quinta-feira, 16 de abril de 2009

PEÇAS E JOGRAIS EVANGELICOS

A OUTRA FACE DA CHINA

NARRAÇÃO: Milhares de chineses nunca ouviram a mensagem da cruz, vivem sem saber que existe um Deus verdadeiro, que os ama e morreu por eles. Por outro lado, vem nascendo na China uma igreja forte, corajosa e cheia do Espírito Santo. Em tudo são atribulados mas não angustiados, perplexos mas não desanimados, perseguidos mas não desamparados, abatidos mas não destruídos. Mesmo diante de toda perseguição e dificuldade, diariamente milhares de chineses aceitam Jesus Cristo como Senhor e Salvador. Muitos são batizados nos rios gelados, durante a noite se reúnem secretamente nas casas ou em lugares afastados, em comunhão e sinceridade de coração, comemorando a volta do Senhor até que Ele venha. Alguns cultos são realizados em barcos e em alto mar, nossos irmãos chineses cantam e glorificam a Deus com alegria. Outros enfrentam o frio e a neve para buscar um momento de intimidade com o Pai e adorá-lo em secreto. Muitos cultos são realizados antes do sol nascer, em algumas casas um pequeno banheiro se transforma num altar de adoração, um refúgio secreto para exaltar ao Senhor dos Exércitos. Ainda que o único lugar disponível para orar seja junto aos animais, um estábulo, essa será sempre a imagem da igreja chinesa. Uma igreja que caminha de joelho, uma igreja que caminha aos pés de Jesus recebendo graça e poder para permanecer firme diante das mais terríveis dificuldades. Mesmo quando são perseguidos, encerrados na prisão e tratados como criminosos, eles não se dobram, ao contrário do que se imagina, eles se encontram fortalecidos e felizes por serem achados dignos de sofrer por amor a Cristo.

OBS.: Entra alguns irmãos que se comunicam com folhetos, que mostram aonde vão se encontrar.

IRMÃO: Quero falar com você hoje à noite. Vamos nos encontrar? Nesse pedaço de papel está o endereço.

OBS.: Entram algumas pessoas e depois a polícia chinesa.

PASTOR: Vamos embora, porque tem pessoas nos observando.

OBS.: Sai todo rapidamente e se espalha na igreja. Uma das pessoas mostra aos policiais os irmãos evangelizando e a polícia sai para a perseguição.

NARRAÇÃO: Na noite marcada os irmãos foram no lugar marcado, na casa da irmã Maria.

OBS.: Entram todos desconfiados e ficam orando enquanto entram outros irmãos.

PASTOR: Irmã Maria!

MARIA: Qual é o seu nome?

PASTOR: Por que pergunta o meu nome se sabe que sou um cidadão do céu!?

MARIA: É o pastor!

OBS.: Entra o pastor e dá uns abraços em todos e mostra que achou uma página da Bíblia (Ler salmos 7.1)

PASTOR: Olha o que eu achei! Eu achei uma página da Bíblia. Vamos adorar a Deus por esta página da Bíblia. Se coloquem de joelhos igreja, adore com a gente por esta página, porque Ele teve misericórdia de nós. Será que vocês podem se colocar de joelhos?

OBS.: Canta o hino (sara esta nação)

OBS.: Aparece a polícia chinesa.

SOLDADO 1: O que vocês estão fazendo? Parem de cantar, nós vamos entrar!

SOLDADO 2: Parem com isso! Iremos entrar agora!

SOLDADO 1: Prendam todos! Onde está o pastor?

OBS.: Todos ficam calados, mas o soldado aponta a arma para a cabeça de uma pessoa e pergunta, quem é o pastor e o pastor se levantar.

SOLDADO 1: Quem é o pastor?

PASTOR: Sou eu!

SOLDADO 2: É você mesmo que nós estávamos procurando. Soldados levem todos e leve o pastor para a sala de interrogatório.

NARRAÇÃO: Segundo os membros da igreja domiciliar da irmã Maria e informações enviadas da prisão, dezenas de membros de várias igrejas foram aprisionados naquela mesma noite e espancados com cassetetes, agredidos com cassetetes elétricos e queimados com cigarros.
Se desmaiavam, eram reanimados com baldes de água fria. Os interrogadores pisavam os dedos dos homens e tiravam as roupas das mulheres choques mais jovens e abusavam delas. “Eles deram choques com cassetetes elétricos no meu corpo inteiro.” Disse uma das jovens tentando conter as lágrimas. “a intenção deles era nos humilhar”. Ela foi torturada com surras mas resistiu com bravura. O pastor, mesmo quando esteve perto de ser morto, ele não revelou os nomes dos membros da sua congregação, nem assinou a declaração renunciando a fé cristã.
A tortura física foi quase insuportável, mas a tortura mental foi ainda pior. Então levaram-no ao seu comandante.

OBS.: O pastor entra na igreja, sendo levado com as mãos machucadas e o rosto manchado de sangue.

COMANDANTE: Quem é o homem que está indo contra o estado!?

SOLDADO 1: Olha ele aqui!

COMANDANTE: Fizeram o que eu mandei!?

SOLDADO 1: Olha para as mãos dele e para o rosto.

COMANDANTE: Então ele não negou e nem disse quem são os membros? Nós não vamos te machucar, só queremos conversar.

OBS.: O pastor fica calado e não olha pra ninguém.

COMANDANTE: olha pra mim seu miserável!

OBS.: o comandante começa a bater no pastor.

COMANDANTE: Aqui na China, nós preservamos a dignidade do nosso estado.

OBS.: O comandante manda trazer a Bíblia.

COMANDANTE: tolerância é garantida no nosso país. Peguem o livro.

PASTOR: Não, não! A Bíblia não!

COMANDANTE: Você ainda acredita em Deus? Você ainda acredita em Jesus?

OBS.: Os soldados puxam os cabelos do pastor, bate no seu rosto, o empurra no chão, pisa em suas mãos e o pastor canta um hino (Rude Cruz HC nº 191)

PASTOR: Rude cruz se eregiu...

COMANDANTE: Cale a boca, cale a boca, então não tem acordo. Eu te declaro culpado!

OBS.: O pastor faz uma oração

PASTOR: Eu te seguirei até o mais longe que eu puder chegar, eu sou o teu servo, eu sou teu filho, me ajude!

COMANDANTE: Levem-no daqui!

NARRAÇÃO: O crescimento do movimento cristão começou a acelerar a partir do massacre da Praça Tiananmen (da Paz Celestial), em 4 de junho de 1989. Na área de Nantchang, por exemplo, um jornal comunista noticiou quem em certo município chamado Tchincsien havia vinte crentes em 1984, mas este número cresceu para mais de seis mil em 1991. Porque o cristianismo cresceu tão rapidamente na China? Um dos pioneiros do atual movimento das igrejas-domiciliares, pastor Samuel Lamb, passou vinte anos em vários presídios chineses por causa das suas atividades evangelísticas clandestinas. Ele explicou aos representantes da VDM que, enquanto o governo tenta destruir a igreja não registrada intensificando os seus esforços para suprimi-la, o resultado é exatamente o contrário: a igreja continua a crescer rapidamente na medida em que o governo comunista intensifica a perseguição contra os cristãos. A perseguição é o combustível que alimenta as chamas do avivamento. “Antes de eu ser preso, a minha igreja tinha só 200 membros. A primeira vez que sai da cadeia, descobri que a igreja tinha crescido para 900 membros! Antes do confisco, éramos 900. Depois do confisco, a igreja cresceu para 2 mil membros!” o velho pastor abriu um largo sorriso, piscou o olho, olhou nos olhos do nosso representante e exclamou: “perseguição bom para igreja!”


Autoria - Mariano Siqueira


O CLAMOR DE BATUM

Para o Culto de Missões


CENÁRIO 1 – DESESPERO NA ALDEIA DE BATUM

Índio de outra aldeia –Sokiboyoki, liloba na Nzambe te, bokokende na lifelo!
(Se vocês não ouvirem o evangelho irão para o inferno!)

Batum –Ndengeniniyooyebiyango?
(como você sabe disso?)

Índio de outra aldeia – Sokiboyoki, liloba na Nzambe te, bokokende na lifelo!
(Se vocês não ouvirem o evangelho irão para o inferno!)

(A insistência do índio de outra aldeia leva toda aldeia de Batum chorar em desespero)

Narrador: Porque esse pranto? Porque esse desespero ? É a tristeza de um povo que acaba de saber o seu trágico destino eterno. O índio de outra aldeia, após ter ouvido o evangelho pregado pelos missionários, dirigiu-se a aldeia de Batum, dizendo-lhes insistentemente que, se não ouvissem o evangelho, iriam para o inferno. Essa novodade causa choque e desespero em toda a aldeia de Batum. A peça que vamos acompanhar agora é inteiramente baseada em fatos reais, ocorridas em uma aldeia do povo Bisori, na Papua Nova Guiné, Oceania, no ano de 1982. Ela relata o desespero de um povo perdido na busca de alguém que lhes ensinasse o evangelho da salvação. Fique atento, abra o seu coração e assista a peça:” O Clamor de Batum”


CENÁRIO 2: EXPECTATIVA NA CASA DO CASAL DE MISSIONÁRIOS

Narrador: Enquanto isso, o casal, George e Helena, missionários há alguns anos em outra aldeia Bissori, estavam num dia um pouco diferente, visto que estavam aguardando, visto que estavam aguardado a visita de uma equipe de voluntários que chegaria dos Estados Unidos, para lhes ajudar na construção de uma nova casa.

Helena: Querido, por favor, venha me ajudar a pendurar a roupa no varal.

George: Já vou, querida. Deixe-me só terminar essa porção do evangelho de marcos que estou traduzindo para a língua Bisori. Graças a Deus, a cartilha de alfabetização em Bisori já está pronta. (Depois de alguns instantes) Aqui estou,querida! Não vejo a hora de chegar os visitantes. Eles mal sabem como serão úteis aqui.

Helena: Ah, eu não vejo a hora de ter um banheiro melhor, uma sala maior... Vai ser bom demais. Um espaço maior vai nos permitir reunir um numero maior de nativos em nossa casa.

George: Está mesmo precisando e, se Deus quiser, dentro de alguns dias já teremos nossa casa nova...


CENÁRIO 3: A CHEGADA DA EQUIPE DE VOLUNTÁRIOS

(Faz-se um som de avião enquanto George e Helena conversam)

George: Espere aí, Helena, o som que ouço parece ser de avião não é? Será que são eles?

Helena: São eles sim! Eles chegaram!

(Os dois missionários correm para receberem seus hóspedes)

George: Olá gente, sejam bem vindos. E aí como foi a viagem?

André: Graças a Deus foi boa. Não víamos a hora de chegarmos aqui para ajudarmos na construção de sua nova casa

Patrícia: Que lindo! Gostei demais deste lugar! Como é linda a paisagem aqui!

Helena: Venham, entrem. Sintam-se em casa.

George: Creio que vocês já ouviram falar de nós. Meu nome é George e essa é minha esposa, Helena. Quais são seus nomes?

(Então cada um dos visitantes diz seu nome)


CENÁRIO 4: INESPERADA VISISTA DE BATUM E WANDU

Narrador: A conversa parecia gostosa e empolgante. Os visitantes estavam muito contente por terem chegado aquela aldeia Bisori. Enquanto o grupo conversava e se impressionava com a linda paisagem da aldeia, repentinamente ouviu-se um forte grito vindo do meio do mato, que os deixou bastante assustados.

Batum e Wandu: Mosakoli, mosakoli(Missionário, missionário)

George: Bino nani? (Quem são vocês?).

Batum e Wandu: NgaiBatummpemoninga na ngaiWandu
(Sou Batum e este é meu amigo Wandu)

George (falando para os visitantes): Eles estão me chamando. Na língua deles missionário é “mosakoli”. Parecem ser índios de uma outra aldeia Bisori. Existem várias aldeias perto e longe daqui. Vou pedir que eles saiam do mato e se aproximem.

George (falando para Batum):Boyaawa! (Venham aqui)

(Batum e Wandu se aproximamam com um pouco de desconfiança e George sai para saudá-los enquanto os visitantes estão todos amedrontados)

Helena (falando para os visitantes): Não fiquem com medo, eles são humanos iguais a nós.

George:Bolonginini? Ndengnininakokikosunga bino?
(O que vocês querem? Como posso ajuda-los?)

Batum:Tolingmosakolimpona na Biso (Wandu repete em voz alta: mosakoli)
(Queremos missionário para nossa aldeia)

George:Mponaninibolongimosakoli? (Porque vocês querem um missionário?)

Batum: Sokitoyoki, liloba na Nzambe te, tokokende na lifelo!
(Porque se não ouvirmos a palavra de Deus, iremos para o inferno).

Wandu (repete em voz alta): Na lifelo te (Para o inferno não)

Helena: Alguém lhes disse que, se não ouvirem o evangelho irão para o inferno, por isso, ouvindo que aqui tinha missionários, eles vieram pedir missionários para a aldeia deles também.

