domingo, 22 de março de 2009

GALERIA DOS PRESIDENTES DA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ALAGOAS

OTTO NELSON (1915-1930)

OTTO NELSON (1915-1930)

Otto Nelson nasceu em 11 de agosto de 1881, no Estado de Smáland, na Suécia. Quando tinha 29 anos, o seu país foi abalado por uma grande crise econômica que envolveu toda a Europa, obrigando-o a emigrar para os Estados Unidos em busca de trabalho.

Otto Nelson aceitou a Jesus como salvador nos EUA e, alguns meses depois, foi batizado nas águas. Em 1911, ele foi batizado com o Espírito Santo. Neste dia, o Senhor lhe fez uma clara chamada para a obra missionária. Nesta ocasião, os pioneiros Gunnar Vingren e Daniel Berg estavam evangelizando no Norte do Brasil, e foi para esta região que Otto Nelson sentiu a direção de Deus para atender ao chamado do Senhor.

Recém-casado com a jovem Adina Petterson Nelson, o missionário chegou em Belém do Pará em 1914. Sendo eloquente pregador, teve a sua primeira oportunidade para pregar a palavra de Deus em solo brasileiro no dia 21 de julho de 1915.

Otto Nelson e sua esposa Adina foram agraciados por Deus, quando trabalhavam em Alagoas, com três filhas e um filho, este logo faleceu. Após quinze anos de serviço prestado à Assembleia de Deus em Alagoas, Otto Nelson seguiu adiante no cumprimento de sua missão, deixando atrás de si uma herança, tanto espiritual, como patrimonial. Logo após a sua saída de Alagoas, Otto Nelson transferiu-se para Salvador, na Bahia, cooperando também no Estado de Sergipe, organizando e supervisionando a Assembleia de Deus nesse Estado.

Em 1938, Otto Nelson sentiu a direção divina de ir trabalhar na Argentina, para onde seguiu com a sua esposa e filhas. Na Argentina, ele trabalhou durante sete anos na cidade de Mar del Plata, província de Buenos Aires. Em 1945, Otto Nelson transferiu-se para o Rio de Janeiro, onde trabalhou até 1948. Após isto, sentiu a direção de Deus para trabalhar no Uruguai, onde permaneceu até 1960.

Em 1970, quando Otto Nelson estava com 89 anos, ele visitou pela última vez o Estado de Alagoas, ocasião em que foi homenageado com uma linda bandeja de prata, na qual estava escrito o Salmo 126. Hoje, Otto Nelson é lembrado como um homem de Deus, que marcou grandemente a história da Assembléia de Deus em Alagoas. Não somente como o seu pioneiro, mas como tendo deixado um vasto legado espiritual e uma sólida base doutrinária na qual gerações de crentes pentecostais neste Estado têm firmado a sua fé.

ANTÔNIO RÊGO BARROS (1931-1963)

ANTÔNIO RÊGO BARROS (1931-1963)

O pastor Antônio Rêgo Barros nasceu em 15 de junho de 1887, no Estado do Ceará. Aceitou Jesus como Salvador na cidade de Belém do Pará, ainda muito moço. Nos anos de 1928 e 1929, auxiliou o missionário Lars Eric Samuel Nystron, então pastor da Assembléia de Deus em Belém. Foi enviado pela igreja para pastorear no Ceará em dois períodos: de 1922 a 1923 e de 1929 a 1931. Em 1931, foi transferido para Maceió, onde presidiu a Assembléia de Deus em Alagoas por 32 anos. O pastor Antônio Rêgo Barros era considerado um homem de profundo conhecimento bíblico e um obreiro muito experiente.

O pastor Barros, como era chamado pelos irmãos, destacou-se como um obreiro de extremo zelo pela obra de Deus e que muito contribuiu para o embasamento doutrinário de centenas de crentes e obreiros que passaram debaixo do seu cajado, imprimindo desta forma, no rebanho que estava ao seu cuidado, um profundo respeito pela sua pessoa.

Em sua gestão, no ano de 1937, a cidade de Mata Grande, no alto sertão alagoano, hospedou a convenção da Assembléia de Deus em Alagoas. Esta foi a primeira cidade alagoana a hospedar uma convenção. Segundo relatos confiáveis da época, compareceram, entre outros, os missionários Orlando Boyer, Dalas Johnson e Horácio S. Ward, que ministraram estudos bíblicos durante o dia e a pregação da Palavra de Deus à noite.

