Culto de Doutrina na Igreja Sede é marcado pelo poder Pentecostal

O culto de doutrina desta terça-feira (16) no templo-sede da Assembleia de Deus em Alagoas, localizado no bairro do Farol, em Maceió, teve uma edificadora e emocionante mensagem bíblica...

Cinco coisas que cada cristão deve saber sobre Boko Haram

No domingo, 7 de maio, manchetes em todo o mundo começaram a declarar boas notícias: 82 meninas que haviam sido seqüestradas de uma escola na Nigéria estavam sendo libertadas. No entanto, para...

Pastor Mirab é preso na Ásia

Em sua última viagem, ele foi preso e colocado em um centro de detenção. Mirab é o pastor de uma igreja asiática oficialmente registrada que foi recentemente procurada pela polícia. A polícia procurou sua casa também, e encontrou literatura cristã, CDs e...

Missionários testemunham 450 mortos ressuscitados em Moçambique

Em 1997, o casal de missionários Heidi e Rolland Baker fizeram parte do movimento da “Bênção de Toronto”, muito popular no Canadá. Eles buscavam um avivamento pessoal e testemunham que...

Pr. José Orisvaldo Nunes inaugura mais uma igreja no município de Pariconha

O pastor-presidente José Orisvaldo Nunes de Lima participou esta semana da inauguração de mais um templo da Assembleia de Deus no município de Pariconha. A nova congregação fica localizada no povoado Tanque e...

Filho e neto de líder cristão morrem durante confronto

Recentemente, mais um ataque violento contra os cristãos ocorreu na República Centro-Africana, envolvendo o filho mais novo e o neto de um dos principais líderes religiosos do país, Nicolas Grekoyame...

domingo, 26 de maio de 2013

Hoje é dia de realizar o DIP - Domingo da Igreja Perseguida

A espera finalmente chegou ao fim: hoje, 26 de maio, mais de 5.000 igrejas em todo o Brasil dedicarão um tempo e espaço com seus fiéis para orar, contribuir, divulgar e conhecer melhor a causa da Igreja Perseguida. Participe também


 Em pleno século 21, cerca de 100 milhões de cristãos enfrentam hostilidade e perseguição religiosa pelo simples fato de seguir a Cristo. Essa intolerância acontece de várias maneiras: por meio do governo, da sociedade e, principalmente, da família. E, as represálias consequentes da profissão de fé destes irmãos são muitas vezes: encarceramento, agressões físicas e psicológicas, ameaças, perda de emprego, e morte.

 O Domingo da Igreja Perseguida, criado em 1987, pelo Irmão André (fundador da Portas Abertas), tem sido realizado no Brasil desde 1988. A data em si varia de ano a ano, pois é marcada no domingo, logo após o Pentecostes. Este critério foi adotado porque, no relato bíblico em Atos capítulo 4, o início das perseguições aos cristãos acontece logo após a descida do Espírito Santo, com a prisão de Pedro e João. Simbolicamente, portanto, podemos dizer que esta foi a “fundação” da Igreja Perseguida.

 O objetivo do DIP é fazer com que a Igreja no Brasil conheça, se interesse e divulgue a causa da perseguição religiosa. Os departamentos infantis, de teatro, de jovens e de louvor das igrejas preparam diversas atividades para mobilizar os membros de suas comunidades. Algumas igrejas separam o dia todo repleto de ações e outras parte do culto, mas o mais importante é que os cristãos brasileiros estão cada dia mais tendo ciência das dificuldades que seus irmãos vivenciam diariamente, e estão se envolvendo em oração.

 Motive sua igreja a orar pelos milhões de cristãos espalhados pelo mundo que não têm liberdade e a possibilidade de servirem a Jesus Cristo livremente. No Afeganistão, muitas mulheres são queimadas com ácido quando seus maridos descobrem que elas se converteram à fé cristã. Na Nigéria, existem milhares de viúvas e mães da Igreja Perseguida, que perderam seus entes queridos porque eram seguidores de Cristo Jesus.

 "Eu entreguei minha vida a Cristo há dois anos, mas todos os membros de minha família são muçulmanos. É por isso que minha esposa e filha me desprezam", disse Mohamed Habi, um refugiado do Mali.