Marcos: E agora? O que vocês vão lhes dizer? O que vai acontecer?

George (falando para os visitantes): Vou hes dizer que não dá para lhes mandar um missionário agora e que retornem para c[a daqui a quinze dias.

George (falando para Batum):Batum, mosakoliazalimpona na bino sikoyo. Bonzongaawa na mposombale

Batum: Te, te. Tolingmosakolisikoyo. Sokitoyoki, liloba na Nzambe te, tokokende na lifelo!
(Não,não. Queremos missionários. Se não ouvirmos a palavra de Deus, iremos para o inferno!)

Geroge (falando para os visitantes): Eles querem missionários agora, Porque não querem ir para o inferno. Mas vou-lhes dizer que não tem missionário para ir a aldeia deles.

George (falando para Batum e Wandu): Sikoyomoyenazali te, Batum

(Então, Batum e Wandu saem decepcionados e mais desesperaos ainda, clamando por um missionário)

Batum: Te, te. Tolingmosakolisikoyo. Sokitoyoki, liloba na Nzambe te, tokokende na lifelo!
(Não,não. Queremos missionários. Se não ouvirmos a palavra de Deus, iremos para o inferno!)


CENÁRIO 5: A REAÇÃO DOS VISITANTES

Patrícia: O que é isso? Não acredito no que acabamos de ver

Margareth: Eu acho que voces combinaram coeles

Helena: Não combinamos. Nem nós conhecíamos Batum e Wandu e nunca fomos a aldeia dels. Só tem a gente aqui nesta aldeia, mas existem muitas aldeias Bisori sem um missionário sequer. E só a gente não tem condições de atender a todos. Nós já trabalhamos com esta aldeia e com outras vizinhas.

Alexandre: Mas como é possível?

George: Irmãos, isso é pra gente ver que a seara realmente é grande mas poucos são os trabalhadores


CENÁRIO 6: O CONTATO COM A BASE

Helena: Querido, não é bom fazermos contato com a nossa base na cidade para sabermos se existe algum missionário na nossa missãoque possa vir trabalhar com a aldeia de Batum?

George: É isso que vamos fazer agora

George (falando para a base via rádio): Alô,alô. Aqui é George da aldeia Bisori. Câmbio

Base: Base NTM. Câmbio.

George:Gostaríamos de saber se existe pelo menos um missionário disponível para vir trabalhar numa ladeia Bisori que precisa e solicitou urgentemente um missionário. Câmbio.

Base: Negativo. Câmbio

(Todo grupo fica desesperado e chocado com a resposta)


CENÁRIO 7: O RETORNO DE BATUM

Narrador: Todos os presentes ficaram chocados com a resposta negativa. Não havia uma só pessoa disponível. Não porque a base não quisesse enviar, mas porque não havia mesmo ninguém para ser enviado. O sono fugiu de todos naquela longa noite. Passaram-se os quinze dias e, conforme o combinado, Batum e Wandu voltaram a aldeia dos missionários. Eles estavam alegres na esperança de conhecer o missionário qie iria para a aldeia deles.

Batum e Wandu: Mosakoli, mosakoli! Tosepela! Tosepela! Tosepela)
(Missionário, missionário!). Alegremo-nos! Alegremo-nos! Alegremo-nos!

(George se dispões a recebe-los enquanto se aproximam. Em seguida fazem as saudações habituais da cultura Bisori)

Batum: Wapimosakolimponamboka na biso? Wapi eu?
(Onde está o missionário para a nossa aldeia? Onde está ele?)

George:Mosakolimponamboka na bino azali te(Não tem missionário para a sua aldeia)

Batum: Te, te. Tolingmosakolimpona na biso!
(Não, não. Queremos missionário para a nossa aldeia).

George: Mosakoliazali te. (Não tem missionário.)

Batum: Te, tolingmosakolisikoyo. Sokitoyoki, liloba na Nzambe te, tokokende na lifelo!
(Não. Queremos missionários. Se não ouvirmos a palavra de Deus, iremos para o inferno!)

Em seguida, apontando para a equipe de voluntários, Batum exclama:
Bongo bango? Mponaninibangobakokende te?

Helena (falando para os visitantes): Ele esta perguntando se vocês não podem ir para a aldeia deles

(Nessa altura, todos os visitantes reagem negativamente, alegando diversas razões).

George:Bangobayebikolobamonoko na bino te. Tuna bango.
(Eles não sabem falar nossa língua. Perguntem pra vê).

Batum: Nini? Bangobayebikoloba te?

Helena: Eles estão surpresos pelo fato de que vocês já são tão grandes assim, mas não sabem falar a língua deles.

(Batum se aproxima de Andre, um dos visitantes, e pergunta o nome dele e, em seguida tenta puxá-lo, para que vá com eles para sua aldeia. George imediatamente intervém)

George: Te Batum. Te Batum! (Não Batum. Não Batum!)

Batum: Mosakolimponamboka na biso azali te? (Não tem missionário para a nossa aldeia?).

George: Azali te (Não tem)

Batum: Bongo mpeza? (É isso mesmo?)

George (com lágrimas nos olhos):Mpenza(É isso).

Batum: Bongo mpeza? (É isso mesmo?).

George (quase chorando): Mpenza(É isso.)

(Nesse instante, Batum se afasta um pouco de George e tira do bolso vários gravetos, cada qual representando pessoas da sua aldeia. Então, um por um, ele profere palavras sobre cinco gravetos, olhando firmemente para todos os presentes e, depois de falar joga cada graveto no chão, suas palavras são traduzidas por Helena. Toda vez que ele faz isso, seu amigo Wandu exclama com desespero “Na lifelo te”, que significa: “para o inferno não”)


Batum: Oyo, noko na ngai. Sokitoyokililoba na Nzmbe te, akokende na lifelo.
(Este é meu tio. Se ele não ouvir o evangelho, irá para o inferno).

Oyo, tata na ngai. Sokitoyokililoba na Nzmbe te, akokende na lifelo.
(Este é meu pai. Se ele não ouvir o evangelho, irá para o inferno)

Oyo, mama na ngai. Sokitoyokililoba na Nzmbe te, akokende na lifelo.
(Esta é minha mãe. Se ele não ouvir o evangelho, irá para o inferno)

Oyo, leki na ngai. Sokitoyokililoba na Nzmbe te, akokende na lifelo.
(Este é meu irmão. Se ele não ouvir o evangelho, irá para o inferno)

Oyo, moninga na ngaiWandu. Sokitoyokililoba na Nzmbe te, akokende na lifelo.
(Este é meu amigo Wandu. Se ele não ouvir o evangelho, irá para o inferno)


(No momento em que Batum joga no chão o graveto representando Wandu, este também se joga no chão e cai em pranto amargo. E, então, Batum joga no chão o resto dos gravetos).


CENARIO 8: BATUM RETORNA SEM MISSIONÁRIO PARA A SUA ALDEIA

(A equipe de canta enquanto Wandu continua chorando amargamente. Depois do cântico. André, um dos visitantes, recolhe todos os gravetos e chama George para traduzir as palavras de Batum).

André: Diga a ele que eu vou voltar para cá, a fim de levar o evangelho paraaldeia dele.

George: Batum, yealobiakimimongisamponakokende na mboka na yo.

(Em seguida, André entrega a Batum os gravetos, e este levanta Wandu, e ambos retornam muito tristes e abatidos para a sua aldeia).

(Momentos após a retirada de Batum e Wandu, saem também os missionários e a equipe de voluntários.


CENÁRIO 9: A MORTE DE BATUM

Narrador: André voltou para seu país, e fez curso de preparo missionário. Passado alguns anos ele retornou a Papua Nova Guiné e foi levar o evangelho a aldeia de Batum, conforme prometera, mas infelizmente, quando ele chegou lá, Batum já havia morrido...

(Logo após a narração acima, todos os índios da aldeia de Batum fazem a encenação de sua morte da seguinte maneira: Eles estão reunidos, quando de repente, Batum começa a queixa-se de fortes dores no estômago, cai no chão e morre. Toda aldeia entra em desespero e lamenta amargamente a morte de Batum. Em seguida, Wandu e outro índio, carregam Batum para fora do cenário e toda aldeia lhe acompanha, clamando em voz de desespero: Na lifelo te!)


Um grupo de louvor canta um hino e missões (Sugestão: Quanta coisa tenho feito)


Autor Desconhecido



MEU CRISTO

Neste mundo há muitos Cristos:
De várias cores, de vários tamanhos.
Cristos feitos, Cristos inventados
Cristos moldados, Cristos deformados
Cristos tristes, Cristos desfigurados.
Há Cristo para cada gosto, cada interesse
Cada objetivo, cada projeto.

Há o Cristo das belas artes:
Um motivo como tantos outros
Para expressar uma forma,
Ou exibir uma escola pelo próprio homem criada.
È Cristo para se ver, apreciar ou criticar,
Para exaltar o autor, seu talento, sua invecionice.
É um Cristo despido de autoridade,
Sem expressão, sem divindade.

Há o Cristo da literatura, da prosa,
Do verso, da forma, do estilo,
Do livro famoso, do “best-seller”.
É um Cristo pretexto,
Que serve de texto,
Dentro de um contexto,
Que ajuda seu autor a faturar mais
E ser mais lido e procurado.

Há o Cristo das cantigas:
Deturpado, maltratado, irreverentemente tratado.
Aparece na crista das ondas, estoura nas paradas,
É cantado nos salões, e circula, aos milhões,
Como mercadoria para enriquecer as empresas.
É um Cristo algibeira, fabricado como produto de consumo.

Há até o Cristo do cinema e do teatro
Sucesso de bilheteria...
É a explosão da arte moderna
Fazendo a caricatura do maior personagem da historia.
É o Cristo musicalizado, encenado, maquinalizado.
É o Cristo para espetáculo, para os olhos,
Para os ouvidos, para o lazer e a higiene mental.

Há o Cristo do crucifixo:
De pedra, de mármore, de madeira e de metal...
É Cristo para a parede, para o colo da mocinha
Para o peito piloso do rapaz excêntrico.
É apenas ornamento ou simples decoração.
Embora alguns lhe prestem culto,
Ele não vê, não ouve, não atende.

Há o Cristo dos teólogos:
Difícil de entender, complicado.
É Cristo para eruditos, para cultos privilegiados.
É só para ser discutido, dissecado, analisado,
E aceito intelectualmente.
Não modifica, não transforma, não regenera, não muda.
É Cristo-aristocrata, de elite.

Há também, infelizmente, o Cristo de certos cristãos,
Que ainda o têm no túmulo.
É Cristo crucificado, morto e sepultado,
E ainda conservado na tumba dura e fria.
É um Cristo que não vive,
Porque seus adoradores ainda estão mortos,
E não despertaram para uma vida nova,
A vida do próprio Cristo, da qual, lamentavelmente,
Ainda não se apossaram.

O MEU CRISTO não é nenhum desses.

O MEU CRISTO é o filho de Deus que foi encarnado,
Viveu, sofreu, foi condenado, morto e sepultado
Por causa dos meus pecados.

O MEU CRISTO não ficou preso na sepultura escura.
Ele ressuscitou subiu aos céus e reina a direita do pai.

O MEU CRISTO é respeitado, admirado
Cultuado, adorado, porque está vivo,
Bem vivo!

O MEU CRISTO vive nas palavras que proferiu
O MEU CRISTO vive nos ensinos que deixou
O MEU CRISTO vive nos atos que praticou
O MEU CRISTO vive na obra que realizou
O MEU CRISTO vive nas almas que ele salvou

O MEU CRISTO VIVE
Eu sei bem disso, e não tenho nenhuma dúvida.

O MEU CRISTO VIVE EM MIM!!!
(Rev. Thiago Rocha)



REMANESCENTE FIEL



Obs: Os narradores serão narradores personagens. Após narrar sai e entra os profetas.

NARRADOR: É o final da corrida que importa. Os troféus não são dados pelos grandes começos. As medalhas não são concedidas por se entrar na competição. Um bom começo é crucial, mas o final é tudo o que importa.
Veja Eli por exemplo. Um líder religioso genuíno. Um homem com o coração para Deus. Perceptivo e forte, o último dos grandes sacerdotes. Mas olhe para o término de sua vida. A arca foi capturada. seus filhos rebeldes foram mortos. Quando ouviu sobre eles, caiu e quebrou o pescoço.


SAMUEL: Eu Samuel, sou outro caso. Fui instruído por Ana minha mãe, a dedicar a minha vida ao serviço de Deus. Ungi os dois primeiros reis de Israel. Contudo, não aprendi com os erros de Eli. Assim como meu mestre, falhei em treinar a família, e meus filhos afastaram-se de Deus.
Entretanto, o exemplo mais dramático é Saul, o primeiro rei de Israel. Parecia ser um homem perfeito: belo e meigo, bravo e vitorioso na batalha. Mas o sucesso o levou a desobediência, e escorregou da proeminência a paranoia, que o levou ao suicídio.
Porque essas histórias estão sendo mencionadas agora? Para lembrar-lhes que também estamos em uma corrida, e que esta ainda não terminou. O modo como iniciamos não é nem de perto tão importante quanto à maneira como terminamos.