O pastor Antônio Rêgo Barros praticamente foi quem estruturou a igreja em Alagoas, principalmente na capital, criando diversos órgãos de louvor, escola secular e outros departamentos de grande relevância.

GUSTAV ARNE JOHANSSON (1963-1965)

GUSTAV ARNE JOHANSSON (1963-1965)

O missionário Gustav Arne Johansson nasceu em 04 de outubro de 1932, na província de Halland, Falkeberg, Suécia. Seu pai chamava-se Gustav Adolf Johansson e sua mãe chamava-se Eira Ingregard Johansson. Converteu-se ao evangelho em 5 de agosto de 1939, aos seis anos. Em 1942, quando tinha dez anos, no dia 02 de abril, desceu as águas batismais. Cinco anos após o seu batismo nas águas, isto é, em 17 de setembro de 1947, foi batizado com o Espírito Santo.

Gustav Arne Johansson sentindo a chamada de Deus para a obra missionária, em 17 de outubro de 1954 foi ordenado missionário, em sua terra natal, a Suécia. Em 1955, casou-se com a irmã Ruth May Johansson. Desta união, nasceram-lhes sete filhos: Per-Arne, Lars Gustav, Ruth Birguita, John Levi, Sven Ake, Bo-Davi e Nils Erik.

O missionário Gustav Arne Johansson chegou ao Brasil em 21 de novembro de 1954, indo trabalhar, inicialmente, no interior de São Paulo, na cidade de Caçapava, tendo assumido este trabalho em 19 de março de 1956. Após um curto período de trabalho nesta cidade, transferiu-se para a cidade de Barreiras, no Estado da Bahia, onde fundou a Assembleia de Deus.

Chegou em Maceió no dia 20 de fevereiro de 1961. Assumiu a presidência da igreja em 10 de novembro de 1963, numa fase de delicada transição. Após dois anos de atuação como presidente da igreja em Alagoas, o missionário Gustav Arne Johansson passou a presidência para o pastor Jovenal Pedro da Silva, no dia 01 de janeiro de 1965.

Após haver entregado a presidência da igreja, o missionário Gustav Arne Johansson seguiu para Arapiraca, onde pastoreou a Assembleia de Deus nesta cidade, no período de 15 de janeiro a 04 de abril de 1965, havendo sido substituído pelo pastor Levino Barbosa.

Havendo terminado a sua missão em Alagoas, o missionário Gustav Arne Johansson e sua família, em 1976, seguiu para Teresina, no Estado do Piauí, onde permanecem até esta data.

JOVENAL PEDRO DA SILVA (1965-1971)

JOVENAL PEDRO DA SILVA (1965-1971)

O pastor Jovenal Pedro da Silva nasceu no município de Coruripe, interior de Alagoas, no dia 16 de agosto de 1916. Era filho de João Pedro da Silva e Maria Francisca da Silva. Aos 20 anos de idade, isto é, em 1936, converteu-se ao evangelho. No ano seguinte foi batizado nas águas, e, um ano após o seu batismo, ou seja, em 1938, recebeu o batismo com o Espírito Santo. Neste mesmo ano foi separado para servir no diaconato da igreja, e, em 1941, foi ordenado a evangelista. Dois anos após esta ordenação, ascendeu ao ministério pastoral, havendo sido ordenado em 27 de outubro de 1943 na gestão do pastor Antônio Rêgo Barros.

Casou-se com Josefa Pedro da Silva, com a qual viveu 64 anos, nascendo desta união Carmy, Clemente, Cleonice, Claudinete, Carmem Lúcia, Claudicéia, Cleide, Cássia, Damares e Jônatas. Como pastor trabalhou nas cidades de Porto de Pedras, Maragogi, Paulo Afonso (Bahia), Garanhuns (Pernambuco) e Porto Calvo. Por necessidade do trabalho na capital, foi convidado pelo pastor Antônio Rêgo Barros para auxiliá-lo por duas vezes.