 A Portas Abertas, juntamente com a Igreja Brasileira, pode fazer muito pelos cristãos perseguidos, e o DIP é uma oportunidade de os organizadores levarem para suas comunidades a realidade de pessoas como Mohamed.Afinal, somos UM COMO ELES, certo?

 Fonte:http://www.portasabertas.org.br/
Postado em 26 de maio de 2013

Classificação de países por perseguição

Classificação de países por perseguição


CONFIRA A NOVA CLASSIFICAÇÃO DE PAÍSES POR PERSEGUIÇÃO 2013!

Com base em experiências de campo, anualmente, a Portas Abertas publica uma lista com os 50 países mais opressores ao cristianismo. Há três principais objetivos para esse levantamento: fazer dessa classificação um instrumento mais preciso de medição da extensão da perseguição aos cristãos hoje; determinar onde a necessidade é mais urgente e; assim, planejar melhor projetos e ações.

 Perseguição é "toda e qualquer hostilidade vivenciada em qualquer lugar do mundo, como resultado da identificação de uma pessoa com Cristo. Isso inclui atitudes, palavras ou ações hostis contra os cristãos, partindo de fora do cristianismo ou em meio a ele". Ron Boyd-MacMillan

 Em comparação ao ano anterior, a Classificação de Países por Perseguição, originalmente chamada de World Watch List - WWL, chegou em 2013 com alterações significativas e destaques bastante curiosos; a começar pela maneira com que a listagem foi feita.

 A explicação é bastante simples: até 2012, o questionário elaborado pela Portas Abertas, que considerava as áreas onde a perseguição religiosa era mais latente, era composto por perguntas genéricas, rápidas, e não muito aprofundadas. Para a classificação desse ano, o questionário apresentado aos cristãos em campo foi reestruturado e alguns fatores e detalhes foram postos na balança. O relatório passou a considerar dois aspectos da perseguição religiosa: o contexto da perseguição e as diferenças de perseguição de acordo com as comunidades hostilizadas.

 Por esse motivo, esse ano surgiram importantes mudanças nas dez primeiras posições, com novos países que passam a integrar o quadro dos 50 mais intolerantes à fé cristã. Ao comparar a classificação de 2013 com a de 2012, atente-se aos seguintes destaques:

 Países novos entraram na lista: Mali (7ª), Tanzânia (25ª), Quênia (40ª), Uganda (47ª) e o Níger (50ª).

 Como já citado, o Mali, na África, que não apareceu em classificações anteriores, já chega ocupando a 7ª colocação. Isso se deu porque, após um golpe militar de Estado em março de 2012, o país vive hoje um momento de tensões e mudanças políticas, o que reflete diretamente na perseguição à Igreja. O norte foi dominado por milícias islâmicas e, portanto, todas as igrejas dessa região foram destruídas e milhares de cristãos tiveram que fugir para o sul ou para países vizinhos.

 Há onze anos consecutivos, a Coreia do Norte figura em primeiro lugar no ranking.

O Iraque está agora no TOP 5 da lista. Pulou da 9ª para a 4ª posição no quadro geral. Desde 2003, quando a invasão liderada pelos EUA derrubou o regime de Saddam Hussein, os cristãos tem sido alvo constante de grupos radicais islâmicos que atuam no país.

 A Síria subiu 25 posições, a Etiópia 23 e a Líbia 9, o que significa que a perseguição nesses países se intensificou.

 A Nigéria se manteve no 13º lugar, mas a perseguição que antes era considerada somente no norte do país, agora se expandiu para todo o território.

 A China desceu do 21º lugar para o 37º e o Egito do 15º para o 25º. Entenda, porém, que essas alterações nas posições não significam, necessariamente, uma melhora na perseguição religiosa na China e no Egito, especificamente. O que acontece é que, devido à mudança na forma de classificação dos países, em alguns lugares a perseguição religiosa é maior do que nessas nações, o que fez com que muitos países descessem no ranking sem que a hostilidade aos cristãos tenha diminuído de fato.

 O esclarecimento acima pode aclarar também porque alguns países deixaram o ranking, mas não devem sair da sua lista de orações, já que a perseguição não acabou. São eles: Cuba, Bangladesh, Chechênia, Turquia e Belarus. É, novamente, a nova maneira de aferir a perseguição que provocou tal movimento na tabela. Relatos do campo informam que, sim, em determinados países, como a China, há sinais de melhora, mas, mesmo assim, as pressões contra minorias religiosas permanecem.