ELIAS

NARRADOR: O livro de 1 Reis começa narrando sobre Salomão e finda com Elias. A diferença entre esses dois homens nos dá uma idéia do que se passou no intervalo entre um e outro.
Salomão poderia nunca ter nascido, não fosse pelo escândalo palaciano entre Davi e Bate-Seba. Não foi o melhor dos começos. Ele herdou alguns traços característicos de seu pai, bons e maus. A semelhança do pai, Salomão começou bem, mas também tinha uma fraqueza por mulheres, o qual o arruinou.
A gente se pergunta como deve ter sido viver numa casa onde o pai possuía varias esposas, e os irmãos usavam espadas a mesa do jantar. Salomão agiu bem, a principio, orando por sabedoria e construindo um templo que levaria a falência muitas nações.
Ele levou sete anos para construí-lo. No entanto, passou treze anos construindo um palácio para si mesmo. Em algum ponto de sua vida. Ele saiu do caminho. Seu gosto por mulheres levou-o a adorar outros deuses e a afastar-se cada vez mais de Deus. A nação seguiu-lhe o exemplo, e nem as pregações de Elias puderam trazê-la de volta.

ELIAS: Não que eu, Elias, não tivesse tentado dissuadir o povo deste caminho. No final de tudo, vocês conhecem sobre a disputa entre eu e os profetas de Baal. Num clássico combate Meu-Deus-É-Maior-Que-O-Seu, Jeová venceu. Deus foi exaltado. A rainha Jezabel porém, uma líder dos adoradores de Baal, enfureceu-se e ordenou minha morte. Eu corri, corri até ficar tão cansado e desanimado que sentei-me sob um arbusto e pedi: “... toma agora a minha vida”.
O que Deus faz com servos cansados que querem desistir? Num momento de ternura, o Deus que fez descer fogo a montanha enviou alimento para mim, e sussurrou-me a sua afeição numa “... voz mansa e delicada.” Que pai!
Na época em que viveu Salomão e eu, você encontraria de tudo: rebelião, corrupção, coragem, fé. Veja que o nosso mundo era bastante semelhante ao de vocês as coisas não mudaram muito.
E Deus? Deus não mudou nada. A voz calma e gentil que me encorajou? Ouça-o enquanto lê sua palavra e ora. Ele o está encorajando.

ISAÍAS

NARADOR: Isaías era um sangue-azul entre os profetas. O seu hebraico era clássico. O seu estilo era nobre. Ele tinha amigos influentes, mas a sua mensagem era sempre a mesma.
Ao longo do reinado de quatro reis proclamou uma única mensagem: Deus nunca irá tolerar o que é errado.
Falava com uma coragem na voz, e com um fogo nos olhos, como alguém que já esteve no inferno e contemplou o céu, pois foi isso, exatamente o que aconteceu. Isaías viu a Deus.

ISAÍAS: Se o que eu vi estava no céu ou na minha cabeça, pouco importa, quando comparado com a verdade que estava no meu coração. As luzes dançavam e os anjos ecoavam – “Santo, Santo, Santo”, como se nada tivessem mais a dizer, e não tinha, pois isso é tudo que se consegue dizer diante daquele que é Santo.
Existem aqueles que se vangloriam de ter uma visão de Deus, do mesmo modo que se alegram de ter visto um rei. Não foi assim comigo. Quando vi o Senhor, não atualizei o meu currículo, mas imporei por misericórdia.
“Ai de mim, que vou perecendo! Porque eu sou um homem de lábios impuros e habito no meio de um povo de impuros lábios, e os meus olhos viram o Rei, o Senhor dos exércitos!”
A misericórdia foi recebida assim que pedi. Um anjo purificou os meus lábios com uma brasa viva, e ensinou-me que a única boca digna de falar em nome de Deus é aquela que é purificada pelo Senhor.
Eu nunca mais fui o mesmo depois daquele episódio: “Envia-me a mim”, ofereci-me. E assim fez Deus. E anunciei, preguei com a paixão e a fúria de um homem que tinha visto a sua vida passar diante de seus olhos. Transmiti a palavra com a paixão e a fúria de um homem enviado por Deus, e que ansiava em unir-se aos anjos, e passar toda eternidade cantando: “Santo, Santo, Santo”.

JEREMIAS


NARRADOR: Nenhuma igreja contrataria Jeremias. Nem sequer passaria na primeira entrevista. Ou melhor nem viria a entrevista.
Seu estomago não aguentava a religião organizada. Dificilmente poderíamos culpa-lo. O que este profeta viu provocaria náuseas em qualquer um de nós.


JEREMIAS: Eu vi a imoralidade intensa. Vi a idolatria ostensiva. Vi a hipocrisia desenfreada. Vi sacerdotes que se vendiam pelo maior lance. Vi reis que viveram o seu pior pesadelo.
Mesmo que minha cabeça fosse as Cataratas do Iguaçu , ainda assim não geraria lagrimas suficientes para meu choro. Como já amaldiçoei o dia em que nasci, e, outra vez, seria difícil me culpar. Era uma época ruim para se viver.
Eu pude ler os escritos nas muralhas de Jerusalém sobre o que a Babilônia faria com ela.
Finalmente, as muralhas caíram, exatamente como prediz. O templo foi invadido, exatamente como profetizei. E o povo foi aprisionado, como escravo levado a Babilônia. Em verdade, eu nuca disse: “Eu bem que avisei”.
Eu recordo o passado, caminhando entre as ruínas, e ajo como fiz a maior parte de minha vida: choro.

EZEQUIEL


NARRADOR: Das ruínas de Jerusalém surgiu um tempestuoso pregador chamado Ezequiel.


EZEQUIEL: Eu estava entre os demais judeus levados para a Babilônia após a queda de meu país. Deixei para trás minha cidade. Meu templo. Meu lar. Mas não deixei minha fé.
Eu anunciei minha fé para qualquer pessoas que quisesse ouvir. Durante vinte e dois anos, percorri as ruas proclamando os dois lados da fé.
O lado ruim? Converta-se, ou consuma-se no fogo. Perdoem-me por ser tão direto, mas eu sou assim. O lado bom? Vire-se e aprenda. Deus tem um grande plano para o seu povo. Uma grande cidade. A justiça reinará e a adoração será restaurada. A cidade de Deus é eterna, diferente de Jerusalém. Quem estará na cidade de Deus? Eu lhes respondo: O Senhor está ali.
Das ruínas surgiu eu, Ezequiel. Das ruínas veio à promessa. Das ruínas, veio a esperança. Sua vida está em ruínas? Olhe a frente, em direção à cidade de Deus. O Senhor está ali.


DANIEL


NARRADOR: Imagine se você fosse um judeu na Babilônia, estaria cheio de raízes para está deprimido. Jerusalém está em cinzas. O templo está em ruínas. E você e o resto do seu povo estão aprisionados.
Seus opressores escarnecem. “Cantai-nos um dos cânticos de Sião!” Mas você não canta. Você pendura sua harpa em um álamo e senta-se a margem do rio, vendo a água passar... E os seus dias também.
Quem conseguiria cantar cânticos sobre o Senhor em um país estrangeiro? Daniel conseguiu.


DANIEL: Embora eu fosse apenas um adolescente quando segui para o cativeiro, lembro-me bem dos cânticos de minha juventude. Em algum ponto dos meus primeiros anos, acabei acreditando que Deus era soberano, que nada acontecia sem sua permissão, que nada acontecia fora do seu plano.
Mas nem mesmo eu pude imaginar os planos que Deus tinha para mim. Primeiro ministro da corte. Interprete de sonhos. Profeta. Professor. Governador. Uma voz vitalícia de Deus no meio de um povo pagão.
Mas, embora o personagem central dos episódios desta época fosse eu, o herói é Deus. “Há um Deus nos céus, o qual revela seus segredos...” contei ao rei e foi Ele quem sustentou a mim e ao povo durante o cativeiro.
Aliás, falando nisso, aquele Deus ainda reina. E sempre que o povo de Deus pendurar suas harpas ouça atentamente: Deus sempre tem um Daniel, como eu, que ainda se lembra de como cantar.


JOÃO BATISTA


NARRADOR: A vida de João Batista foi profetizada por Isaías, e por Malaquias ele é apresentado principalmente como percursor de Jesus Cristo.
Sendo seu nascimento anunciado aos seus pais por um anjo do Senhor, não creram, pois já eram avançados na idade. Seu pai Zacarias era sacerdote, e sua mãe Isabel “era das filhas de Arão”. A vida desta criança foi predita a Maria, na anunciação. O nascimento de João trouxe para o povo de Deus, a esperança, pois todos que ouviam o que tinha feito a Zacarias e Izabel se alegravam e indagavam: “Quem será, pois, este menino?” Outros diziam: “A mão do Senhor está com ele”.
E o menino crescia e se robustecia em espírito, e esteve nos desertos ate a hora em que havia de mostrar-se a Israel.


JOÃO BATISTA: Eu sou aquele que os profetas e o anjo profetizou, que iria ser chamado de Profeta do Altíssimo, porque ia diante da face do Senhor, preparando seu caminho.
Toda minha vida fui preparado pelos meus pais, servos fieis, a servir ao Senhor com obediência e amor. Cada dia que passava, cada ensinamento que eu tinha, aumentava o meu amor por este Deus maravilhoso.
Há quem pensasse, que quando crescesse mudaria meus propósitos. Mas meus pais perseveravam na oração e no ensinamento para que quando Deus me chamasse, eu estivesse pronto.
E aconteceu que no ano quinze do império de Tibério César, sendo Pôncio Pilatos governador da Judéia e sendo Anás e Caifás Sumo Sacerdotes, veio no deserto a palavra de Deus a mim, João, filho de Zacarias: “Percorre toda a terra ao redor do Jordão, e prega o batismo do arrependimento, para o perdão dos pecados”.
Assim o fiz. Para que se cumprisse o que estava escrito pelo profeta Isaías: “Voz do que clama no deserto, preparai o caminho do Senhor, endireitarei as suas veredas”.
Passei por muitas lutas, mas em todas eu senti que Deus estava comigo. E não temi. E quanto mais me perseguiam, mais eu pregava com ousadia e firmeza.
Fui preso e condenado por amor a Deus e minha sentença foi a morte. Agora quando paro e penso em tudo o que vivi, tudo o que senti, tudo o que testemunhei, faço-me uma pergunta:
- João Batista, terias coragem de fazer tudo de novo?
Eu lhes respondo:
- Por este Deus maravilhoso, eu não hesitaria nem um minuto, faria tudo outra vez.


NARRADOR: Nós vemos aqui a história de alguns profetas, cada um mostrou as diferentes situações em que o povo de Deus se encontrava. Em uma época Deus usou o profeta para enfrentar o rei, em outra Deus usou o profeta para enfrentar falsos profetas e até exércitos de soldados.
Isso significa dizer que Deus sempre conta com um remanescente fiel. Em todas as épocas do plano revelador ou em todos os instantes da história sagrada, há sempre um remanescente fiel. Deus nunca fica sem testemunhas.
A obra de Deus sempre depende de uma minoria fiel para estabelecer seu ministério. Os remanescentes da história bíblica, nos mostra que a glória de Deus sempre se manifestou na terra por intermédio deles. Isso nos ensina que Deus precisa só de um para fazer a diferença. Se você for o único de sua família, o único de sua empresa, o único de sua cidade, Deus já tem o que precisa.
A questão é: Você está disposto a gastar sua juventude, a gastar as suas forças em prol do evangelho? Quantos estão dispostos?


Obs: Após terminar a peça canta o hino outra vez de Fernanda brun com quatro por um.

Em memória: Pr. Luiz Antonio
Autoria: Mariano S.C. Filho



Não envie missionário

Não envie missionário se for esquecê-lo
Não envie missionário se não queres mantê-lo
Não envie missionário se não queres ajudá-lo
Não envie missionário se queres só retorno financeiro
Não envie missionário só com palavras sem ação de fato
Não envie missionário para cobrar resultados rápidos
Não envie missionário se julgar que um missionário é um super homem
Não envie missionário só pra fazer nome
Não envie missionário se vai faltar-lhe comunicação
Não envie missionário se teu coração não for com ele
Não envie missionário se não é capaz de amá-lo
Somente envie missionário se há em tua vida e em teu coração amor
e compromisso com missões!


Poesia do jornal Paixão pelas almas (Semipa)



O MUNDO À PROCURA DE PAZ

Participantes: 08 jovens


TODOS – O mundo está a procura de paz

TODOS – O mundo está em desespero, todos estão atônitos. Correm de um lado para outro à procura de paz.