O pastor Jovenal Pedro era conhecido como um homem que tinha uma vida de intensa oração, pois passava horas de joelhos dobrados diante de Deus. Por isso, foi um homem de grande envergadura espiritual, vista e atestada por centenas de pessoas que o conheceram. Seu primeiro campo de trabalho foi a cidade de Porto de Pedras, no litoral de Alagoas. Como um homem de larga visão evangelística, e que sabia o valor de uma alma perante os olhos do Salvador, o pastor Jovenal Pedro foi pioneiro no envio de missionários para o exterior.

Em sua gestão foram comemorados os cinquenta anos de fundação da Assembléia de Deus no Estado de Alagoas. Sob a sua liderança foi realizada também a primeira confraternização de jovens da Assembleia de Deus em Alagoas, cujo dirigente era o diácono Sidrônio Castanha de Oliveira. Segundo relatos de pessoas dessa época, esta confraternização foi grandemente abençoada pelo Senhor.

Após seis anos de atuação como pastor-presidente, entregou a liderança da igreja ao seu sucessor, pastor Manoel Pereira Lima (in memorian), e voltou a trabalhar no interior do Estado, precisamente na cidade de Porto Calvo, a qual englobava como congregações as cidades de Campestre, Jundiá, Jacuípe e Usina Santa Terezinha.

Como bom soldado de Cristo, o pastor Jovenal Pedro trabalhou em Porto Calvo até as suas forças físicas se exaurirem, e, por causa de algumas enfermidades, solicitou a sua jubilação ministerial. Este ilustre servo de Deus morreu no dia 9 de março de 2005, em Maceió, deixando após si um grande número de filhos na fé e obreiros que tiveram a oportunidade de serem formados ministerialmente por este gigante espiritual.

MANOEL PEREIRA LIMA (1971-1986)

MANOEL PEREIRA LIMA (1971-1986)

O pastor Manoel Pereira Lima nasceu no dia 26 de agosto de 1920, no município de Santana do Ipanema, no alto sertão de Alagoas. Seu pai chamava-se João Pereira de Souza e sua mãe Maria Francisca da Luz. Aos 25 anos de idade aceitou a Jesus como Salvador. Casou-se com Juvita Rodrigues de Lima, de cuja união nasceram os filhos José, Luiz, Maria, Ana, Ester, Elian e Isac.

Em abril de 1946, recebeu o batismo com o Espírito Santo, e, no dia 29 de setembro de 1947, foi batizado nas águas. Quando o pastor Manoel Pereira Lima tinha apenas três meses de crente, uma irmã profetizou que ele seria pastor da Assembleia de Deus, profecia esta que teve o seu fiel cumprimento. Serviu como auxiliar e diácono da igreja em Santana do Ipanema, de 4 de abril de 1946 a 26 de abril de 1959.

Por motivo superior, o pastor José Tavares, que pastoreava a Assembléia de Deus em Santana do Ipanema, entregou a liderança ao pastor Antônio Rêgo Barros e viajou para o sudeste do Brasil, ficando a igreja sem pastor. Devido ao pouco número de, o irmão Pereira, como carinhosamente era chamado pelos irmãos, foi designado, então, pelo pastor-presidente para assumir o pastorado da igreja nesta cidade, na época ainda servindo como diácono. Havendo desempenhado fielmente a liderança da igreja em Santana do Ipanema, o pastor Antônio Rêgo Barros o ordenou para o ministério de evangelista, em 26 de abril de 1959, e em 01 de abril de 1969 foi ordenado ao ministério pastoral, na gestão do pastor Jovenal Pedro da Silva.

Após encerrar o pastorado da igreja em Santana do Ipanema, foi transferido para a cidade de Porto Calvo, na região norte de Alagoas. Daí seguiu para a cidade de Arapiraca, assumindo em seguida a presidência da igreja no Estado em maio de 1971.

A gestão do pastor Manoel Pereira Lima, como presidente da igreja, foi marcada por muitas realizações, tanto na área espiritual, como ministerial e patrimonial, pois expandiu o evangelho pelos bairros de Maceió. Construiu uma escola de ensino de primeiro grau; edificou um lar para idosos e trouxe para Alagoas a Escola de Teologia da Assembleia de Deus no Brasil (Esteadeb), não se descuidando também da igreja no interior do Estado, pois abriu novos campos de evangelização, recrutando muitos obreiros para atendê-los.