 A boa notícia é que a perseguição tende a estar relacionada com o crescimento e o testemunho, e normalmente refina e fortalece a fé dos cristãos, não o oposto. Por isso, em geral, o aumento das pressões contra o cristianismo mostra que a Igreja está crescendo.

 RANKING 2013 / 2012


Entenda como a Classificação (WWL) é formada
Faça o download do novo mapa da WWL A4
Faça o download do novo mapa da WWL para banner

 Fonte:http://www.portasabertas.org.br/
Postado em 26 de maio de 2013

Apesar da perseguição, cristão etíope persevera em sua fé

David é considerado um homem idoso. Ele veio para a fé em Cristo já avançado em idade. Apesar das circunstâncias difíceis que enfrenta como ex-muçulmano, ele continua a aproveitar todas as oportunidades possíveis para ser uma testemunha do amor e da fidelidade de Deus


 Certa manhã de uma sexta de fevereiro passado, muçulmanos extremistas atacaram David U e outros cristãos que ele discípula, na Etiópia. Pelo menos duas casas foram queimadas e David sofreu um ferimento na cabeça, causado por um facão.

 Um colaborador da Portas Abertas falou ao telefone com a família de David enquanto eles o levavam para ser tratado em uma cidade vizinha, maior. Também conversou com David que, por conta do ocorrido, mal conseguia se expressar. Sob tais circunstâncias, a Portas Abertas logo fez planos de visitar o cristão no hospital.

 Ao chegar, o representante da Portas Abertas percebeu que David estava melhorando e, por isso, agradeceu ao Senhor. Uma pequena cirurgia foi realizada em sua cabeça, e os exames não revelaram fraturas. Agora, ele precisa se recuperar das dores dos ferimentos e do trauma emocional que tanto o aflige.

 "Eles apontaram armas para mim. Fui cercado e apanhei com paus, fui ferido com um facão. Pensei que morreria," compartilhou ele.

 Situações como essa não são raras no país. Há anos, o grupo de cristãos que mora no mesmo vilarejo que David vem enfrentando forte hostilidade de seus vizinhos. Porém, mesmo assim, eles têm mostrado persistência em compartilhar o amor de Cristo com quem estiver disposto a ouvi-los. Além disso, fazem o bem para a comunidade, oferecendo uma escola aos moradores – muito necessária já que a aldeia é isolada.

 Através do suporte de parceiros ao redor do mundo, a Portas Abertas tem sido capaz de se envolver com esta comunidade cristã já há muitos anos. O apoio de irmãos de diversos países tem sido refletido não só no suporte a David e às necessidades físicas e espirituais de sua família, como também no estabelecimento de um projeto de desenvolvimento comunitário a longo prazo.

 A participação ativa de cristãos que oram, contribuem e divulgam a causa por meio da Portas Abertas mostra à Igreja Perseguida que, de maneira alguma, ela não está só. Há um Corpo de Cristo que permanece como base de apoio, mobilizando esforços para trazer esperança aos irmãos perseguidos.

 "O Senhor me deu outra chance de servi-lo. Na noite escura, ouvi os disparos perto de mim, mas eles não me atingiram. Eram mais de 30 agressores. Somente pelas orações e a ajuda de outros cristãos, chegamos até aqui. Só posso entender que Deus quer que eu continue o trabalho. Ainda há muito que fazer", concluiu David.

 A Etiópia está no 15º lugar da  Classificação de países por perseguição.

 Fonte:http://www.portasabertas.org.br/
Postado em 26 de maio de 2013

“Eu sou do meu amado e o meu amado é meu.” (Ct 6.3a)

Hoje (26), o underground, ministério de jovens da Portas Abertas Brasil completa 12 anos despertando a juventude cristã brasileira para servir a Igreja Perseguida


 Para Juliana e Felipe este versículo é uma realidade. Eles foram unidos à família na fé e unidos em casamento por intermédio da Portas Abertas. Um testemunho de amor eterno

 "Somos gratos a Deus por esse ministério, que nos aproximou da nossa família na fé e cooperou para que fossemos uma família também", diz Juliana.