1 e 2 – Paz para suas vidas em desespero
3 e 4 – Paz para seus lares desajustados
5 e 6 – Paz para toda a humanidade
7 e 8 – Paz para as almas famintas

TODOS – Mas não existe solução...

5 a 8 - Porque a solução é Cristo e o mundo não O conhece.
1 a 4 – Porque a solução está somente nas mãos do Todo Poderoso que governa e rege o universo, e os homens não O buscam.

5 a 8 – E tu, amigo, já pensastes no teu futuro?
1 a 4 – Como está a tua vida diante do Criador?

7 e 2 – Queres ter Paz?
5 e 4 – Queres estar nas moradas celestes?
3 e 6 – Queres ser salvo?
1 e 8 – Queres ser liberto?

TODOS – Então olha para o calvário e aceita a Jesus.

1 - Que veio morrer para que tu tivestes vida
2 - Que veio morrer para te salvar
3 - Que veio morrer para te libertar
4 - Que veio morrer para transformar-te em uma nova criatura
5 - Que veio morrer para te restaurar
6 - Que veio morrer para perdoar os teus pecados
7 - Que veio morrer para te tornar justo
8 - Que veio morrer para te dar vida eterna

TODOS – Queres um futuro...

1 a 4 – Com Deus?
5 a 8 – Ou sem Deus?

TODOS – E Cristo veio um dia:

1 e 2 - Nasceu
3 e 4 – Cresceu
5 e 6 – Viveu
7 e 8 – E morreu

TODOS – Veio para trazer paz a humanidade

5 a 8 – O mundo o rejeitou
1 a 4 – O mundo o desprezou

TODOS – Mas Ele tomou sobre si as nossas dores e as nossas enfermidades.

1 – Foi transpassado pelas nossas transgressões, e moído pelas nossas iniqüidades
2 e 3 – O castigo que nos traz a paz estava sobre Ele
4 – E pelas Suas pisaduras fomos sarados
5 e 6 – Foi oprimido e humilhado, mas não abriu a Sua boca
7 e 8 – Para nos dar o exemplo de Sua paz

TODOS – E, libertados por Ele, temos paz com Deus.

1 a 4 – Pelo Seu sangue, que purifica de todo pecado
5 a 8 – Pela Sua morte em resgate de muitos

TODOS – E quando Cristo regressar:

1 e 2 - Arrebatará os fieis
3 e 4 – Levará para as moradas celestes os seus
5 e 6 – Habitarão com Ele para sempre
7 e 8 – Reinarão eternamente

1 a 4 – O fim vem!
5 a 8 - O fim vem!

TODOS – O fim de todas as coisas vem!

1 a 4 – E ninguém poderá se esconder nem escapar da presença do grande juiz.
5 a 8 – Todo joelho se dobrará e toda língua confessará que Ele é o Senhor dos senhores

TODOS – Então haverá paz para os fieis

5 a 8 – Paz para os que souberam sofrer
1 a 4 – Paz para os que não negaram o Seu nome

TODOS – Cristo confortará os fieis com essas palavras:

2 e 8 – “Se alguém me serve, siga-me. E onde eu estiver, ali estará também o meu servo”
5 e 3 – “E se alguém me servir, o Pai o honrará”
6 e 4 – “E quando Eu for preparar-vos lugar, voltarei e vos levarei para mim mesmo... para que onde Eu estiver, estejam também comigo os que me deste, para que vejam a minha glória.
1 e 7 – “Pai, a minha vontade é esta, que onde eu estiver, estejam os que me servem com sinceridade”

1 a 4 – O mundo está em desespero à procura de paz
5 a 8 – E o que faremos nós?

TODOS – Assim, sabemos que, se permanecermos em Cristo, teremos paz eterna e gozaremos para sempre ao Seu lado, desfrutando da Sua grande e gloriosa paz.

Autoria: Mariano S.C. Filho



COLÔMBIA UMA TERRA DE DESAFIOS

NARRADOR 1 – O propósito desta história não é mostrar a degradação dos homens, e sim mostrar o irresistível amor de Deus. Se tenho de ressaltar algo nesta história, que seja a verdade avassaladora do amor de Deus em meio à bestialidade humana.

NARRADOR 2 – 21 de Setembro, São José de Guaviare, Colômbia.

Obs: Entra em cena correndo, como se estivesse levando uma mensagem


GUERRILHEIRO: Camarada, Camarada

CHEFE: Fale logo, o que está acontecendo?

GUERRILHEIRO: O pastor não vai desistir nem tão cedo.

CHEFE: O que?

GUERRILHEIRO: A ousadia é tão grande, que ele quer que autorizemos a abertura de uma igreja aqui perto

Obs: o chefe levana o tom de voz, devido a fúria e grita:

CHEFE – Ele terá de passar por cima do meu cadáver! Sou encarregado deste lugar, e nunca, nunca darei esta autorização. E você dê um jeito, faça alguma coisa, mate esse pastor se for necessário.

GUERRILHEIRO – Sim camarada!

Obs: Todos saem de cena

NARRADOR 1 – Passou-se algum tempo e a família missionária continuava firme no propósito em anunciar o evangelho.

Obs: Enquanto o narrador fala aparece a família do pastor entregando folhetos aos que estão no cenário.

NARRADOR 2 – Eles estavam em um país onde era proibido falar e Jesus, mas cumprindo com alegria o ministério o qual tinham recebido da parte do Senhor, suportavam as afrontas e perseguições, em nada tinhas suas vidas por preciosas, colocavam-se na posição de verdadeiros soldados de Cristo

NARRADOR 1- E então os guerrilheiros marcaram um encontro com o Pastor Manoel e sua família. Eles pensaram que iriam receber autorização para ter uma igreja em um lugar onde tinham pedido anteriormente e então:

Obs: A família está reunida

FILHA – Papai, papai, Olha o que chegou!!!

Obs: a criança correi com um envelope na mão

PASTOR – Deixe eu ver, é uma carta!! Será que é nossa autorização?

ESPOSA – O que está escrito querido?

PASTOR – Ah querida, deixe-me ler para vocês!! Aqui está falando que eles querem um encontro comigo aqui em casa ainda hoje.

Obs: é interrompido por soldados das FARC que invadem a casa (O líder com ar de cinismo)

CHEFE – Ainda bem que conseguimos encontrá-los em casa “pastor”

Obs: A garota assustada agarra-se com a mãe

PASTOR – Os senhores vieram aqui para nos dá autorização não foi?

Obs: o chefe dá uma gargalhada

CHEFE – O que a gente veio fazer aqui mesmo? Soldados falem para ele o que a gente veio fazer aqui.

Obs: o soldado fala com um tom sarcástico

GUERRILHEIRO – Pois é pastor, nós viemos acabar com essa “pregaçãozinha”
Obs: o chefe toma das mãos do Pastor a esposa e a filha e sai puxando pra dentro de casa.

GUERRILHEIRO – Pastor pode nos acompanhar até lá fora?

PASTOR – Sim Senhor!

Obs: O pastor sai acompanhando o soldado da FARC. Eles não chegam a conversar. O guerrilheiro vira e dá um tiro no pastor que cai.
Neste momento o chefe que ficou dentro de casa grita:

CHEFE – Tenha certeza de que esse cachorro esteja realmente morto, precisamos fazer um serviço bem feito.

Obs: o soldado volta e dar mais dois tiros na cabeça do pastor. Sua esposa e sua filha saem correndo e gritando ao encontro do pastor, caem sobre seu corpo e limpam sua face.
Enquanto isso os soldados saem dando gargalhadas.

NARRADOR 2 – Com a ajuda de sua filha, a esposa do Pastor, arrastou-o e o colocou em baixo de uma árvore. Ela voltou para casa buscou a Bíblia do Pr. Manoel e começou a pregar para todas as pessoas que estavam ao redor olhando o que havia acontecido.
O pr. Manoel e sua esposa pastoreavam uma igreja no vilarejo de Chopal, ao sul de San José Del Guaviare há uns oito anos. Eles enfrentaram muitos desafios e muitas igrejas nesta área estavam fechadas por causa das FARC. Então, ele decidiu abrir uma igreja apesar das constantes ameaças e riscos. Em abril do ano passado o Pr. Manoel ganhou ara Jesus três guerrilheiros e sete membros de ums milícia paramilitar. Glória a Deus por isso.

NARRADOR 1 – Irmãos, tudo isso que acabamos de ver é uma história real. Essa apresentação fói extraída de fatos reais e nos conta a vida de mais alguns servos do Senhor que morreram para não negar o nome de daquele que é eterno. Que com isso, irmãos, possamos amar mais os missionários, contribuir melhor e é claro, orar muito mais pela obra missionária!
O nosso irmão dessa história morreu, mas uma coisa é certa, morreu, mas não morreu em vão.
Vamos orar pela família do Pastor Manoel e pela igreja da Colômbia.

Adaptação: Mariano Siqueira




Desperta Brasil

AMBOS: Desperta Brasil!

JOVEM 1
Desperta tu que dormes brasileiro!
Nosso Brasil está a naufragar
Os campos estão verdes para a colheita
Caso não fores, quem há de ceifar?

JOVEM 2
Desperta tu que dormes brasileiro!
O Sul está chamando sem cessar
Milhares de pessoas desprezadas
Sem o amor de Cristo encontrar.

JOVEM 1
Veja São Paulo, que tecnologia!
Seqüestros, mortes, chacinas
Famílias a chorar
O Rio de Janeiro continua lindo
E o pecado firme em cada lugar.

JOVEM 2
Minas Gerais, Bahia que patrimônio histórico
E o seu povo escravizado
Sempre a adorar um deus que está morto
Como pode salvar?

JOVEM 1
Meu Pernambuco, junto com o Nordeste
Meninas já mulheres, nas drogas a mergulhar.
Crianças que nunca foram crianças
São muitos, são muitos que o Senhor precisa salvar.

JOVEM 2
O Norte das riquezas naturais
Com homens que só sabem explorar
A Amazônia, o pulmão do mundo
E o índio sufocado, sem Cristo encontrar.

JOVEM 1
No Centro-Oeste, Goiás e Mato Grosso
Despertam o celeiro da nação
Os homens ricos, cada vez mais ricos
Morrem sem Deus, sem Cristo, sem perdão.

JOVEM 2
Senhor cria em mim um coração missionário
Arranca-me deste banco e faz-me caminhar
Nosso Brasil chora triste e angustiado
Temos pressa Senhor precisamos salvar.

JOVEM 1
Eu quero ser um vaso em suas mãos
Eu quero ser um vaso novo
Quebra e transforma todo meu ser.

JOVEM 2
Faz-me gigante forte e corajoso
E que eu possa dizer com alegria
Com toda a minha força juvenil...

AMBOS
Ou ficar a pátria salva, ou morrer pelo Brasil!


Poesia Desperta Brasil de Davi Victor Gomes. Produzida por Missões Nacionais



VÍDEO DA PEÇA DE MISSÕES



Torturas indescritíveis


NARRAÇÃO: Na primavera de 1956 um pastor chamado Florescu, foi torturado com atiçadores de ferro em brasa, e com facas foi açoitado horrivelmente. Ratos famintos eram introduzidos em sua cela através de um cano grosso. Ele não podia dormir, pois tinha de se defender o tempo todo. Se descansasse um só momento, os ratos o atacariam. Foi forçado a ficar de pé por duas semanas, dia e noite. Os comunistas queriam forçá-lo a trair seus irmãos, porém não o conseguiram. Por fim levou a presencia do oficial veltcho tchankov, amigo de infância.

OBS: Entra o oficial e dois soldados e depois entra o Pastor sendo levado por dois soldados, e quando ver o oficial faz cara de alegria.

PASTOR: Veltcho é ótimo vê-lo novamente.

OBS: O oficial olhar com desprezo.

OFICIAL: Conhecemo-nos um ao outro, florescu, e eu lhe aviso que, se querer ver novamente sua esposa, terá de fazer exatamente o que eu lhe disse.

PASTOR: Mas, o que fiz eu, veltcho?

OBS: O oficial responde gritando para o Pastor.

OFICIAL: Nunca me chame de veltcho, novamente. Sou o camarada tchankov, e você é o prisioneiro Florescu. Nunca esqueça isso!
Você precisa responder onde estar a sua igreja.

OBS: O pastor ouvindo aquilo ficou calado e respirando fundo, o oficial gritar.

OFICIAL: Se você se recusar a obedecer-me, estará fazendo o pior erro de sua vida; e só terá de lamenta-se. Aprenderá que não estamos brincando e não permitiremos que você se transforme em um mártir religioso. Você gostaria disso não é mesmo, Florescu? Pois bem, não vamos lhe dar essa chance. Se fizéssemos de você um mártir religioso, isso fortaleceria os cristãos. Não permitiremos que isso aconteça. Você pensa que somos estúpidos? Soldados leve-no para câmara de tortura.

