sábado, 10 de dezembro de 2016

Aprendendo a perdoar

“Sentia raiva dos militantes, principalmente quando via as cicatrizes em meu corpo, mas Deus me ensinou a arte do perdão e ministrou em mim a paz de espírito”


República Centro-Africana
Quanizolo* costumava ser um jovem ativo e, como membro da igreja na República Centro-Africana, liderou um coral e ajudou muito na Escola Bíblica Dominical. Mas quando o grupo extremista islâmico Seleka atacou sua região, em 2013, muitas coisas mudaram para ele. Seus ferimentos foram graves e causaram algumas lesões definitivas que o limitam fisicamente. De lá para cá, porém, ele tem trilhado a estrada do perdão.

 “O dia 14 de abril de 2013 é uma data inesquecível para mim, que dói até os dias de hoje. Foi o dia que minha vida mudou completamente. Ainda ouço o som da explosão súbita, depois disso fui carregado até uma ambulância e levado a um hospital”, conta. Na ocasião, sete pessoas morreram e mais de 30 ficaram gravemente feridas. “Minha perna esquerda teve de ser amputada do joelho para baixo. Passei 4 meses internado”, lamenta Quanizolo que adorava jogar futebol com os amigos. “A Portas Abertas cobriu as despesas médicas, fui bem cuidado e agora tenho uma prótese que me permite ir e vir livremente. Ainda sinto alguma dor, mas já estou bem melhor”, comenta.

 Ao ser questionado sobre o que sente pelos agressores que causaram essa grande mudança em sua vida, ele responde: “No começo questionava a Deus ‘onde o Senhor estava na hora da explosão?’, pois eu não acreditava que ele deixaria isso acontecer comigo. Sentia raiva dos militantes, principalmente quando via as cicatrizes em meu corpo. Mas Deus me ensinou a arte do perdão e ministrou em mim a paz de espírito”, revelou o cristão.

 “Deus nunca deixou de falar comigo. Eu encontro conforto na Palavra. Uma das passagens que mais me encoraja é essa: ‘Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com ação de graças, apresentem seus pedidos a Deus. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os seus corações e as suas mentes em Cristo Jesus’. (Filipenses 4.6-8). Agradeço a Deus pela Portas Abertas e por todos os que oraram por mim. Ainda tenho muitos sonhos a realizar”, conclui Quanizolo.

 Leia também
Cristãos refugiados são atacados
O grande desafio de manter a paz aos cristãos



Postado: 10 de dezembro de 2016

0 comentários:

Postar um comentário

DINAMI: Dia Nacional de Missões

DINAMI: Dia Nacional de Missões

Janela 10/40 O Maior Desafio Missionário da Atualidade.

Janela 10/40 O Maior Desafio Missionário da Atualidade.

Seguidores

Share

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More