 Ela (27) é professora de Educação Infantil e ele (30) professor de Ciências Humanas, ambos residem em Campinas, São Paulo.

 Felipe nos conta que conheceu a Portas Abertas por intermédio da leitura do livro O Contrabandista de Deus. O livro despertou seu interesse sobre a situação da igreja em países onde há restrição ao Evangelho. "Ao pesquisar mais, encontrei o site da Portas Abertas e do ministério underground onde me cadastrei para receber notícias por e-mail.

 Em 2006, um dos e-mails que recebi encorajava as pessoas a orar por uma viúva. Respondi o e-mail agradecendo, pois fui tocado a orar e agir através daquela mensagem. A coordenadora do underground na época respondeu, incentivando-me a participar do Congresso Underground, em São Paulo, naquele ano, onde fui com minha irmã. No mês seguinte, junto com minha irmã, participei do acampamento underground, que fez marcas e mudanças profundas na minha vida, e faz até hoje", conta Felipe.

 Juliana, desde adolescente, recebia em casa a revista da Portas Abertas, que seu pai assinava. No entanto, evitava lê-la, por medo, pois sabia que tratava da perseguição aos cristãos, e isso lhe assustava. "Lembro-me que numa tarde, assisti com a minha família o filme Bambus no Inverno, da Portas Abertas", ela conta. "Quando terminamos, estávamos abraçados e chorando, de joelhos, e eu fui muito impactada, sabia que era parte da minha família que estava vivenciando aquilo. Então, em 2003, com 17 anos, meu pai me mostrou um panfleto do underground, anunciando um acampamento, o Extreme Camp. A imagem de um garoto correndo com uma Bíblia nas mãos me impressionou, e pelo incentivo do meu pai, fomos eu e uma amiga participar desse acampamento, que hoje é o acampamento underground, sem saber ao certo o que vivenciaríamos.

" Juliana continua: "No acampamento, tive um verdadeiro encontro com os cristãos perseguidos. Cada palavra, cada reflexão, cada simulação e testemunho entraram profundamente na minha alma. Foi assim que me tornei voluntária do underground, passando a cooperar nos eventos do ministério, falando sobre a Igreja Perseguida na minha própria igreja, em outras, na escola, no trabalho, em qualquer lugar".

 A Igreja Perseguida marcou nossas vidas. Nosso casamento teve a participação direta do ministério underground.

 "No final de 2006 foi quando nos conhecemos, no acampamento underground, em Itaguaí, no Rio de Janeiro. Eu estava trabalhando no acampamento e o Felipe era acampante. Trocamos poucas palavras, o acampamento foi muito intenso e Deus trabalhou imensamente. Estivemos novamente juntos num encontro de oração em São Paulo, no início de 2007, e nossa amizade teve início. O Felipe tinha um trabalho com meninos de rua em Limeira, e eventualmente ajudava o Projeto Toque, em São Paulo, que trabalha com evangelização na região da Cracolândia. Indicaram ao Felipe o trabalho da Expedição Mochila, um ministério de evangelização de crianças, do qual eu fazia parte, com um projeto de evangelização das crianças do meu bairro, através da recreação e do esporte. Como o Felipe já me conhecia através do underground, passou a me ajudar no trabalho com as crianças", narrou Juliana.

 "O que eu não sabia, era que antes de nos conhecermos, o Felipe comprou um anel com uma inscrição em hebraico, do versículo "Eu sou do meu amado e o meu amado é meu" (Ct 6.3a), fazendo a Deus um pedido sobre sua futura esposa, que servisse de sinal: que ela fosse capaz de ler o que estava escrito em hebraico no anel, e que o mesmo coubesse em seu dedo.

 De fato, a primeira (e única!) conversa que tivemos no acampamento foi quando peguei suas malas e vi o anel, que estava pendurado como chaveiro na mala. Li o que estava escrito e elogiei o anel, dizendo que eu sabia porque havia estudado hebraico.

 Em fevereiro de 2007, o Felipe me contou a respeito desse sinal e colocou o anel em meu dedo, com um pedido de casamento. Estamos casados há quatro anos e continuamos servindo a Igreja Perseguida, como voluntários do underground, servindo os cristãos perseguidos e os jovens da igreja brasileira, e também num intuito especial de divulgar a causa às crianças da igreja brasileira, numa linguagem que compreendam e que as leve a abraçar com amor as crianças perseguidas.