OBS: O pastor sai sendo levado pelos soldados.

NARRAÇÃO: Câmara de torturas? Umas das que eram usadas freqüentemente era conhecida como lavagem cerebral. Ocidentais, provavelmente, já ouviram falar de lavagem cerebral na guerra da coréia Vietnam e agora no oriente médio. O pastor Florescu passou por esse processo. É a mais horríveis das torturas. Por anos a fio tínhamos de nos sentar durante 17 horas, diariamente, escutando:
“o comunismo é bom!”
“o comunismo é bom!”
“o comunismo é bom!”
“o comunismo é bom!”
“o cristianismo é uma estupidez!”
“o cristianismo é uma estupidez!”
“o cristianismo é uma estupidez!”
“o cristianismo é uma estupidez!”
“desista!”
“desista!”
“desista!”
“desista!”
Durante 17 horas diariamente por dias, semanas e meses e dia. Então foi levado mais uma vez a presença do oficial veltcho tchankov.

OBS: O oficial fica no meio da igreja com dois soldados e o pastor entra para ser interrogado.

OFICIAL: Por que você não fala a onde estar a sua igreja? E por que você não olha para mim? Você pensa que isso o ajudará em seu caso? Você está redondamente equivocado. Você não saira daqui, antes terá que passar por cima do meu cadáver! Você é um prisioneiro e um pastor sem registro. Eu tenho poder de mandar lhe matar ou deixar vivo. Pastor, não há Deus nem vida futura, nem castigo pelo mal. Podemos fazer o que queremos.

OBS: O oficial olhar para o pastor e grita.

OFICIAL: Eu sou deus!!! Então você não vai falar? Soldado!

OBS: entra os soldados com o filho do pastor batendo.

OFICIAL: vamos continuaremos a bater até que você fale o que queremos.

OBS: O pastor olha para o filho e diz:

PASTOR: Alexandre tenho que dizer o que eles querem! Não posso mais suportar o que eles estão fazendo!

OBS: o menino grita para o pai.

MENINO: papai, não me faça à injustiça de ter um traidor por pai! Resista! Se me matarem, morrerei com as palavras “Jesus é minha terra natal’!”

OBS: O oficial fica irado e manda matar o menino.

OFICIAL: O que! Mate-o!

OBS: Sai o menino sendo arrastado pelos soldados. E o oficial olha para o pastor e diz:

OFICIAL: E você saia da minha frente e nunca mais quero ver você de novo, desapareça, desapareça, saia, saia, saaaaiiia!!!

OBS: O pastor sai sendo levado pelos soldados e o oficial vai atrás.

NARRAÇÃO: A fúria dos comunistas caiu sobre o menino, em quem bateram até matá-lo, vendo-se machas do seu sangue pelas paredes da cela. Morreu louvando a Deus. Nosso querido irmão Florescu nunca mais foi o mesmo, depois do que presenciou, ficou louco.


HISTÓTIA REAL.
ADAPTAÇÃO: MARIANO SIQUEIRA



FOTOS DAS PEÇAS DE MISSÔES













O CEGO DE JERICÓ


Observação: O cego ficará sentado no meio da igreja.


Narrador: E aconteceu que chegando Jesus perto de Jericó, estava um cego assentado junto do caminho, mendigando.

Observação: O cego ouve a multidão e pergunta:

Cego: O que está acontecendo?

Observação: Alguém da multidão responde:

Alguém: É Jesus que está passando!

Cego: É Jesus, é Jesus Nazareno que está passando!

Cego: Jesus, filho de Davi, tem misericórdia de mim, tem piedade de mim.

Observação: E muitos repreendem para que se cale.

Alguém I: Ah! Fica quieto homem.

Observação: O cego continua clamando.

Alguém II: Cala-te homem, jamais o Mestre te ouvirá.

Alguém I: Não aborreça o Mestre.

Observação: O cego clama cada vez mais alto.

Cego: Ó Mestre, Mestre! Ó Jesus filho de Davi, tem misericórdia de mim, tem piedade.

Observação: Jesus para e manda chamar o cego.

Jesus: Tragam-no a mim.

Observação: Um dos discípulos traz o cego.

Discípulo: Têm bom ânimo, levanta-te que o Mestre te chama.

Observação: O cego joga a capa, levanta e vai ao encontro de Jesus.

Jesus: Meu filho que queres que eu te faça:

Cego: Ó Mestre apenas que eu possa ver, que eu possa ver. Ó mestre que eu possa ver, que eu possa ver.

Jesus: Vai, a tua fé te salvou.

Observação: O cego viu e sai seguindo Jesus e glorificando o nome do Senhor. O povo também glorifica.

Cego: Hosana, Hosana nas alturas, Hosana.

Narração: Logo então, o cego viu e seguiu a Jesus glorificando a Deus pelo milagre. É como nos dias de hoje, muitas almas estão na beira do caminho que leva ao abismo, com cegueira espiritual, chorando e clamando por salvação. E a nossa missão aqui na terra é leva-las até Jesus para obter a vista espiritual, por que Ele continua repreendendo tanto a enfermidade física como a da alma. Ele não mudou. Ele é o mesmo.

Agora ide enquanto é tempo e pregai a Jesus. O Salvador




Observação: Cantata o hino “Um milagre em Jericó”. (Marcelo Nascimento).




Adaptação: Mariano Siqueira





CHAMADA DE DEUS


Missionário: Querida!

Esposa: Querido a esta hora?

Obs.: A filha quando ver o pai corre para abraçá-lo.

Missionário: Tenho uma noticia para contar a você!

Esposa: Conta logo querido!

Filha: Conta! Conta!

Missionário: Eu fui promovido, Deus me deu esta oportunidade de ser gerente da empresa.

Missionário: Vamos agradecer a Deus por esta oportunidade de ser gerente da empresa.

Esposa: Vamos agradecer a Deus por esta oportunidade.

Obs.: Quando termina a oração sai conversando.

Narrador: Na madrugada do outro dia Deus falou com seu servo.

Obs.: Colocar uma mesa com um copo de água e uma garrafa com água, e missionário entra para tomar água.

Voz oculta: Manasses!

Missionário: quem está me chamando?

Voz oculta: Sou Eu o Senhor teu Deus

Missionário: Senhor!

Voz oculta: Manasses, tenho uma obra para você em outra nação.

Missionário: Senhor e o meu emprego? E a minha família?

Voz oculta: Manasses Meu servo. Eu preciso de ti na minha obra. Muitas pessoas estão morrendo sem ouvir a minha palavra, mas, como ouvirão se não há quem pregue?

Obs.: E o missionário cai de joelho e começa a chorar e a se lamentar.

Missionário: Senhor! Eu não Senhor! Por que eu? A minha família não vai entender e o meu emprego; logo agora que eu recebi uma promoção.

Voz oculta: Manasses Eu te escolhi para fazer a minha obra. Eu preciso de ti.

Obs.: Apagam-se as luzes, e o missionário sai. Logo após, entram em cena a esposa e a filha tomando café e conta o que ouviu da parte do Senhor.

Missionário: Mirian, querida, Ruth minha filha, tenho algo para contar-lhes.

Esposa: O que é?

Missionário: Durante a madrugada Deus falou comigo.

Esposa: E ai?

Missionário: E ai é que Deus mim chamou para fazer missão em outros países.

Filha: O que? Não! Não vou papai! Não aceito!

Esposa: Querido!

Missionário: é querida. É melhor nós obedecemos à voz do Senhor, por que eu não vou conseguir viver em paz, sabemos que muita gente está morrendo sem Deus. Por minha culpa.

Esposa: é verdade querido!

Filha: Ta certo pai vou obedecer.

Obs.: Apagam-se a luzes e sai à família missionária e depois da narração entra a família missionária com algumas pessoas se despedindo.

Narração: Aquela família aceitou a missão que o Senhor Deus havia colocado em suas mãos, e, se despedindo dos amigos e dos irmãos, se colocaram na disposição de verdadeiros soldados de Cristo, em nada tendo as suas vida por preciosas.

Obs.: Entra a família missionária com alguma pessoas se despedindo e em seguida da entrada um irmão correndo (entra pela porta lateral).

Irmão: Eu tinha convicção de que ainda iria encontra-los aqui”

Missionário: Que bom, amado, que você veio já estávamos indo embora! Achamos que você não viria...

Irmão: Meus queridos, Deus será convosco! Grandes são as surpresas, mas vocês são vitoriosos! Enquanto viveres ganhará almas para o Reino de Deus, mas ainda que seja necessário morrerem por amor à Jesus saibam que até a morte será para a glória de Deus! Aconteça o que acontecer, não neguem o nome de Jesus!

Missionário: Mas irmão, o que você estar querendo dizer com isso? Que surpresa serão essas:

Irmão: Não temas! Já lhes disse: aconteça o que acontecer, não neguem o nome de Jesus!

Missionário: Não negaremos! Estamos firmes no propósito para qual Deus nos chamou!

Obs.: Despedem-se

Narrador: “Aconteça o que acontecer não negue o nome de Jesus!”.
O que será que aquele irmão quis dizer com isso: que surpresa será essa que pelos missionários espera? Qual fundamento dessas palavras: será que elas foram proféticas:

Obs.: Quando a narração termina entra o vocal cantando o hino missionário e depois tem a conclusão.

Narração: Querida igreja, tudo isso que acabamos de presenciar foi extraídas de fatos reais e nos conta a vida de mais alguns servos que morreram para não negar o nome daquele que é eterno. Que com isso irmãos possamos amar mais os missionários, contribuir melhor e é claro, orar muito mais pela obra missionária! Engrandecer a Cristo estando vivo é fácil de entender, porém engrandece-lo pela morte é difícil para todos entender e aceitar. Oremos para que o Senhor escolha homens e mulheres para esta obra, pessoas que possam dizer com coragem eu sou um soldado de Cristo! Os nossos irmãos dessa história morreram, mais uma coisa é certa: Eles não morreram em vão!



Autoria: Mariano Siqueira





LEVANTA-TE SÊ FORTE E AGE,
ESTAMOS NA ÚLTIMA HORA


(Participantes 10 jovens)

Homens 1-5 – Levanta-te, sê forte e age!
Mulheres 6-10 – Levanta-te, sê forte e age!

Todos – Levanta-te , sê forte e age, estamos na última hora.

6 – É hora de trabalhar
7 – É hora de evangelizar,
8 – É hora de anunciar
9 – É hora de ganhar vidas
10 – É hora de salvar vidas
1 – É hora crianças
2 – É hora adolescentes
3 – É hora juventude
4 – É hora adulto
5 – É hora anciões.

1.10 - É hora de se preparar e ao Senhor buscar em constante oração
2.9 – É hora de unir as forças porque Deus opera onde há união.
3.8 – É hora de estender as mãos em prol das pessoas que estão sofrendo no outro lado.
4.7 – É hora de reconhecer que Deus vai cobrar de quem está parado.
5.6 – É hora de sair ao campo e ver a multidão em pranto caindo no abismo escuro.

Todos – Vamos trabalhar agora, porque já estamos na última hora.

7.6 - É hora de reconhecer, e até mesmo dizer, eu nada tenho feito para o meu Deus.
1.2 – É hora de pensar nas lamas, que já estão em desespero, sem que alguém dê jeito.
9.8 – É hora quando a liberdade nos dá liberdade de pregar o evangelho.
3.4 – É hora de esquecer as guerras e pensar na terra que está ferida.
5.10 – Oh! Porque não começar agora? Já que estamos na última hora.

1 a 5 e 10 – Igreja é hora, ouça, ouça, ouça o clamor das multidões que estão no outro lado sofrendo.

5 – Que choram.
10 – Que imploram
5 – Que pedem paz
10 – Que estão desesperadas.

1 a 4 Irmãos, o tempo está findando, o “verão” está chegando irmãos, e o
6 a 9 reino de Deus está próximo, eis ai o grito de alerta, é preciso pregar
a mensagem.

1 e 2 – “A quem enviarei?”
3 e 4 – “A quem mandarei?”
6 e 7 – “Quem irá?”
8 e 9 – Queres tu levar a mensagem?
1 a 4 Vamos sem demora, porque já estamos na última hora.
6 a 9

Todos – A mim, a ti, é que foi entregue essa responsabilidade.

1 a 5 – A obra é grande e não pode parra, os campos estão brancos para a ceifa.
6 a 10 – E nós devemos ceifar com amor.

Todos – É preciso aproveitar agora, porque virão dias em que muitos correrão de Norte a Sul, do Oriente ao Ocidente em busca dessa palavra e não encontrarão.

6 a 10 - Ide, enquanto é tempo!
1 a 5 – Porque os dias estão findos!

Todos - E a noite vem quando não se pode mais trabalhar. Não há tempo a perder.