Presidente atual

JOSÉ ANTONIO DOS SANTOS (1986)

JOSÉ ANTONIO DOS SANTOS (1986)

Em 5 de dezembro de 1931, na cidade de Santana do Ipanema-AL, nasce o garoto José Antonio, filho de Alcides Antonio dos Santos e Otília Cavalcante dos Santos. Com uma infância simples e com muitas dificuldades, trabalhava na roça para ajudar os pais no orçamento doméstico, até que, aos 14 anos, decidiu aprender uma profissão.

“Espelhei-me num sapateiro chamado Nô Marcolino, que hoje não está entre nós. Eu andava 12 quilômetros para aprender a profissão, e com menos de dois anos já estava vivendo por conta própria”, relata o pastor José Antonio dos Santos, que há 22 anos preside a Assembleia de Deus em Alagoas, é o responsável pela União dos Ministros das Igrejas Assembleias de Deus no Nordeste (Umadene) e vice-presidente da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB).

Ele conta que ainda jovem tomou a decisão de viajar e tentar a vida em outro lugar. Passou por Sergipe, Paraíba e São Paulo, onde trabalhou num cafezal. Lá foi convidado para liderar 40 homens, quando ainda tinha 22 anos, demonstrando, com isso, sua vocação para a liderança.

Em São Paulo conheceu a jovem Francisca, com quem se casou. Voltou para Alagoas quando tinha 24 anos, por motivo de doença, mas já tinha ouvido falar em Jesus Cristo numa fazenda paulista.

No mês de junho de 1955 (com 24 anos) aceitou a Jesus Cristo como seu salvador, e, depois, com alguns dias, sua esposa também aceitou. Ele foi batizado em Maceió no mês de agosto de 1956, no ano anterior tinha sido batizado no Espírito Santo. Foi separado para o diaconato em agosto de 1958. Dois anos depois passou a presbitério e em 1962 foi ordenado ao ministério de pastor-evangelista.

Formado em Teologia pelas Escolas Teológicas das Assembleias de Deus no Brasil, bacharel em Teologia pela Faculdade de Filosofia e Teologia de Alagoas e doutor em Divindade pela Faculdade de Filosofia e Teologia Filadélfia, é conhecido carinhosamente, em todo o Brasil, como “Pastor Neco”, e sua simplicidade é admirada em todos os países que tem visitado, confirmando a Palavra do Senhor: “Os passos de um homem são confirmados pelo Senhor”. É um conferencista respeitado em toda a América Latina. Pai de seis filhos – Jota, Jemima, Geilza, Jedida, Jesana e Jeilma – vem conciliando o tempo entre a igreja e a família.

A presidência

Na função de vice-presidente da igreja, o pastor José Antônio dos Santos assumiu a presidência interinamente em novembro de 1985, pois o pastor Manoel Pereira Lima adoeceu gravemente, ficando impossibilitado de exercer as suas atividades. Durante seis meses consecutivos, o pastor José Antônio dos Santos esteve à frente da igreja e do ministério em todo o Estado de Alagoas, desempenhando de forma íntegra e fiel as suas atividades, sem demonstrar nenhuma pretensão ou qualquer ambição pela posição que ocupava.

O pastor Manoel Pereira Lima veio a falecer, acontecimento que repercutiu em todo o Estado de Alagoas e no Brasil. Mas, mesmo diante de tão lamentável acontecimento, o pastor José Antônio dos Santos, visivelmente consternado com a morte do seu líder, na qualidade de pastor-presidente interino, manteve-se firme e sereno, conduzindo de forma equilibrada e sensata a igreja do Senhor até que um novo líder assumisse a direção.

Havendo a necessidade de ser eleito um novo pastor-presidente para liderar a Assembléia de Deus em Alagoas, o pastor José Antônio dos Santos, que até então estava interinamente presidindo a igreja, convocou o ministério alagoano para realizar a eleição do novo líder estadual no dia 03 de junho de 1986. Muito prudentemente convidou para presidir a referida eleição o pastor José Rodrigues Sobrinho, presidente da Assembleia de Deus de Sergipe. Para que houvesse lisura no processo eletivo do novo presidente, o pastor Rodrigues assumiu a presidência da igreja em Alagoas, oito dias antes da eleição, garantindo transparência e honestidade na escolha.