 Somos gratos a Deus por esse ministério, que nos aproximou da nossa família na fé e cooperou para que fossemos uma família também. Nosso alvo é que mais crianças e jovens, mais cristãos brasileiros, se envolvam, e que por esta causa, se "ponham de joelhos (...) para que, segundo a riqueza da sua glória, vos conceda que sejais fortalecidos com poder"! (Ef 3.14-16)", finalizou ela.

 Fonte:http://www.portasabertas.org.br/
Postado em 26 de maio de 2013

Guerrilhas colombianas unem forças contra cristãos de Arauca

A Portas Abertas na Colômbia foi informada que o ELN (Exército de Libertação Nacional) e as Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) estão em conversações sobre a consolidação de uma força de guerrilha conjunta que vai se opor à Igreja na região de Arauca


 José*, um ex-combatente das Farc que veio a Cristo, contou à Portas Abertas que líderes da guerrilha em Arauca têm planos para fechar as igrejas na região. José está sendo discipulado por meio dos projetos da Portas Abertas de formação de ex-guerrilheiros.

 O coordenador regional da Portas Abertas em Arauca informou que, em março, o ELN realizou reuniões em dois povoados, uma em Caño Negro e outra perto de Fortul. Entre os temas abordados, um foi a proibição de encontros e evangelismo em todas as aldeias cristãs. A construção ou a implantação de novas igrejas também está proibida. O ELN permite que igrejas funcionem apenas nas cidades. Além disso, impôs um toque de recolher às 20h, e todos os residentes, independentemente da sua condição econômica, foram obrigados a contribuir com parte de seus ganhos para a guerrilha.

 Salvador*, um ex-combatente da ELN, que também tornou-se cristão, disse à Portas Abertas que algumas igrejas cederam à pressão dos guerrilheiros e estão pagando os impostos que são chamados de "vacinas". Pastores e líderes de igrejas, no entanto, permanecem em silêncio sobre o assunto por medo de serem acusados de serem infiltrados nas igrejas, que monitoram os sermões de declarações antirrevolucionárias. Os grupos armados ilegais estão pressionando as igrejas em um movimento destinado a impedir que membros da guerrilha se convertam ao cristianismo, abandonando, assim, a luta armada.

 Salvador afirmou ainda que esses pastores são homens e mulheres cujas vidas estão enraizadas na Palavra de Deus. Alguns líderes cristãos disseram que preferiam morrer a dar seu dinheiro para financiar as atividades dos guerrilheiros.

 Em março, os rebeldes realizaram uma reunião com a comunidade em uma aldeia para exigir que os cidadãos se organizassem para defender melhor o território e impedir que o inimigo (ou seja, o exército da Colômbia) parasse a "causa revolucionária". Grupos armados ilegais proíbem os cristãos de realizarem mobilizações em massa e reuniões em suas próprias aldeias. Os comandantes regionais do ELN alegam que as igrejas devem se organizar para apoiar os rebeldes; aqueles que se recusam devem deixar a região. Eles alertam que as igrejas que não obedecerem serão fechadas.

 Abaixo, conheça a perseguição religiosa que as crianças cristãs sofrem na Colômbia:



 Fonte:http://www.portasabertas.org.br/
Postado em 26 de maio de 2013

Envie Compartilhar ImprimirDownload Cristã eritreia revela como é participar de uma igreja subterrânea

Misgana vive na Eritreia, nação em que 45% da população é cristã, 10ª colocada na Classificação de países por perseguição. Ela compartilhou com representantes da Portas Abertas como é ter de adorar a Deus em segredo


 "Como você sabe, as nossas igrejas estão fechadas", diz ela (na Eritreia, todas as igrejas evangélicas estão fechadas desde uma lei em 2002. Mais de 2.800 cristãos estão na prisão, e seus familiares não têm notícias deles há meses e anos. Leia mais aqui).

  "Assim, somos obrigados a nos reunir no subsolo das casas. Alguns irmãos cedem seus lares voluntariamente para que possamos adorar a Deus. Nós prestamos culto ao Senhor em quartos e cozinhas abaixo do chão. O que sinto falta de quando éramos livres para exercer nossa fé em Cristo publicamente, é de poder cantar com alegria, em voz alta. Agora, só podemos sussurrar. Imagine o quão difícil é para nós! Queremos expressar nossa felicidade no Senhor, mas não podemos. Mesmo assim, ele ouve o nosso sussurro, ele está sempre conosco”, afirma Misgana.