1 a 5 – O caminho é espinhosos, porém, o seu fim é glorioso.
6 a 10 – E o Senhor nos dá forças para prosseguir

Todos – Então, levanta-te e age! A Bíblia está cheia de exemplos de homens que agiram e obtiveram respostas, e um desses exemplos é Paulo e Silas.

1 – Paulo e Silas, perto da meia-noite oravam e cantavam hinos a Deus, e de repente, sobreveio um tão grande terremoto que os alicerces,do cárcere se moveram, e logo se abriram todas as portas, e foram soltas as prisões de todos.
4 – Ou seja, eles agiram e Deus agiu com eles.
10 – Então age, que Deus agirá, levanta-te, que Ele se levantará.
5 – Ore, louve, que Ele responderá.
6 – Levanta-te e age!
2 e 3 – Age, age Igreja.
7,8 e 9 – As pessoas procuram uma palavra real, e, em todos os lugares, vemos o clamor do mundo.
1 e 2 – Está escrito, “Eu vos escolhi, porque sois forte, e em vossas mãos está a minha autoridade!”
3 e 4 – E a palavra de Deus permanece em vós, e já tendes vencido o maligno.
1 – Então, porque temer?

Todos – Age! Age! Age!

5 e 6 – O campo vos espera
7 e 8 – O mundo chama por vós
9 e 10 – Sempre avante, sem temer!

Todos - Então abre a boca e pregue a minha mensagem.

1 e 2 – Nos presídios
3 e 4 – Nas praças
5 e 6 – Nos sertões
7 e 8 – Nas ruas
9 e 10 – Nos hospitais.

Todos – De casa em casa, e em todos os lugares. Atentando para o grande mandamento.

1 a 5 – Pois, se fizermos assim, estaremos apressando a vinda do Senhor e Salvador Jesus Cristo.
6 a 10 – Porque quando o evangelho for pregado a todo criatura, então virá o fim.

Todos – Vamos seguir sem temer a nada neste mundo, levantando nossas cabeças e mostrando ao mundo inteiro que Cristo é a solução para todos os problemas atuais.

1 a 5 – Sê forte! E não temais!
6 a 10 – Deus irá contigo!
1 e 2 – Deus precisa de ti, ó crente.
3 e 4 – Deus precisa de mim
5 e 6 – Deus precisa de nós.
7 e 8 – Deus precisa de vós.
9 e 10 – Portanto, irmão, ergue o teu olhar para o alto, e ouve a voz do teu Deus que diz: Levanta-te! Sê forte e age!

Todos – Igreja, Deus esta falando conosco.

1 e 2 – Ide! Não temais!
3 e 4 – É hora de pregar a minha mensagem.
5 e 6 – Levai a minha palavra.
7 e 8 – E não vos canseis de falar do meu amor.
9 e 10 – Porque não começar agora? Já que estamos na última hora.

6 a 10 – Igreja é hora de agir.
1 a 5 – Ouça o clamor da multidão.

Todos – Então, levanta-te, seja forte e aja! Estamos na última hora.


Autoria – Mariano Siqueira





NÃO NEGUE O NOME DE JESUS POR NADA


Observação: O pregador vai ficar no meio da igreja e entra o oficial com seus soldados pela lateral.

Narrador: Um certo servo do Senhor, foi procurado pelas autoridades de Cuba, para que eles parasse de pregar o evangelho. E então...

Oficial: Eu, como oficial de cuba não quero esta religião aqui. Ordeno que pare de pregar este evangelho, ou então morrerá!

Missionário: Ó Deus, bem sei que está escrito na tua palavra, que por amor de ti Senhor, somos entregues a morte todos os dias, fomos considerados como ovelhas para o matadouro. Mas Senhor, em todas estas coisas somos mais que vencedores, por Aquele que nos amou.

Observação: O missionário levanta da oração e começa a louvar a Deus.

Missionário: Cantando: Estou seguindo a Jesus Cristo, deste caminho eu não desisto, estou seguindo a Jesus Cristo, atrás não volto, não volto mais. Se me deixarem os pais e amigos, se me cercarem muitos perigos, se deixarem os pais e amigos, atrás não volto, não volto mais.

Observação: O missionário junto com a família sai pela lateral da igreja.

Narrador: O missionário continua pregando o evangelho de Jesus Cristo, nas ruas de Cuba e na Igreja. Assim é o servo fiel, não teme coisa alguma, mas tudo faz para cumprir a vontade de Deus. É quando é abordado pelos soldados cubanos, que o martirizam com grande ira e os levam a força à presença das autoridades cubana.

Oficial: Eu já não disse que não aceito este tipo de religião em meu país. Se você não parara vai morrer agora.

Missionário: Ainda que custe a minha vida, não vou parar de pregar o evangelho de Jesus Cristo, por que só através dEle encontraremos a salvação; mas em nada tenho minha vida por preciosa.

Observação: O oficial ouvindo isto fica irado e fala:

Oficial: Se sua vida não lhe é preciosa, eu sei de umas que lhe irá fazer negar a este Jesus que você tanto prega.

Observação: O oficial faz sinal para os soldados entrarem com a esposa.

Oficial: Soldados!

Oficial: Agora negue a Jesus ou então, mato sua esposa, aquela que você escolheu para viver para sempre.
Observação: O missionário fica espantado e calado, enquanto o oficial insiste.

Oficial: Vamos! Negue, estou esperando.

Esposa: Não, não negue a Jesus por nada, mesmo que eu morra.

Observação: O missionário cai de joelho chorando e louvando ao Senhor.

Missionário: Canta: Estou seguindo a Jesus Cristo...

Observação: E o oficial manda que mate a esposa.

Oficial: Matem-na!

Observação: Os soldados retiram a esposa da presença do missionário e matam-na (levar a esposa para a lateral da igreja). Em seguida entraram com seu filho.

Oficial: Já que a vida de sua esposa não valia nada, o que me diz de seu filho? Nega ou não nega? Vai preferir que ele morra também?

Observação: E quando o missionário ouviu aquilo, começou a chorar e a clamar.

Missionário: Senhor, não deixem que eles matem o meu filho, não deixe que eu negue o teu nome. Oh Senhor está sendo muito difícil para mim. Eles vão também matar o meu filho, não agüento mais, mim ajude.

Observação: O filho vendo que o pai fazia gestos para negar a Jesus soltou-se das mãos dos soldados e disse:

Filho: Papai, não negue o nome de Jesus, mesmo que eu morra agora, nós um dia nos encontraremos no céu. Não negue o nome de Jesus por nada.

Observação: O oficial irado, manda matar o menino.

Oficial: Matem-no!

Observação: O soldado retira o menino da presença do pai. (Leva-o para a lateral da igreja) e o missionário cai de joelho chorando. Oficial olhando para missionário espera que o mesmo negue a Jesus.

Oficial: Tem algo a dizer?

Missionários: Canta: Estou seguindo a Jesus Cristo...

Observação: O oficial irado manda que os soldados matem o missionário.

Oficial: Mate-o!

Narrador: Pensavam os governantes daquele país, que com a morte daquela família de missionário, o evangelho deixaria de ser pregado naquele lugar, porem a semente foi semeada por aquele missionário, brotou e deu origem a outros missionários, continuando assim, a obra do Senhor. E o que devemos fazer para ajudar os nossos missionários é orar e ofertar.
Orem pelos missionários.

História real

Adaptação – Mariano Siqueira






UM JOVEM GANHADOR DE ALMAS

(10 participantes)

Entram todos cantando o hino da H.C 224


Todos – Mocidade destemida, esteja alerta para a chamada do Senhor.

1 e 2 – Quem irá após mim?
3 e 4 – Quem levará a minha mensagem?
5 e 6 – Quem está disposto a renunciar o mundo?
7 e 8 – Quem poderá abandonar o seu eu, em prol da minha causa?
9 e 10 – Quem está disposto a entregar-se totalmente em minhas mãos?

Todos – Os dias estão findos, a ceifa está chegando, e Deus tem um magnífico plano a ser executado com você neste mundo.

1 a 5 – Saia, sem perda de tempo, e cumpra a ordem de Jesus, que diz: - “Ide por todo mundo, e pregai o evangelho a toda criatura, quem crer e foi batizado será salvo, porem quem não crer será condenado.

6 a 10 – Saia por valados, vilas e cidades, em busca das milhares de almas que estão a perecer, e tem sua via aprisionada pelo adversário de nossas almas.

Todos – Vamos despertar enquanto é dia, porque a noite vem quando não se pode mais trabalhar, e nós jovens, precisamos ganhar tempo, pois Deus precisa:

1 – De jovens cheios do Espírito Santo
2 – De jovens consagrados à sua obra
3 – De jovens obedientes
4 – De jovens limpos de coração
5 – De jovens com vidas santificadas
6 – De jovens que buscam o Dom da palavra
7 – De jovens que tenham visões celestiais.
8 – De jovens que já tenham abandonado as coisas mundanas
9 – De jovens destemidos e encorajados para levar esta mensagem
10 - De jovens cheios do poder de Deus.

Todos – Se quisermos ser instrumentos afinados nas mãos do Todo-Poderoso, deixemos que Ele dirija a nossa vida, e não olhemos nem para um lado nem para o outro. Se fizermos assim:

1 e 5 – Seremos mais que vencedores.
6 e 10 – E vitoriosos em tudo.
Todos – Deus está conosco...com vocês...e precisa de jovens que:

1 - Não temam o mal
2 - Não temam o maligno
3 - Não temam as lutas.
4 – Não temam os perigos
5 – Não temam as tempestades
6 – Não temam as ciladas
7 – Não temam as barreiras
8 – Não temam os vitupérios
9 – Não temam as dificuldades
10 – Não temam as potestades, porque venceremos pelo sangue de Jesus.

Todos – E nós, a mocidade do Senhor, fomos escolhidos por Ele, para trabalharmos em sua seara, mas é preciso:

1 – Venceremos o mundo com suas vaidades
2 – Não olharmos mais as coisas passadas
3 – Fazermos tudo com alegria, em prol da grande obra.
4 – Levarmos esta mensagem, a tempo e fora de tempo
5 – Obedecermos fielmente a Deus, observando a sã doutrina
6 – Deixarmos que Deus nos use como ele quiser
7 – Que nos entregue totalmente em suas mãos
8 – Deixarmos que Ele nos molde como achar melhor.
9 – Sermos colunas e sustentáculos dos mais frágeis.
10 – Vivermos totalmente na dependência do Espírito Santo.

Todos – E todos poderão ser vasos nas mãos do Senhor, e serem usados, porque a Bíblia diz:

1 à 5 – Derramarei do meu Espírito sobre toda carne; vossos filhos e vossas filhas profetizarão, vossos mancebos terão visões.

6 à 10 – Vinde após mim, e Eu vos farei pescadores de homens.

Todos – O evangelho é poder de Deus. Jovem, tire proveito deste fato, consagrando sua vida inteiramente a Cristo. A palavra da Bíblia, a cada jovem, nesta noite é:

1 à 5 – Lembra-te do teu Criador nos dias da tua mocidade, antes que venham os maus dias e venhas a dizer: não tenho neles contentamentos.

6 à 10 – Jovens, meditem nestas coisas, ocupem-se com elas, para que o aproveitamento seja manifesto a todos, por meio de vós.

Todos – Não se omitam na obra de Deus. Comecem hoje a grandiosa tarefa de pregar o Evangelho, e Jesus fará de vocês:
1 e 2 – Obreiros aprovados
3 e 4 – Atalaias nas suas mãos.
5 e 6 – Instrumentos bem afinados.
7 e 8 – Batalhadores do Evangelho
9 e 10 – Grandes ganhadores de almas.

Todos – Preguemos a pessoa de Cristo, de maneira que o pecador veja a luz que brilha em nós, pois:

1 – Com Cristo temos vida permanente
2 – Com Cristo temos paz que não se esgota
3 – Com Cristo temos esperança eternas
4 – Com Cristo temos felicidades que nunca nos será tirada
5 – Com Cristo temos ema glória que não será tirada
6 – Com Cristo temos forças que jamais enfraquecerá
7 – Com Cristo temos sabedoria que jamais se acabará
8 – Com Cristo temos vida nova que nunca envelhecerá
9 – Com Cristo temos riquezas externais
10 – Com Cristo temos um fiel amigo que jamais nos decepcionara.

Todos – Deus procura no meio de apriscos, jovens que possam ser usados, sem reservas e sem limites. Ele nos entrega a chave da palavra, e nos diz nesta noite.

1 a 5 – Eis que diante de ti, pus uma porta aberta, e ninguém a pode fechar.

6 a 10 – Se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, eu entrarei e cearei com ele, e ele comigo.

Todos – Nesta noite, Cristo entrega a chave em nossas mãos, e diz: Trabalhem, e começarão a ver os resultados. Sejam corajosos, abram a porta do seu coração, leiam a palavra, orem e recebam a unção do alto, e cada um se tornará, um jovem ganhador de almas.


