveu-se rapidamente, crescendo rumo ao oeste, parte que se tornou conhecida como a “Cidade Nova”.

Jerusalém foi reunificada em junho de 1967.

Com o término do Mandato Britânico em 14 de maio de 1948 e de acordo com a resolução da ONU em 29 de novembro de 1947, Israel proclamou sua independência e Jerusalém tornou-se a capital do país. Opondo-se ao estabelecimento do novo Estado, os países árabes lançaram-se num ataque de várias frentes, o que deu origem à Guerra da Independência em 1948-49. As linhas de armistício, traçadas ao final da guerra, dividiram Jerusalém em duas partes: a Cidade Velha e as áreas ao seu redor, ao norte a ao sul, ficaram sob o domínio da Jordânia; Israel reteve o controle das partes ocidental e sudoeste da cidade.

Jerusalém foi reunificada em junho de 1967, em resultado de uma guerra na qual a Jordânia tentou apoderar-se da parte ocidental da cidade. O quarteirão judeu da Cidade Velha, destruído sob o domínio jordaniano, foi restaurado e os cidadãos israelenses puderam de novo visitar os seus lugares santos, o que lhes tinha sido negado desde 1948 até 1967. (Centro de Informação de Israel - http://www.beth-shalom.com.br)

Publicado anteriormente na revista Notícias de Israel, abril de 1999.

Contúdo disponível em http://www.beth-shalom.com.br/artigos/jerusalem_seculos.html
Acesso em 07 de março de 2009.

Bebedouro presencia mais de 80 conversões em cruzada

Somente esta semana foram mais de 100 vidas para Cristo
Divulgação
Cruzada Cristo é a Resposta em Bebedouro
A Igreja Assembleia de Deus em Bebedouro, liderada pelo pastor Daniel Silva, realizou nesta quinta-feira (26) a II Cruzada Cristo é a Resposta. O trabalho evangelístico reuniu em torno de 2 mil pessoas na tradicional Praça Lucena Maranhão. Impressionante foi a quantidade de almas que se renderam aos pés de Jesus, mais ou menos 80 vidas.
Mesmo com a chuva, a Igreja se alegrou com a grande colheita da noite. A mensagem foi pregada pelo pastor Daniel Silva. No meio da rua, um grupo de jovens da congregação apresentou uma peça sobre a crucificação, comovendo os espectadores. No momento do apelo, os obreiros chegaram a perder a conta do número exato de conversões.
Desde a realização do 8º Congresso de Jovens e Adolescentes da Assembleia de Deus no bairro (CONJADEB), no feriado de carnaval, já são mais de 100 almas para Jesus.
O grande departamento jovem Unidos Por Cristo, formado por jovens das igrejas circunvizinhas e que participaram do 8º CONJADEB, também o grande coral de senhores, vários cantores locais e visitantes, como a cantora Miriã Santos, cooperaram no momento de louvor.
O deputado estadual Jota Cavalcante, acompanhado do cantor Valdério Nascimento; o pastor Ederaldo (Ponta da Terra); o missionário Ricardo (dirigente da Igreja na Fazenda Urucu); além dos presbíteros Wilton (líder no bairro Saem); Avelino; Caçula (Saem); Josenildo; Valença (Jardim Glória);e Edson Romão (Parque Petrópolis) prestigiaram o evento.
Obreiros e caravanas de outros bairros, inclusive uma com irmãos da Igreja Batista Renovada igualmente marcaram presença.
Todo o evento foi transmitido on-line pela rádio www.radiofmnovaesperanca.com.
THIAGO GOMES
Com informações de Thiago Ferreira
Conteúdo disponível em http://www.jneweb.com.br/conteudo/?vCod=744&vEditoria=Congrega%E7%F5es
Acesso em 07 de março de 2009.

Fotos de Milael Ronadson

96 batismos e mais de vinte conversões em Bebedouro

CONJADEB vai ficar na história
Milael Ronadson
Encerramento da festa dos jovens em Bebedouro

BEBEDOURO - O líder da Assembleia de Deus em Bebedouro, pastor Daniel Silva, costuma repetir que a congregação está em chamas. E está mesmo. O 8º Congresso de Jovens e Adolescentes (CONJADEB) ficou marcado pelo Senhor por conta dos 96 batismos no Espírito Santo e as mais de 20 conversões nos quatro dias do evento, realizado no feriado de carnaval.

A glória foi tanta que muitos deixavam o tempo ainda sentindo o poder de Deus após os cultos festivos. Pregadores da terra e os pastores Elias Torralbo (RJ), Erkki Messias (GO) e Márcio Ezequiel (PR) utilizaram o púlpito para a ministração da Palavra de Deus. Departamentos de louvores da congregação e cantores da terra adoraram ao Senhor.

No último dia da festa houve culto pela manhã, à tarde e durante a noite. Logo cedo, o responsável pela pregação foi o presbítero Cícero Lourenço, coordenador geral do congresso. Ele relatou a vida de Josué para transmitir uma palavra de incentivo para a Igreja. Quatro pessoas foram batizadas no Espírito Santo.

O deputado estadual Jota Cavalcante, acompanhado de sua esposa e do cantor Valdério Nascimento, prestigiaram o evento. O parlamentar anunciou para ainda este ano um grande congresso com a juventude que congrega na 5ª Região da Capital.

O pastor Márcio Ezequiel deu o estudo bíblico à tarde e falou sobre a presença do povo de Deus na terra do Egito. Vários irmãos foram curados na ocasião, destaque para uma jovem que vomitava males assim que Deus se revelou. Muitos receberam o dom do batismo e outros tiveram um encontro com Jesus.

Um fato chamou a atenção e alegrou a Igreja. De acordo com Márcio Ezequiel, na noite de segunda-feira, 23, houve uma cura pela internet. O ministro relatou que uma irmã que sofria há 24 anos com nódulos na tireóide foi operada milagrosamente por Jesus enquanto ela escutava a pregação pela internet. A mulher foi tocada pelo Espírito Santo e começou a expeliros tumores.

À noite, o pastor Daniel Silva pregou sobre os propósitos da unção. Com base neste tema, vidas foram tocadas e outras salvas. No total, 96 pessoas foram batizadas no Espírito Santo nos quatro dias do congresso e mais de 20 converteram-se ao Evangelho. Os cantores Linaldo Barros (Branquinha), Saulo (Tabuleiro do Martins), Abdias Guilherme (Farol) louvaram no encerramento.

PROGRAMAÇÃO - Hoje ainda tem culto com as Senhoras e, nesta quinta-feira (26), a congregação prepara uma Grande Cruzada, na Praça Lucena Maranhão.

Você pensa que pára por aí?! Não. Na sexta-feira (27), a igreja se prepara para mais uma mega vigília que terá mais 500 cadeiras e um telão para comportar os irmãos. Isto foi preparado para comportar as mais de 1500 pessoas que lotaram o templo na última vigília, realizada no mês de janeiro.

E, no domingo, mais um grande culto com a mocidade avivada de Bebedouro.

Da Redação do Portal Novas de Esperança (www.adalagoas.com.br)
Direto de Bebedouro, com Thiago Ferreira e Milael Ronaldson

Conteúdo disponível em http://www.jneweb.com.br/conteudo/?vCod=731&vEditoria=Congrega%E7%F5es

Acesso em 07 de março de 2009.

Fotos de Milael Ronadson

DINAMI: Dia Nacional de Missões

DINAMI: Dia Nacional de Missões

Janela 10/40 O Maior Desafio Missionário da Atualidade.

Janela 10/40 O Maior Desafio Missionário da Atualidade.

Seguidores

Share

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More