 Ela continua: “Nossos olhos estão fixos em Jesus, nada mais. Ore pelos cristãos na Eritreia, para que possamos adorar a Deus livremente algum dia, de alguma forma. Nós queremos dar glórias a ele em nossa cidade, nos reunir e nos alegrarmos nele. Essa é a minha oração. Ajude-me através da sua intercessão”.

 Ser membro de uma igreja subterrânea ou participar de uma reunião cristã na Eritreia é um crime grave. Todos os dias, cristãos eritreus arriscam suas vidas, sob pena de serem presos, unicamente para dizer a Jesus o quanto eles o amam.

 Fonte:http://www.portasabertas.org.br/
Postado em 26 de maio de 2013

Presidente Dilma viaja à Etiópia

A presidenta Dilma Rousseff embarca hoje (23), às 19h, para Adis Adeba, na Etiópia, onde participará, no próximo dia 25, das comemorações do aniversário de 50 anos da União Africana (organização que reúne 54 países)


 Segundo diplomatas, os avanços sociais associados ao crescimento econômico fazem do Brasil um dos convidados de honra das comemorações, ao lado da França e da União Europeia, além da China e Índia.

 O Brasil é o país latino-americano com o maior número de embaixadas na África. No total, são 37 representações. No Conselho de Segurança das Nações Unidas, apenas a China, os Estados Unidos e a Rússia têm mais embaixadas na África do que o país.

 O alerta da União Africana atualmente está voltado para a Guiné-Bissau, que sofreu um golpe de Estado no ano passado e ainda não se estabilizou e também para a República Centro-Africana e Madagascar. Os três países ainda não retomaram a chamada ordem democrática.

 Leia a reportagem completa no portal de notícias da Agência Brasil.

 A Portas Abertas presta serviço à Igreja Perseguida em diversos desses países. A Etiópia é a 15ª nação na Classificação de países por perseguição; a China é a 37ª, a Índia, a 31ª.

 O medo e a pobreza extrema são duas características marcantes do povo da República Centro-Africana. A maioria dos cristãos não pode pagar pelo alimento, que dirá pela sua própria Bíblia. Por esse motivo, e por meio da ajuda de seus parceiros, a Portas Abertas apoia as igrejas locais, oferecendo-lhes Bíblias e outros livros cristãos.

 Leia mais
 Apesar da perseguição, cristão etíope persevera em sua fé 
Ataque à igreja deixa sete cristãos mortos na República Centro-Africana 
Nos últimos meses, cristãos sofreram ataques seguidos na Índia 
Abyei, no Sudão do Sul, teme violência generalizada após ataques

 Fonte:http://www.portasabertas.org.br/
Postado em 26 de maio de 2013

sábado, 25 de maio de 2013

O pastor Moisés Lino Filho dá inicio a construção que estava paralisada.

Está é a construção que se encontrava paralisada e retomados em nome de Jesus, Disse o Pastor Moisés Lino


Encontrando forças em meio às dificuldades

Agradece a Deus em meio a dificuldade o pastor Moisés Lino diz: Graças a Deus! Hoje colocamos 500 tijolos na construção, e ainda nos faltam 4.500 tijolos. Te louvor Deus pela vida do irmão Marcelo Cevara, do pastor Diego e sua equipe que se deslocaram de Roque Perez para nos ajudar. Dependo de um milagre meu pai, o preço dos tijolos sofreu um aumento, e agora custa 2.222,00 Reais. Sei que o Senhor pode inquieta a alguém que tem condições de nos ajudar,e já te peço uma benção imensurável para ele(a), por haver atendido o teu chamamento, para essa obra e também para todos que se predispuseram para nos ajudar nessa construção. Te agradeço em nome de Jesus amém.










Postado em 25 de maio de 2013

DINAMI: Dia Nacional de Missões

DINAMI: Dia Nacional de Missões

Janela 10/40 O Maior Desafio Missionário da Atualidade.

Janela 10/40 O Maior Desafio Missionário da Atualidade.

Seguidores

Share

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More