Autoria – Mariano Siqueira





O 4º HOMEM DA FORNALHA
DANIEL 3


Narrador: E aconteceu que o rei Nabucodonozor, fez uma estátua de ouro, e levantou-a no campo de Dura, na Província de Babilônia. E o rei mandou reunir os prefeitos, os presidentes, os juízos, os tesoureiros, os conselheiros, os oficiais, e todos os governadores das províncias, para que viessem à consagração da estátua. Todos estavam em pé diante da estátua. E o rei ordenou que os arautos, apregoassem em todo o reino, o seguinte edital.

Arauto: Ordena-s a vós, ó povos, nações e gente de todas as línguas, que quando ouvirdes o som da buzina, do pífaro, da harpa, da sambuca, do saltério, da gaita de foles e de toda sorte de música, vos prostrareis e adorareis a imagem de ouro que o rei Nabucodonozor tem levantado. E qualquer que se não prostrar e não adorar, será lançado dentro da fornalha de fogo ardente.

Narrador: Portanto, no mesmo instante em que todos os povos ouviram o som da música, prostraram-se e adoraram a estátua de ouro... Ora, alguns homens caldeus, vendo que os judeus não obedeciam ao decreto, chegaram-se ao rei e os acusaram, dizendo:

Rei: Que quereis na sala do trono?

Caldeu 1: Ó rei, vive eternamente. Tu, ó rei fizeste um decreto pelo qual todo homem que ouvisse o som de toda sorte de música, se prostraria e adoraria a estátua de ouro, e qualquer que se não prostrar-se e adorasse seria lançado dentro da fornalha de fogo ardente.

Rei: Sim, mandei apregoar este decreto por todo o reino.

Caldeus 2: Há uns homens judeus, ó rei, que tu constituísse sobre os negócios da província da Babilônia, Sadraque, Mesaque e Abedenego, que não obedeceram eo teu decreto.

Rei: Como assim?

Caldeus 2: A teus não servem, nem a estátua de ouro que levantaste adoram.

Observação: E o rei Nabucodonozor ficou irado e mandou chamar Sadraque, Mesaque e Abedenego.

Rei: Pois que tais homens sejam trazidos a minha presença.

Observação: E trazem os homens perante o rei.

Os três: Ó rei, vive eternamente.

Rei: É de propósito, ó Sadraque, mesaque e Abedenego, que vós não servis aos meus deuses, nem adorarias a estátua de ouro que levantei? Agora, pois, estais prontos, quando ouvirdes o som da música, para vos prostrardes e adorardes, a estátua que fiz, bom é, mas se não a adorardes, sereis lançados na fornalha de fogo ardente. E quem é o Deus que vos poderá livrar das minhas bênçãos.

Sadraque: Não necessitamos de te responder sobre este negócio.

Mesaque: Eis que o nosso deus, a quem servimos é que nos pode livrar. Ele nos livrará da fornalha de fogo ardente e da tua mão, ó rei.

Abedenego: E se não, fica sabendo, ó rei, que não serviremos a teus deuses, nem adoraremos a estátua de ouro que levantaste.

Rei: O que? Pois que ousai desafiar-me deste modo, morrereis então na fornalha de fogo ardente. Que o fogo seja aquecido sete vezes mais do que se costuma aquecer. E os homens mais fortes do meu exército, amarrem estes homens e os atirem imediatamente dentro da fornalha ardente. Cumpra-se a minha ordem.

Observação: Depois de lançar os três jovens, os soldados caem no chão, por causa da temperatura do fogo. O rei curioso levanta para olhar, se espanta e fala aos capitães.

Rei: Não lançamos nós, três homens atados dentro do fogo?

Capitães: É verdade, ó rei.

Rei: Eu porém vejo quatro homens soltos, que andam passeando dentro do fogo. Estais vendo também?

Capitães: É verdade é rei.

Rei: Eles não se queimam, e o aspecto do aspecto do quarto é semelhante ao Filho dos Deuses...nunca vi coisa igual! Sadraque, Mesaque e Abedenego, servos do Deus Altíssimo, sai e vinde.

Capitães: Oh!

Observação: Juntam-se ao sátrapas, os prefeitos, os presidentes e os capitães do rei. Ficam a observar os três jovens, seus corpos, cabelos, suas capas e não encontraram nada queimado, nem cheiro de fogo. Ficam temerosos e assustados olhando par os jovens e comentando sobre tal maravilha.
Narrador: E ajuntaram-se os sátrapas, os prefeitos, os presidentes e os capitães do rei, contemplando estes homens e viram que o fogo não tinha tido poder algum sobre os seus corpos, nem um só cabelo da sua cabeça se tinha queimado, nem as suas capas se mudaram, nem cheiro de fogo tinha passado sobre eles. Então, cheio do mais profundo temor, diante de tão grande maravilha o rei, Nabucodonozor.

Rei: Bendito seja o Deus de Sadraque, Mesaque e Abedenego, que enviou o seu Anjo e livrou os seus servos que confiaram nEle, pois não quiseram cumprir a palavra do rei, preferindo entregar seus corpos, para que não servissem e nem adorassem algum outro deus, se não o seu Deus... por mim, pois, é feito um decreto, pelo qual todo povo, nação e língua que disser blasfêmia contra o Deus de Sadraque, Mesaque e Abedenego, seja despedaçado e as suas casas sejam feitas um monturo; porquanto não há outro Deus que possa livrar como este.

Narrador: As maravilhas de Deus, as manifestações de Deus, foram muitas e grandiosas ao tempo do rei Nabucodonozor. E Deus lhe concedeu muitas bênçãos e riquezas; Contudo, a fidelidade que os servos de Deus, Daniel, Ananias, Misael e Asarias mantiveram para com Deus, nem Nabucodonozor nem seus vassalos souberam cultivar. Como no mundo de hoje, os homens deixam de ser fiéis a Deus, correndo após outros deuses. Assim o fizeram Nabucodonozor e seus vassalos.


Adaptação – Mariano Siqueira





O DESAFIO


(Peça para o Dia Nacional de Missões)

Voz oculta: “Levantai os vossos olhos e vede os campos, por que já estão brancos para a ceifa.”

Pregador: Senhor eu quero pregar a tua palavra; Senhor mostra-me alguém, mostra-me alguém.

Obs.: Entra uma pessoa em desespero.

Pessoa desesperada: Ah meu Deus” Meu Deus, eu não agüento mais esta vida vazia. Por favor, meu Deus, mostra-me o caminho, ajuda-me.

Voz oculta: Meu servo pregue a minha palavra!

Pregador: Oh, não Senhor!este não. Ele pode estar bêbado ou drogado ou ser um louco, sei lá; mas Senhor este comportamento não é normal, ele não, ele não Senhor.

Obs.: O pregador começa a pedir a Deus pra mandar outra pessoa, para pregar o evangelho.

Pregador: Senhor eu quero pregar a tua palavra, mande alguém para que eu possa pregar a tua palavra.

Obs.: Entra um rico bem vestido, com paletó, pasta, e falando num aparelho celular.

Voz oculta: Meu servo pregue a minha palavra!

Pregador: Senhor eu não posso pregar para este homem, ele é rico e eu sou pobre. Como ele vai querer me escutar? Vai me desprezar.

Obs.: Pregador começa a pedir a Deus para mandar outra pessoa.

Pregador: Senhor, eu estou ansioso para pregar a tua palavra mostra-me alguém.

Obs.: Entra algumas religiosas, falam entre si espantadas.

Voz oculta: Meu servo pregue a minha palavra!

Pregador: Senhor, elas são tão religiosas, não vão me dar ouvidos, não vão querer ouvir o teu evangelho.

Obs.: Pregador começa a pedir a Deus para mandar outra pessoa.

Pregador: Deus, oh meu Senhor, eu quero pregar a tua palavra, envia uma pessoa que precise ouvir a tua palavra.

Obs.: Entra em cena um mendigo, senta-se e começa a pedir esmola.

Voz oculta: Meu servo pregue a minha palavra.

Pregador: Senhor, ele é um mendigo e só quer um dinheirinho e não vai querer escutar a tua palavra. O que tenho ele não vai querer.

Obs.: O pregador começa de novo pedir a Deus para pregar para alguém.

Pregador: Senhor que quero pregar a tua palavra.

Obs.: Entra uma médica.

Voz oculta: Meu servo pregue a minha palavra.

Pregador: Esta não Senhor; ela fez faculdade. É médica, intelectual, estudada, por certo não vai querer me ouvir.

Obs.: O pregador mais uma vez fala para Deus mostrar alguém.

Pregador: Senhor, eu quero pregar a tua palavra.

Obs.: Entra alguns universitários.

Voz oculta: Meu servo pregue a minha palavra.

Pregador: Não” eles não Senhor. Eles são universitários, estudados e já planejaram sua vida. Não vão querer ouvir de mim a tua palavra são muito inteligentes. Não vou, não vou Senhor!

Obs.: O pregador pede de novo à Deus para mostrar a ele alguém.

Pregador: Senhor,mostra-me alguém para eu poder pregar a tua palavra.

Obs.: Entra um homem do campo.

Pregador: este homem, eu não vou mesmo. Um homem leigo, não sabe falar e nem se expressar. Como vai entender a tua palavra? Não Senhor, eu não vou perder meu tempo com ele, ele é um homem do campo, só entende de terra, não Senhor mande outro, mas eu quero pregar a tua palavra, o teu evangelho.

Voz oculta: Meu servo por que não pregaste a minha palavra? Muitas almas aflitas, desesperadas vieram querendo ouvir uma palavra e tu não pregaste. Mas meu servo como ouvirão se não há quem pregue?

Obs.: O pregador cai de joelhos e diz:

Pregador: Senhor tenha misericórdia de mim, perdoa-me Senhor. E a partir de agora, irei sair pregando a tua palavra a quem quer que seja; libertando os oprimidos e livrando os que estão destinados à morte. Ajuda-me Senhor nesta árdua tarefa.

Obs.: O pregador prega para todas as pessoas da peça. As pessoas se convertem. A pregação deverá ser feita em cima do versículo do livro de Marcos 16.15.

Pregador: Estou aqui para cumprir o ide de Jesus, que é levar este evangelho que tem o poder para salvar o pobre, o rico, o branco, o preto, independente de classe social, cultura ou formação intelectual. Pois para nós, homens, falhos enxergamos o exterior de cada pessoa, mas Deus conhece a necessidade do coração. E hoje ele quer suprir a tua necessidade. (Convite)

• Médica: Jesus quer salvar você, tu podes saber de todos os remédios que cuida do corpo, mas da alma só quem tem a cura é Jesus. É Ele quem transforma a lama angustiada em um alma saudável, venha hoje fazer esta transformação.

• Rico: O homem pode ter todo o dinheiro do mundo, comprar casas, carros, fazendas, iates, etc. porém, há uma coisa que o homem não poder comprar, que é a salvação, pois esta Jesus já comprou com o ser sangue, pra você.

• Religiosas: Oh, Deu! Eu creio que nesta noite, existem pessoas que acreditam que a salvação está na religião, nos costumes e tradições, porém permita-me Senhor dizer a estas pessoas, que tudo isso é vão, que a salvação está em Cristo Jesus.

• Mendigo: Olha, eu te digo, não tenho nem prata, nem ouro, mas o que tenho isto eu te dou, a chance de mudar a sua visa aceitando a Jesus Cristo como seu salvador.

• Universitários: Vocês aí, sim, vocês mesmo. Podem achar que sabem de tudo, podem ser cultos, saber de várias ciências, ser instruídos. Mas inteligente mesmo é aquele que tem Cristo na vida. Venha! Use sua inteligência para Deus.

• Desesperado: Você que chora amargamente, que o vazio de sua alma parece não ter fim. E a angustia é sua constante companheira, você veio ao lugar certo, pois Jesus está aqui para te libertar, pra aliviar sua angustia, venha aceitar a Jesus, venha tomar esta importante decisão.

• Homem do campo: Não ter uma formação intelectual, não ter tido a chance de aprender a ler e escrever; não te deixar diferente dos demais, para Deus você é muito importante. Venha fazer parte da família de Jesus.

Obs.: Alguns ficam de joelhos (homem do campo, desesperado, médica, religiosas).

Pregador: Eu vou orar por vocês e creiam que Deus dará a libertação de vossas almas, por que Ele libertou e continua libertando. Liberta viciado em drogas, pessoas oprimidas pelo diabo. É só crê. Vou orar, peçam perdão de vossos pecados a Deus.

Voz oculta: “Livra os que estão destinados à morte. E salva os que são levados para a matança. Se os puderes retirar ( Pv. 24.11)

Obs.: Todos levantam a Bíblia e diz:

“Levantai os vossos olhos e vede os campos, por que já estão brancos para a ceifa”.

Obs.: Todos cantam o hino brado de missões.

Autoria - Mariano Siqueira




A NOITE DA VERDADE

(PARA O DIA DOS PAIS)
PEÇA EM UM ATO

Personagens: Paulo, o pai.
Etel, a mãe.
Marcos, o filho.