No dia 03 de junho, data para a eleição do novo líder, no auditório do templo-sede, o pastor José Antônio dos Santos agradeceu a confiança a ele depositada durante nove anos como vice-presidente e seis meses na qualidade de presidente interino. Logo em seguida, o pastor José Rodrigues Sobrinho solicitou ao ministério que os candidatos à presidência da igreja se apresentassem para que fosse eleito, dentre eles, o novo pastor-presidente. Diante do silêncio do seleto auditório de pastores e evangelistas da Assembleia de Deus em Alagoas, o presidente da reunião, pela segunda vez, solicitou que os candidatos ao cargo de pastor-presidente se apresentassem. Diante desta segunda solicitação, um grupo de líderes apresentou o pastor José Antônio dos Santos, que neste momento estava sentado junto aos demais obreiros, no auditório, como sendo o único candidato ao referido cargo. Diante da indicação do pastor José Antônio dos Santos, sem nenhum outro obreiro ter se apresentado como candidato, ele foi eleito por unanimidade.

Havendo sido eleito pastor-presidente, o pastor José Antônio dos Santos convocou imediatamente o presbitério da capital para comunicar-lhe a sua eleição efetuada pelos obreiros do interior do Estado e, ao mesmo tempo, pedir-lhes também a aprovação. Da mesma forma, os presbíteros da capital aprovaram a sua eleição, e, no dia 6 de junho de 1986, assumiu efetivamente a presidência da igreja e do ministério em todo o Estado de Alagoas.

Na noite da sua posse, ladeado por pastores de diversos estados, por sua família, pelo ministério local e pela igreja, o pastor José Antônio dos Santos afirmou que desejava desenvolver o ministério presidencial marcado por três coisas, que eram a unção, a união e a alegria. Realidade esta que aqueles que o acompanham ao longo de todos esses anos de abençoada presidência têm atestado em sua gestão.

Grandes eventos

Na gestão do pastor José Antônio dos Santos, eventos de grande porte têm sido realizados em Alagoas.

  • Curso de Aperfeiçoamento de Professores da Escola Dominical (Caped), realizado no período de 24 a 28 de julho de 1996, com pessoas de diversas partes do Brasil;
  • Cruzadas evangelísticas de médio e grande portes, como as que foram promovidas pelo Ministério Bernard Johnson e Cristo é a Resposta, que resultaram na conversão de centenas de vidas para o Reino de Deus;
  • Segunda Confraternização da Mocidade da Assembleia de Deus em Alagoas, que teve início em 21 de janeiro de 1990, sob a coordenação do evangelista Jamiel de Oliveira Lopes;
  • Jubileu de Diamante, o qual mobilizou toda a igreja no Estado de Alagoas. Este evento aconteceu no período de 22 a 27 de agosto de 1990, e marcou os setenta e cinco anos de fundação da igreja. Foi uma das maiores comemorações já vistas no calendário, não somente da igreja, mas também da sociedade alagoana. Durante o dia eram ministrados estudos bíblicos, por renomados pastores da Assembleia de Deus do Brasil e à noite aconteciam os cultos evangelísticos no Estádio Rei Pelé, aonde centenas de pessoas aceitaram a Jesus como Salvador;
  • Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil, que ocorreu no período de 27 a 31 de janeiro de 2003. Nesta Convenção foi realizada a 36ª Assembléia Geral Ordinária, e, segundo os órgãos oficiais da denominação no Brasil, “bateu recorde em número de inscritos” que foram mais de três mil. As plenárias convencionais ocorreram no Ginásio de Esportes Presidente Fernando Collor de Melo e os cultos no Estádio Rei Pelé;
  • 90 Anos de Fundação da Assembleia de Deus em Alagoas, que ocorreu de 25 a 27 de agosto de 2005. Foi amplamente divulgado e muito prestigiado por centenas de pessoas que à cada noite se dirigiam para o Estádio Rei Pelé, onde foram realizados os cultos.

Fonte de pesquisa
História da Assembleia de Deus em Alagoas, do pastor José Laelson da Silva
Periódicos do Jornal Novas de Esperança

Conteúdo disponível em http://www.jneweb.com.br/institucional/galeria_do_presidente/

Acesso em 22 de março de 2009.

0 comentários:

Postar um comentário

DINAMI: Dia Nacional de Missões

DINAMI: Dia Nacional de Missões

Janela 10/40 O Maior Desafio Missionário da Atualidade.

Janela 10/40 O Maior Desafio Missionário da Atualidade.

Seguidores

Share

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More