Cenário – Uma sala de residência

Indumentárias – Comuns, da época atual.

Acessórios – Uma Bíblia, óculos, algodão e mercúrio para curativos.

Obs.: No inicio da peça, Paulo está em cena sentado, lendo a sua Bíblia e fazendo algumas anotações. Em seguida entra Etel.

Etel – Vou servir almoço daqui a pouco, Paulo.

Paulo – Está bem, estou quase terminando este esboço

Etel – Você irá pregar amanhã à noite?

Paulo – Não, pela manhã no programa especial para o dia dos pais.

Obs.: Etel parece entristerce-se, e anda de um lado pra o outro, Paulo percebe seu nervosismo, levanta-se, em boca de cena, passa o braço ao redor do ombro da esposa.

Paulo – E então Etel, o que há?

Etel – Penso o quanto deve ser difícil pra você falar aos pais de nossa igreja, tendo um filho tão... problemático.

Paulo – Você tem razão, só mesmo pela infinita misericórdia de Deus.

Etel – Marcos me preocupa, saindo com aquela turma onde não há um só rapaz ajuizado.

Obs.: Entra Marcos, o filho.

Marcos – Aposto que estão falando a meu respeito.

Paulo – Você sabe que temos razões de sobra pra ficarmos preocupados com você.

Marcos – Rindo- ora meu pai, é que hoje em dia já não fazemos programas tão ingênuos quanto os de sua época.

Paulo – E o que fazem então? Fumar, beber, depredar tudo como verdadeiro vândalos? Diga-me Marcos, o que fez de seus estudos?

Marcos – Mamãe ainda não lhe disse? Tranquei a matricula.

Paulo – E por que?

Marcos – Sem jeito – por que...sei lá, acho que ainda não estou bem certo se a medicina é mesmo uma boa carreira.

Paulo – E o que vai fazer da sua vida?

Marcos – Aproveita-la meu pai, da melhor maneira possível.

Etel – Bem, eu vou cuidar do jantar (sai)

Marcos – Eu já estou de saída. O pessoal está à minha espera.

Paulo – Você irá à Igreja amanhã, Marcos?

Obs.: Marcos, repimindo o riso.

Marcos – Igreja! Bem...poder ser, se eu não estivesse com muito sono.

Paulo – Cuidado, filho. Os caminhos que a juventude escolhe, nem sempre são os melhores.

Marcos – Revoltado: cuidado, cuidado! O senhor pensa que ainda sou um menino, pai? Sou um homem! Quer saber mais? Cuide de sua vida pacata de pregador de Igreja, e eu cuido da minha, entendeu? (sai)

Obs.: Paulo sentando-se muito triste.

Paulo – Meu Deus, que situação difícil eu entrego em Tua Mãos Senhor! Que o meu filho possa abrir os olhos para a verdade. Amém. (sai)

Narração - E Marcos foi juntar-se àqueles que considerava seus melhores amigos – os piores rapazes do bairro. Esquecido da família e da existência de Deus, divertia-se à larga sem dar importância a mais nada que não fosse aquela noite, que parecia ser feita para festa e alegria.

Obs. - Marcos entra correndo pela porta que dá para à rua, com o rosto parecendo ferido, gritando!

Marcos - Meu pai! Por favor papai, preciso falar-lhe!

Obs. - Paulo entra pela porta lateral maior, trazendo os óculos e a Bíblia na mão.

Paulo – O que foi Marcos? Mais o que aconteceu com o seu rosto?

Marcos – Tocando o rosto ferido (nervoso) – creio que estou machucado. Puxa pai, foi horrível.

Etel – Entrando – o que houve, filho? (assusta-se)...mas você está ferido!

Marcos – Não se preocupe, mãe. Eu... acho que mereci o que aconteceu.

Paulo – Abraçando o filho – e o que aconteceu, Marcos?

Marcos – O Senhor tinha razão, como sempre o Senhor tinha razão; foi o seguinte: Estava-mos todos bebendo no bar e, de repente começou uma discussão boba. Lucio então resolveu sair quebrando tudo, copos, garrafas... como um louco. Creio que na confusão feriu gravemente o dono do bar. Alguém chamou a policia e...

Paulo – E você conseguiu escapar, não foi?

Marcos – Mas eu não tive culpa de nada!

Etel – E como provar agora que não teve culpa?

Marcos – Todos viram que foi o Lucio quem começou tudo...

Paulo – Mas você estava junto e poderá ser incriminado também, não acha?

Marcos – Meio amedrontado – não poderá fazer nada contra mim.

Etel – Eu vou buscar algo para fazer um curativo. (sai)

Paulo – Meu filho, um homem é reconhecido pelo o que faz e pelas companhias com quem anda. Diante da lei você terá de provar que está inocente e eu não poderei fazer nada.

Obs. – Marcos andando nervosamente de um lado para o outro, como ocuado.

Marcos – Mas você é um homem muito respeitado. É um médico, pai!

Paulo – Ainda esta noite você não considerava tão importante ser um médico...

Marcos – Eu estava errado, pai. O Senhor me perdoa?

Paulo – É claro Marcos. Mais ainda assim terá que prestar contas com a justiça, se andou agindo errado.
Marcos – Estive errado andando em companhia deles. Agora sei quem realmente são.

Paulo – Acha que os rapazes da igreja, que você considera tão piegas, agiriam assim?

Marcos – Não, sei que não... eu irei a igreja amanhã.

Paulo – Amanhã não teremos culto na igreja. É programa especial.

Obs. – Etel entra com o material de curativos...

Etel – Amanhã é dia dos pais Marcos.

Marcos – Dia dos pais? Puxa, eu tinha esquecido!

Paulo – Não importa, você já deu o presente: a sua decisão de mudar de vida.

Etel – Limpando o rosto do filho: lembra-se de quando foi diretor de sociabilidade em nossa igreja, filho? Nunca esteve tão feliz naquela época.

Marcos – Fazendo uma careta de dor: cuidado mãe está doendo. Você acha que a mocidade me elegeria outra vez?

Etel – Sei que ficarão alegres com a sua volta.


Marcos – Nova careta: mãe devagar, está doendo.

Paulo – Rindo: não reclame, Marcos. Você já não é mais um menino, é um homem. Lembre-se!

Marcos – Depois de submeter-se ao curativo, abraça o pai: tem razão pai, sou um homem.

(cena em estático: pai e filhos abraçados, e Etel rindo, ao lado, olhando o curativo no rosto de Marcos)



Narração – E no domingo, na festa do dia dos pais, Paulo falou animadamente do imenso amor de Deus e que quanto Ele ouve as orações de todos os pais que entregam em sua Santas mãos.


Autor Desconhecido




42 comentários:

vlw mesmo
esses jograis são
muitos lindos
muito muito mesmo
vlw mesmo
quem quiser
entrar pow

gosto muito de trabalhar com jograis, peças
DEUS,prepara servos,como voce para esta obra vai em frente DEUS é comtigo,celina.

esse sait é ótimo continuem assim que DEUS abençõe cada dia mais e que possa ungir a todos vocês!

Muito lindo estava precisando para os congresso dos jovens o tema era como ouvirão se não a quem pregue?
achei muito mesmo lindo

Gostei muito ,os jograis são edificantes,precisamos de coisas assim na internet.

DEUS VOS ABENÇÕE PELA OBRA DE EVANGELIZAÇÃO POIS ESTOU APROVEITANDO TODOS NA IGREJA E ESTAMOS FAZENDO A OBRA.

lindos, depois que eu encontrei este site a cada 2 meses minhas escolho um trabalho p/ apresentar na minha congregação que Deus abençou vcs sempre

estao de parabens pelos jograis;que DEUS continue vos abençoando e capacitando sempre!!!

achei lindos...
a paz do senhor!!!

achei muito lindo que deus abençoe voces a paz do senhor

por favor alguém sabe aquele jogral que diz assim: mostre- me suas mãos que Jesus chama a cada um pelo nome pedindo que se apresente mostrando -lhe as mãos?se souber me ajude preciso muito deste jogral..

tambem estou a procura desse jogral nos ajuda por favor

o nome dessa peça é de mãos vazias!!!

Mãos Vazias

Narrador -- A Bíblia nos fala em Mateus 20.25,30,35, sobre a vinda de Jesus Cristo. Ao lermos este texto, ficamos realmente desejosos de saber quando Jesus voltará. Mas eu gostaria de lhe fazer um pergunta: Como está a sua vida? O que você tem feito para Jesus? Gostaria que refletisse bem a respeito disto, pois a volta de Jesus será num dia e numa hora que ninguém sabe. Agora, imagine se de repente tudo escurecesse... e você ouvisse uma voz dizendo:

Luzes se apagam de repente.

Voz -- Jesus está voltando! Jesus está voltando!

Luzes se acendem e Jesus entra.

Narrador -- O que você teria a apresentar? O que você faria nesta situação em que se encontra, se Ele surgisse chamando o seu nome e dizendo:

Jesus -- Sara, apresente-se a Mim, mostre-Me tuas mãos.

esse é uma parte da peça

Existe algum jogral com o tema: "Humilhai-vos perante o Senhor e Ele vos exaltará"?

Parabéns, pelos dons que o Senhor te deu, nunca enterre, faça multiplicar. que Deus te abençoe. Ir. Julio ( Dirig. da Campanha Evanv. em Jd. Fragoso - Casa Caiada - Olinda - PE. )

Só DEUS pra colocar pessoas assim como vcs pra nos ajudar!!! estamos precisando de um jogral de 5 participantes, será q vcs pode nos ajudar??? Seria de muita importancia para nos. Vanilson Alves ( Vice-dirigente do Grupo Divinos Luovores em Paulista-PE.)

O jogral é sobre ARREBATAMENTO DA IGREJA.

ADOREI!TUDO QUE LE É REALMENTE MUITO LINDO QUE O Senhor Jesus continue vos abençoando.

maravilhoso!!!!!!
è bom saber que existem pessoas que levam a palavra de Deus!!!!!

oi eu gostei muito sempre q pudre coloque novas peças e jograis Deus abençoe a paz do senhor

AMEI OS JOGRAIS,CONTINUE ASSIM,QUE DEUS VOS ABENÇOE

QUE DEUS ABENÇOE A VOCÊ, AMEI TUDO QUE VI.

MUITO BOM!!!QUE DEUS VOS ABENÇOE MAIS!!!!!

OS JOGRAIS E PEÇAS ESTÃO UMA BENÇÃO PARA A HONRA E GLÓRIA DE DEUS QUE ELE CONTINUE TE USANDO CADA VEZ MAIS NA SUA CEARA...FICA NA PAZ DO SENHOR.

amei tudo que vi,a cada dia vemos que temos que pregar o evangelho.que Deus abençõe a todos voçês.

nossa lindo demai amei temos tbm um grupo anunciando a volta de cristo .
q DEUS possa vos abençoar cada dia mais .

é uma benão mesmo esses jograis! Deus abençõe! eu gostaria se alguém tiver um jogral com o tema :CRIADO PARA SER ETERNO! me enviasse por favor para o Email:janeidemarcio@ig.com.br

gostei muito e que cada vez a mensagem genuina possa ser pregada e levada que Deus abençoe vocês , para este proposito. Jesus e a verdade e a vida

È SÓ BENÇÃO SEMPRE ADMIRO TODAS AS PEÇAS DE VCS, QUE DEUS POSSA VOS DAR MUITO MAIS PARA ESTÁ NOS ABENÇOANDO. ABRAÇO.

muito bom estes jograis,histórias inspiradoras,Deus abençoe.

Nossa, é mesmo uma benção!
Que lindo quando Deus dá inspiração.
Que Ele continue te usando cada dia mais.

Gleyci disse:


Deus fala através de peças não tenho dúvidas disso ,Quando começo a ler fico toda arrepiada parabéns pelo grande trabalho!

Muito bom, os conteúdos contidos nesse site.

Se os jovens ou adultos utilizarem as peças para propagar o evangelho para os que ainda não tem cristo como seu único salvador, abrirá os olhos do povo de Deus.

Eu farei o possível para propaga o evangelho de Deus, através das peças de excelência desse site juntamente com o meu chamado .

muito bom os jograi e peças ,pois nos ajuda a idealizar programas e realiza-los na igreja .amei!!!!!

é uma bençao muito forte amei PERÇA

Parabens!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Os jograis estao belissimos e as peças tambem.

parabens,continuem assim e o senhor continurá vos abençoando!!!

Consegui Ganhar almas através de uma dessas peças
Olha continua colocando mais e mais peças
Pos Deus tem operado grandemente em nossas vidas
Através delas

Postar um comentário

DINAMI: Dia Nacional de Missões

DINAMI: Dia Nacional de Missões

Janela 10/40 O Maior Desafio Missionário da Atualidade.

Janela 10/40 O Maior Desafio Missionário da Atualidade.

Seguidores

Share

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More